Lembrando Nelson Rodrigues: “Todas as vitórias são santas”

Resultado de imagem para nelson rodrigues frasesPedro do Coutto

Foi difícil passarmos pela Costa Rica, jogo duríssimo, um sufoco, que fez a vitória surgir no final do segundo tempo. Vencemos e vamos em frente. Em momentos assim lembro a frase do meu amigo Nelson Rodrigues: “Todas as vitórias são santas”. E acrescento. Nas vitórias devemos agradecer a Deus e valorizar a etapa conquistada. Foi difícil. A Seleção de Ouro só melhorou no segundo tempo com a entrada de Douglas Costa no lugar de Willian. Foi a partir desse momento que o escrete apurou suas jogadas ofensivas, tornando o gol iminente.

Custou a vir  até que Felipe Coutinho aproveitou a pressão sobre a área do adversário e mandou a bola na rede. Por que a seleção não jogou ofensivamente desde o início da partida?  Uma pergunta a ser respondida pelo técnico Tite.

UMA REPRISE – No primeiro tempo, quase repetimos  a atuação contra a Suíça. Excesso de troca de passes, velocidade reduzida, são fatores que fizeram a Costa RIca crescer. Estávamos mal posicionados em campo com afunilamento entre a esquerda e o centro do ataque. Não estávamos ocupando o espaço com o toque de primeira. O panorama ao fim da primeira etapa era preocupante. Chutamos pouco a gol e a defesa tinha que cuidar dos contra-ataques. A entrada de Douglas Costa foi providencial. Importante é que praticamente garantimos a passagem da fase classificatória para as oitavas de final.

Substituições providenciais acontecem sempre no futebol. Basta lembrar o exemplo de 58: quatro substituições foram feitas a partir do jogo contra a Rússia. Pelé no lugar de Dida, Zito no lugar de Dino Sani, Vavá no lugar de Mazola e Garrincha no lugar de Joel. Podemos até acrescentar uma quinta modificação: na final contra a Suécia entrou Djalma Santos no lugar de De Sordi.

GARRINCHA E PELÉ – Vejam só. Da classificação até a final quase meio time deu lugar a outro. Foi a partir da vitória contra a Rússia que passamos a percorrer a estrada da vitória, com Garrincha deslumbrando o mundo inteiro. E Pelé, aos 17 anos, afirmando-se como um craque absoluto. Mas isso pertence ao passado.

Estamos no presente, Copa de 2018. Na chave, o Brasil falta enfrentar a Sérvia. A equipe deve melhorar ainda mais, alcançando um fator que falta: a confiança e a integração no conjunto da equipe.  Vamos em frente sem nos preocuparmos com qual adversário vamos enfrentar nas oitavaS de final.

TUDO BEM – Uma seleção que é candidata ao título não deve se preocupar com quais adversários as próximas lutas vão ser travadas. 

Se for contra a Alemanha, tudo bem. Nem por isso vamos deixar de desenvolver nosso futebol. Faz parte da história do esporte.  Enfim, a vitória desta sexta-feira vai nos embalar para atuações melhores.

Uma coisa a ser corrigida: as reclamações seguidas de Neymar que terminam irritando os árbitros. É negativo. Tão negativo quanto conter demasiadamente a bola nos pés. Hoje ele soltou mais rápido a bola, o que é um bom sinal para os próximos jogos que teremos pela frente. Amém.

6 thoughts on “Lembrando Nelson Rodrigues: “Todas as vitórias são santas”

  1. Estou muito preocupado com o estilo do cabelo do Neymar e com a sua maneira de jogar. Acho que nem vou dormir bem hoje.
    Espero que essas discussões futebolísticas levem a uma solução para os nossos problemas.
    Depois de uma Mula no poder e de uma Desmiolada que tal um jogador de futebol. Afinal, futebol é muito importante.

  2. Não se fala em futebol e teatro, sem Nelson Rodrigues presente. Ele ia ao Maracanã, mas não enxergava fielmente o que se passava em campo sempre havia um acompanhante soprando os lances no ouvido dele.
    Como seriam hoje suas crônica, sem os eternos craques – Garrincha, Pelé, Amarildo e outros que eram “meu personagem da semana”
    Para Nelson Rodrigues Futebol é Paixão e deve ser espetáculos quando jogado com competência.
    Outro Nelson Rodrigues acho que daqui a 100 anos.

  3. Nelson Rodrigues dizia que até 58 o brasileiro não ganhava nem cuspe à distância. O sujeito dormia enrolado na derrota como num cobertor…. Sim, cada um de nós era, individualmente, um falido do sentimento, um falido da paixão, um falido da esperança.
    Para o Brasil render é preciso acreditar na seleção.
    Em “A sombra das chuteiras imortais!

  4. Que felicidade encontrar neste fórum um AntiComunista excepcional como Nelson Rodrigues.

    Entre outros diamantes, ele dizia que a admiração por Sartre era Abjeta.

    Foi um grande Anti Comunista, e nunca foi refutado.

    Com a sapiência de Nelson, todos os canalhas de esquerda foram admoestados.

    Viva Nelson, como ele foi e é.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *