José Dirceu é um personagem do “antióbvio ululante” de Nelson Rodrigues

Resultado de imagem para jose dirceu

Dirceu diz que o importante é a “tomada do poder”

Pedro do Coutto         

José Dirceu, francamente, é um personagem de Nelson Rodrigues. Apresenta-se como um homem fatal, cuja imagem foi criada pelo grande dramaturgo. Em certas ocasiões, investe-se numa polarização de ideias, polarização que se desenha como alguém capaz de entrar em conflito, sempre divergindo do óbvio ululante. Assim, tornou-se um dos personagens centrais do mensalão, depois do petrolão e agora faz afirmações que só prejudicam o candidato Fernando Haddad, na medida em que anuncia ser questão de tempo a tomada do poder pela sua corrente política.

A edição de sábado de O Globo publica declarações dele, feitas ao jornal espanhol El Pais, nas quais anuncia ser questão de tempo a volta de sua corrente política ao poder. Declaração infeliz que em nada somou para o candidato Fernando Haddad, do PT.

ALÉM DAS URNAS – Vejam bem, Dirceu não se referiu somente às urnas, mas destacou a ocupação do poder, imagem que com razão deixa dúvidas quanto a seu caráter democrático. Além do mais, a posição de Fernando Haddad não tem sido inclinada para a radicalização.

Já o próprio Fernando Haddad tem se referido ao ex-presidente Lula, mas o tom de Dirceu passou por uma sombra que nitidamente reflete uma ameaça à democracia. Sobretudo porque seu principal oponente, Jair Bolsonaro, sequer esconde seu impulso antidemocrático.

Basta ver as afirmações que vêm sendo feitas por seu companheiro de chapa, general Hamilton Mourão. O eleitorado brasileiro, assim, se encontra entre duas ondas totalmente incômodas e preocupantes. Pode-se até dizer que Dirceu e Hamilton Mourão, ao lado de Paulo Guedes tornam-se também personagens no primeiro plano, no qual representam homens fatais, imagem criada por Nelson Rodriques. Mas ficam melhor colocados com antagonistas de si próprios. Talvez Freud explique.

FALAS INSANAS – Paulo Guedes anunciou aumento de impostos. Mourão condenou o 13º salário. Dirceu, certa vez, em um de seus depoimentos à Justiça afirmou não saber explicar como ele poderia viver só com 120 mil reais mensais. Essas colisões com a lógica estão levando os eleitores e eleitoras à tentativa de escolher um candidato que possa representar mais estabilidade ao confronto que tem sua primeira etapa no próximo domingo, 7 de outubro.

Não está fácil encontrar uma terceira via. Entretanto penso eu, o último lance para o primeiro turno será o debate da Globo no dia 4, quinta-feira.

###
UMA VOZ PARA A ETERNIDADE

Ângela Maria viajou para a eternidade. Com uma voz fantástica, uma capacidade de interpretação musical raríssima, neste fim de semana Angela Maria viajou para a eternidade e foi se encontrar com outros intérpretes, artistas inesquecíveis como ela.

Aproveitando a frase célebre de Guimarães Rosa, os artistas não morrem. Ficam encantados.

Vamos continuar ouvindo suas belíssimas interpretações, cheias de emoção e amor. Adeus a essa grande artista.

16 thoughts on “José Dirceu é um personagem do “antióbvio ululante” de Nelson Rodrigues

  1. Texto interessante que está viralizando nas redes sociais, autoria desconhecida.

    “QUEM É ESSE?

    Ele tem 2 projetos em 30 anos…

    O grande argumento contra ele né?

    Pois bem.

    Tirei 5 horas do meu dia para acessar o site da Câmara e conferir os projetos dele.

    Que pasme são MAIS DE 630 APRESENTADOS.

    Ocorre que são projetos contrários à pauta esquerdo-comunista e por esse motivo não tiveram apoio ou foram sequer apreciados.

    Lembrando que eles vão a votação, então se não são aprovados não se trata de incompetência do deputado, mais sim da patotinha que lá se encontra.

    Li calmamente cerca de 400 dos projetos dele. E posso assegurar que se fossem implantados fariam muita diferença.

    Projetos para beneficiar pessoas com doenças crônicas.

    Projetos para ajudar a Polícia.

    Um que me chamou muito a atenção sobre cotas para que 50% do plenário fosse ocupado por negros e pardos.

    (Logo dele que é o racista opressor)

    Projetos para área de saúde, segurança, trânsito….

    Projeto de castração química para estupradores (que ao meu ver vai contra as afirmações da dona Maria do Rosário).

    Mas, para não me estender muito…

    Quem o crítica baseado no que a mídia comprada e de rabo preso transmite; ou baseado em ideologias próprias ou ainda baseado no simples fato de não gostar dele.

    Tirem um tempo de suas vidas e olhem esses projetos antes de questionar a competência do presidenciável…

    Separei aqui em resumo alguns deles.

    Mas lembro que são mais de 630…. Nesse estilo ó:

    AGORA ME FALA QUEM É RACISTA, FASCISTA E HOMOFÓBICO???

    PEC – 191/2016 – Essa proposta de emenda a Constituição foi feita pelo parlamentar para determinar que o Ministro de Estado da Defesa seja escolhido entre os Oficiais Generais das Forças Armadas.

    PL – 4510/2016 – Esse projeto de lei permite o uso compassivo da fofoestanolamina sintética. Ou seja, para permitir que pacientes de câncer em fases terminais possam acessar esses tratamentos experimentais.

    PL – 4730/2016 – Esse projeto de lei visa incluir no rol dos crimes hediondos aqueles dolosos, praticados com arma de fogo, mediante violência ou grave ameaça à pessoa.

    PL – 5847/2016 – Esse projeto de lei retira a obrigatoriedade do uso, nas rodovias, de farol baixo aceso durante o dia.

    PL – 1281/2015 – Esse projeto de lei visa determinar o bloqueio do uso de celulares e radiotransmissores em presídios e penitenciárias.

    PL – 1824/2015 – Esse projeto de lei impõe pena mínima de dez anos de reclusão para o indivíduo que praticar três crimes (sem progressão).

    PL – 2832/2015 – Esse projeto de lei visa não caracterizar como crime atos de defesa do patrimônio, a fim de resguardar a defesa ao cidadão.

    PL – 860/2015 – Esse projeto de lei torna obrigatória a revista pessoal aos visitantes em estabelecimentos prisionais.

    PL – 7421/2014 – Esse projeto de lei agrava a pena sobre os crimes de pichação.

    PL – 7473/2014 – Esse projeto de lei isenta impostos a portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica – DPOC – enfisema pulmonar.

    AÍ Ó FISIOTERAPEUTA CHORÃO DE ESQUERDA!!!!!!

    PL – 5398/2013 – Esse projeto de lei aumenta a pena para os crimes de estupro contra vulnerável e não vulnerável.

    PL – 4450/2012 – Esse projeto de lei permite a utilização das drogas apreendidas para o “adestramento dos cães”. Ou seja, para aperfeiçoar a aptidão farejadora dos cães da polícia tornando-os mais eficiente na busca dos tipos de droga.

    PL – 367/2011 – Esse projeto de lei suspende o direito de dirigir do infrator que atingir quarenta pontos na Carteira Nacional de Habilitação, durante o período de doze meses.

    PL – 5065/2009 – Esse projeto de lei exclui das penalidades por excesso de velocidade os condutores de veículos precedidos por batedores, de socorro de incêndio e salvamento, de polícia, fiscalização de trânsito e ambulâncias.

    PL – 5481/2009 – Esse projeto de lei isenta a cobrança de impostos para portadores de Lúpus Eritematoso Sistêmico.

    PL – 106/2007 – Esse projeto de lei inclui como crime hediondo o roubo de veículos automotores.

    PL – 2426/2007 – Esse projeto de lei extingue a exigência do Exame de Ordem para inscrição dos advogados na OAB.

    PLP – 354/2006 – Esse projeto de lei garante 50% (cinquenta por cento) das vagas para Deputados Federais às populações negras e pardas.

    POIS É…

    PL – 6163/2005 – Esse projeto de lei autoriza os órgãos de segurança pública a utilizarem armas e munições apreendidas ou encontradas.

    PL – 2215/1996 – Esse projeto de lei concede isenção de impostos sobre produtos industrializados.

    Mas você vai continuar com seu pensamento acusador, defendendo a corja comunista até seu patrimônio, capital e dignidade acabarem como na Venezuela, né?

    ACORDA!!!

    O NOME DELE É BOLSONARO!!!

      • Caro leitor e comentarista Sapo de Toga,
        O trabalho não é meu, é de um patrício nosso, não sei quem fez, apenas repassei porque é bem interessante o que está colocado.
        Logo que recebi também pensei no que o leitor sugeriu, que a equipe do candidato Jair Bolsonaro o utilize na sua campanha eleitoral.

  2. Caro articulista Pedro do Coutto,
    Só que existe uma grande DIFERENÇA entre o herói guerreiro do povo brasileiro José Dirceu de Oliveira e Hamilton Mourão e Paulo Guedes, o primeiro é condenado a mais de 30 anos de PRISÃO por CORRUPÇÃO e só está solto por compadrio de seu ex-assessor na casa civil, ele mesmo o ministro Dias Toffoli do STF que não logrou êxito em concurso público de títulos e provas para a magistratura de São Paulo, no entanto, hoje preside a mais alta Corte de Justiça do país.

  3. A voz mais linda viajou, ou melhor, “encantou-se” eternamente a nossa Aangela Maria. Foi se juntar à amiga Dalva de Oliveira. O céu está em festa! Ela chegou radiante como a noiva que ela cantou e me encantou!

    • Tudo bem, a sapoti foi-se. Todos iremos, dona Carmen, e muitos chorarão por nós. Neste momento falamos do que ficou, falamos da nossa miséria, do estado lastimável em que se encontra a pária amada. O José Dirceu é nocivo, é ambicioso, é corrupto, é narcisista como o Bebum de Garanhuns – é isso que nos infelicita no momento. Dalvas, Sapotis há à mancheia (Charles Aznavour, Edith Piaf, Nat King Kole, Tony Bennet – isso para citar gente antiga como a sapoti). Eu, quando partir, não quero choro nem vela nem fita amarela, porque a morte é o fim de uma máquina com tempo de validade.

      • Tosen Sacs, você me fez lembrar uma crônica de Rachel de Queiroz quando ela votava de um enterro de uma grande amiga e se perguntava: por que este choro, se a morte é o fim de todos? Mas, digo eu, é a falta que de quem parte fisicamente, para sempre.

  4. Hà uma terceira via, ela é o PSTU rebelião já,é isso que precisamos NOS REBELAR.EStamos demaziadamente passivos a tudo o que ocorre no país e que nos prejudica.

  5. — Eu represento, acredito, a melhor proposta, a mais segura, a mais consistente. E isso não se apura pelo elogio em boca própria, que não tem cabimento, isso se apura quando se simulam as opções de segundo turno, em que eu ganho folgado do Haddad e do Bolsonaro — disse o presidenciável pedetista Ciro Gomes.

    De acordo com o Datafolha, em eventual segundo turno, Ciro ganharia de Bolsonaro por 48% a 38% e de Haddad por 41% a 35%. https://m.oglobo.globo.com/brasil/ciro-diz-que-assembleia-constituinte-proposta-por-haddad-violencia-institucional-23113166

  6. Caro leitor e comentarista Jorge,
    Antes de qualquer consideração é preciso registrar que, com o meu comentário eu jamais tive a intenção de desferir um cruzado de direita ou de esquerda no articulista da gloriosa TI, apenas fiz um comentário sobre o que é público e notório sobre o herói guerreiro do povo brasileiro José Dirceu de Oliveira e Silva.
    Já com relação ao seu pleito, abaixo transcrevo informações extraídas do sítio eletrônico do TRE do Mato Grosso.
    Espero que lhes possam ser úteis.
    “Saiba o que é quociente eleitoral, quociente partidário e voto em legenda
    RECOMENDAR7COMENTAR9
    Tribunal Regional Eleitoral de Mato GrossoPublicado por Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grossohá 8 anos45K visualizações
    Os cálculos realizados na eleição proporcional, sistema pelo qual são eleitos os representantes da Câmara Federal, das Assembleias Legislativas e também das Câmaras Municipais, consistem em uma das principais dúvidas dos eleitores. Quociente eleitoral, voto em legenda e quociente partidário são assuntos não dominados até mesmo por aqueles que participam ativamente das campanhas políticas.

    O eleitor muitas vezes não entende por que um candidato bem votado não consegue uma vaga no Poder Legislativo, enquanto outro que tenha recebido menos votos, acaba eleito. Ou seja, neste caso é eleito o candidato que esteja no partido que recebeu o maior número de votos. Esse fato ocorre porque, nas casas legislativas (Câmara Federal, Assembleia Legislativa e Câmaras Municipais), as vagas são distribuídas de acordo com a votação recebida por cada partido ou coligação.

    Ao escolher o candidato para esses cargos, o eleitor está votando, antes de mais nada, em um partido. É por isso que o número do partido vem antes do número do candidato. Se o eleitor quer votar apenas na legenda, sem especificar qual dos candidatos daquele partido ele quer eleger, é preciso digitar apenas os dois primeiros números.

    QUOCIENTE ELEITORAL

    A escolha dos deputados, sejam estaduais ou federais, só é concretizada após a aplicação das fórmulas que regem o sistema proporcional de eleições, cujo cálculo se inicia com a obtenção do número total de votos válidos. Esse número é então dividido pelo número de vagas em disputa. Essa divisão é conhecida como Quociente Eleitoral.

    Em Mato Grosso, o numero total de votos para a Câmara Federal será dividido por oito, que equivale ao número de vagas que cada Estado tem direito, naquela Casa de Leis.

    Os votos destinados aos candidatos e partidos políticos que concorrerão à Assembleia Legislativa serão divididos por 24, número de vagas para deputado estadual.

    Como o resultado dessa divisão nem sempre é exata, a legislação brasileira determina que caso a fração sejam igual ou menor que 0,5 ela será desprezada. Sendo maior que 0,5 somamos um voto ao quociente eleitoral final.

    QUOCIENTE PARTIDÁRIO

    Para chegar aos nomes dos candidatos eleitos, é preciso determinar o quociente partidário, dividindo-se a votação obtida por cada partido (votos nominais + votos na legenda) pelo quociente eleitoral. Neste caso, despreza-se a fração, qualquer que seja.

    O número obtido dessa divisão, desprezando as frações, é o número de deputados que ocuparão, em nome do partido/coligação, as cadeiras do Poder Legislativo. O mesmo cálculo se faz para as eleições das Câmaras Municipais. Os mais votados serão os titulares do mandato, que neste caso foram eleitos pelo quociente eleitoral.

    PREENCHIMENTO DAS VAGAS PELO CÁLCULO DAS MÉDIAS

    Realizado o cálculo para definir quem ocupa as cadeiras do Poder Legislativo por meio do quociente partidário, é comum restarem vagas não preenchidas, porque a divisão nem sempre resulta em números inteiros. Paras as vagas não ocupadas, realiza-se um novo cálculo.

    O cálculo para ocupação das vagas remanescentes, ou cálculo das sobras, como é conhecido nos ambientes de apuração, é definido pelo artigo 109 do Código Eleitoral Brasileiro, e é talvez um dos cálculos que mais provocam dúvidas nos candidatos e eleitores. O artigo determina que vagas não preenchidas pelos quocientes partidários devem ser ocupadas considerando o desempenho médio dos partidos, que é calculado da seguinte forma:

    1- Divide-se o número de votos obtidos pelo partido ou coligação pelo número de vagas obtidas pelo quociente partidário, somando-se mais uma vaga ao número obtido pelo quociente partidário. Com soma de mais uma vaga ao número final de vagas obtidas pelo partido, evita-se que o partido/coligação que tenha obtido apenas uma vaga seja automaticamente contemplado, pois a divisão dos votos obtidos pelo número 1 não geraria um quociente médio.

    2- O cálculo das médias deve ser aplicado a todo partido coligação. Aquele que possuir o maior quociente médio é contemplado com a primeira vaga remanescente.

    3- Distribuída a primeira vaga remanescente, refaz-se o cálculo, agora considerando a vaga já ocupada pelo partido, que terá que somar ao divisor a vaga conquistada. Assim, o partido contemplado pelo primeiro cálculo terá que somar vagas ao total conquistado pelo quociente partidário, sendo uma delas referente ao determinado em lei, e outra referente à vaga conquistada pela média.

    4- Esse cálculo é refeito até que sejam preenchidas todas as vagas que ainda estavam abertas e que não haviam sido contempladas pelo quociente eleitoral.

    Aplicadas as fórmulas, define-se os titulares das vagas. Os demais candidatos dos partidos e coligações que elegeram candidatos, serão todos suplentes, sem exceção.

    O quociente eleitoral é o primeiro limitador para os partidos políticos com baixo desempenho, pois a agremiação partidária que não obter uma quantidade de votos igual ou superior ao quociente eleitoral não poderá eleger candidatos para o Poder Legislativo.

    A legislação brasileira ainda permite que, a cada eleição, os partidos se unam e formem uma coligação partidária que, para efeitos dos cálculos inclusos no sistema proporcional, será tratada como um único partido político. As coligações são formadas a cada eleição, se dissolvendo após a realização do pleito.”

  7. No mercado financeiro, tem uma frase que os investidores experientes sempre repetem: “sobe no boato, cai no fato”.

    A reportagem passa a ideia de que terá uma briga entre Nazistas e Comunistas no Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *