Juiz federal manda suspender a nomeação de Camargo para a Fundação Palmares

Resultado de imagem para sergio camargo palmares"

Militantes negros estão revoltados contra Sérgio Camargo

Deu no site Metrópoles

O juiz substituto da 18ª Vara Federal do Ceará, em Sobral, Emanuel José Matias Guerra, decidiu nesta quarta-feira (dia 4) conceder uma medida liminar para suspender a nomeação de Sérgio Camargo como presidente da Fundação Palmares. A medida foi tomada devido ao risco do que apontou como “rota de colisão com os princípios constitucionais da equidade, da valorização do negro e da proteção da cultura afrobrasileira”.

SÉRIO RISCO – “De tudo o que se disse acima, resta evidenciado que a nomeação do senhor Sérgio Nascimento de Camargo para o cargo de Presidente da Fundação Palmares contraria frontalmente os motivos determinantes para a criação daquela instituição e a põe em sério risco, uma vez que é possível supor que a nova Presidência, diante dos pensamento expostos em redes sociais pelo gestor nomeado, possa atuar em perene rota de colisão com os princípios constitucionais da equidade, da valorização do negro e da proteção da cultura afro-brasileira”, assinala a decisão.

Nem o irmão aguenta. O produtor cultural e músico Oswaldo de Camargo Filho publicou, em seu perfil nas redes sociais, na quarta-feira passada (dia 27), uma nota de repúdio ao recém-nomeado presidente da Fundação Cultural Palmares e seu irmão, Sérgio Camargo.

CAPITÃO DO MATO – “Tenho vergonha de ser irmão desse capitão do mato”, escreveu Wadico Camargo compartilhou, em outra publicação, o abaixo-assinado criado em uma plataforma on-line após a nomeação de seu irmão Sérgio. Até a publicação desta reportagem, conta com 25 mil assinaturas.

O mais incrível é saber que o poeta, crítico, historiador e um dos principais nomes da literatura afrodescendente no país, Oswaldo de Camargo, pai de Sérgio e Wadico, é uma das figuras mais importantes do movimento negro.

12 thoughts on “Juiz federal manda suspender a nomeação de Camargo para a Fundação Palmares

  1. Simplesmente um absurdo essa decisão. Basta ler o trecho: “… é possível supor que a nova Presidência, diante dos pensamento expostos em redes sociais pelo gestor nomeado, possa atuar em perene rota de colisão com os princípios constitucionais da equidade, da valorização do negro e da proteção da cultura afro-brasileira…”
    Quer dizer que o juiz agora decide baseado em fatos FUTUROS que ele SUPÕEM que possa ocorrer?
    É só a AGU entrar com recurso que essa decisão cai fácil, fácil.

  2. O ALTISSIMO SEJA LOUVADO ..SEMPRE ..

    Sejamos sensatos, uma fundação é criada para valorizar os ideais e valores de uma determinada etnia (das muitas que compõe) da sociedade Brasileira certo ?

    Então vc nomeia para as presidencia desta Fundação , um cidadão que é contra tudo que essa Fundação representa . Correto ?

    Como sol ao meio dia mostra tudo ..essa nomeação é contrária e provocativa , e deve ser barrada sim , se o asno que o nomeou por orgulho ou falta de sabedoria (sic), não quer dar o braço a torcer cabe então a Justiça colocar tudo no devido lugar.

    Esse louco que 60 milhões deram seus votos ..pensa como um idiota e toma decisões como se estivesse em sua mansão na barra.. E com isso vai acumulando contradições , jogando a nação e a sociedade uns contra os outros, enfim uma verdadeira insanidade governamental , que infelizmente a justiça tem que barrar e por freios a essa mula que agora pensa que a cadeira presidencial é um “trono” do tipo Henrique VIII.

    Se o novo nomeado vai de encontro o que pensa a maioria NEGRA de que a escravidão foi um desastre em termos sociais para os NEGROS … então o mesmo “joga” contra o que essa Fundação procura defender portanto sua nomeação é afrontosa e provocativa…sim .

    Mas como podemos explicar isso ao agora presidente..um ser desqualificado e perfeitamente alienado do assunto ? Com a palavra a dona Justa.

    YA SEJA LOUVADO SEMPRE

    SALMO 103 A TODOS .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *