Lula defende prerrogativa de Bolsonaro indicar diretor-geral da PF e diz que reclamação de Moro é ‘pirotecnia’

Para atacar Sergio Moro, Lula vira “amigo de infância” de Bolsonaro

Ricardo Galhardo
Estadão

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu o direito do presidente Jair Bolsonaro indicar o diretor-geral da Polícia Federal e chamou de “pirotecnia” as reclamações do ex-ministro Sérgio Moro de suposta intervenção indevida de Bolsonaro na instituição.

“Ele (Moro) é tão medíocre que quando ele sai (do governo) tenta criar mais uma pirotecnia. ‘Ai, vou sair porque o Bolsonaro quer indicar o diretor da Polícia Federal’. É importante lembrar que o presidente da República tem o direito de indicar o diretor-geral da PF, sim”, disse o ex-presidente em entrevista ao Diário do Centro do Mundo.

INTERFERÊNCIA – Moro deixou o governo por discordar das tentativas de Bolsonaro de trocar o chefe da PF em meio a investigações contra o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho mais velho do presidente, por participar de um suposto esquema de rachadinha na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. As denúncias de Moro levaram à instauração de um inquérito para apurar a suposta interferência do presidente na corporação que levou à intimação para Bolsonaro depor presencialmente no Supremo Tribunal Federal (STF).

Segundo Lula, Moro usou sua saída do governo para criar um fato político e ganhar da opinião pública. “Por que achar que o Moro podia e ele (Bolsonaro) não podia? Ele tenta ganhar a opinião pública tentando mentir outra vez”, disse o petista.

Em mais de uma hora e meia de entrevista, na qual sempre se referia a si mesmo na terceira pessoa como “o Lula”, o ex-presidente criticou Bolsonaro, mas seu alvo principal foram Moro e a Lava Jato que, na véspera, apresentou mais uma denúncia contra o petista (a quarta) por uso do Instituto Lula para receber propinas da Odebrecht.

NOVA DENÚNCIA – O ex-presidente classificou como “mentira” a nova denúncia argumentando que nunca exerceu cargo de direção no Instituto. “É como se tivesse alguma coisa no Colégio D. Pedro II e fossem para cima do D. Pedro II. Dei apenas meu nome para o Instituto”, disse Lula. O ex-presidente também criticou a postura do novo coordenador da força-tarefa de Curitiba, o procurador Alessandro Oliveira, que substituiu Deltan Dallagnol. “É a mesma coisa que o Dallagnol”, disse o ex-presidente.

Poucos dias depois de ter dito que está “à disposição” do povo brasileiro para enfrentar o bolsonarismo, fala que foi interpretada como sinal de disposição para disputar a presidência em 2022, caso consiga reaver seus direitos políticos, Lula voltou a dar sinais contraditórios e disse que “não preciso de eleição para estar vivo”. Segundo ele, o corporativismo do Judiciário deve preservar Moro. Até o final de outubro o STF deve julgar o pedido de suspeição do ex-juiz feito pela defesa do petista.

MORDE E ASSOPRA – Indagado sobre o papel de Bolsonaro nos incêndios que há dias consomem o Pantanal, Lula poupou o presidente de responsabilidade na tragédia mas criticou a falta de ações do governo para controlar o fogo.

“Eu seria irresponsável se dissesse que a natureza não tem nada a ver com isso. Não estou culpando o presidente Bolsonaro mas estou culpando a irresponsabilidade dele de evitar que isso se torne tão grave”, disse o ex-presidente.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG 
No melhor estilo vaselina, Lula mostra que é capaz de se confundir com um velho amigo de infância de Bolsonaro se preciso for para aproveitar a oportunidade e disparar contra Sergio Moro. Até defender a interferência presidencial na PF foi capaz. Para alguns, política e futebol são caixas de surpresas. Mas cá entre nós, nada mais espanta nesse cabaré verde amarelo. Mágoa é coisa pequena. A sede de poder é enorme e dissipa qualquer vergonha passada. (Marcelo Copelli)

 

11 thoughts on “Lula defende prerrogativa de Bolsonaro indicar diretor-geral da PF e diz que reclamação de Moro é ‘pirotecnia’

  1. Enfim, apesar do tal de Copelli, um gesto de coerência de Lula. Afinal, ele fez a mesma coisa que pretendia o atual presidente. Mas é uma armadilha – ele pretende que o atual confesse, dizendo: “Se o Lula fez por quê eu não posso” ?

  2. Sempre falei q a constituição está totalmente desmoralizada. Todos se julgam com Poder. O MPF quer mandar. O TCU quer mandar. a CGU a pF a AGU, e muitos mais. Cadê a hierarquia? E ainda tem os “constitucionalista” de araque que interpretaram que as FFAA tb são um Poder! Não sou Bolsonarista, mas JB é o Presidente e se ele não exercer o Poder, com certeza outros o farão por ele.

  3. Newton está censurando alguns comentários de minha autoria!

    Sei que o motivo será o conhecido, que faltei com o respeito às autoridades.

    Mas, pergunto ao Mediador:
    Essas autoridades não estão faltando com o respeito ao povo, conosco, meros contribuintes??

    As estradas têm duas vias, as que vão e vem.
    Logo, se me desprezam, roubam, exploram e manipulam, o Editor deveria considerar a minha indignação e revolta.

    Em minha defesa, clássicos da literatura brasileira e mundial deveriam ser censurados, então.
    Jorge Amado, Clarice Lispector, Guimarães Rosa, Júlio Ribeiro, D.H. Lawrence, Henry Miller, Vladimir Nabokov …

    Se não ofendo o Editor, a TI, colegas comentaristas e articulistas, mas apenas me dirijo como acho que devo aos que me insultam e depreciam, me humilham e segregam, a direção da TI deveria considerar e ser mais flexível, a meu ver.

    Mesmo que eu desfilasse um rosário de palavrões contra os poderes constituídos, pergunto:
    Minha liberdade de expressão foi parar aonde?!

    Repito:
    se não ofendo colegas, articulistas, o Mediador, familiares, o povo, porém pulo nas patas de trás contra os crimes que estão praticando em meu nome, em nosso nome, a medida policial do Mediador não tem justificativa, afora depreciar o comentarista que não é alguém mal educado e desrespeitoso pela sua trajetória no blog, dez anos!

    Deixo lavrado o meu protesto contra essa discriminação.
    Um palavrão ou vários quando bem colocados, e necessários porque é assim que somos tratados pelos nossos inimigos, os poderes constituídos, caracterizam a maneira deletéria e promíscua que a população vem recebendo das “otoridades”.

  4. O Nine Brama Analfa da Silva deve estar usando os conhecimentos adquiridos na faculdade de analfabetismo jurídico de guaranhuns, onde ele se formou em direito de subtrair recursos públicos e de estatais como ptbrás e bndes – de onde sequestrou 500 bi, ou meio tri.

    Vade retro, mega furem!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *