Marco Aurélio remete ao plenário do STF ação da Rede que cobra plano do governo contra queimadas

Charge do Jota A. (Arquivo do Google)

Paulo Roberto Netto
Estadão

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), remeteu para o plenário da Corte o julgamento sobre ação movida pela Rede Sustentabilidade para obrigar o governo Jair Bolsonaro a elaborar um plano de prevenção e combate aos incêndios no Pantanal e na Amazônia. A proposta seria a criação de uma força-tarefa ‘condizente com o tamanho do desafio’.

Marco Aurélio mandou o caso ao plenário por vislumbrar a relevância do pedido. O ministro também pediu, como é de praxe, as manifestações da Procuradoria-Geral da República e da Advocacia-Geral da União.

SALA DE SITUAÇÃO – A ação da Rede foi protocolada no último dia 17, e pede ao Supremo que obrigue o governo federal a criar uma sala de situação para subsidiar a tomada de decisões envolvendo o combate às queimadas no Pantanal e na Amazônia.

O partido aponta que a União tem sido omissa com a preservação ambiental e estaria cometendo violações a direitos fundamentais, como ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, à vida, à saúde e ao dever de proteger o Pantanal e a Amazônica.

“O que faz o governo federal para controlar o problema? Ao que parece, apenas torce para a providência divina mandar chuva para as regiões, sem que haja qualquer respaldo científico nesse sentido”, afirmou o partido. “Não se trata de uma ‘arvorezinha que está sendo cortada ali ou de um jacaré que morreu queimado’, como os mais refratários à emergência ambiental poderiam pensar, mas de um incêndio e de um desmatamento de proporções gigantescas, capaz de literalmente virar de cabeça para baixo as condições de vida dos brasileiros”.

MAIOR SÉRIE DE QUEIMADAS – O Estadão esteve em Poconé (MT) neste mês e acompanhou de perto a destruição causada pelo fogo no Pantanal. Os incêndios queimam áreas de mata e castigam animais e também produtores e a população. Essa é a maior série de queimadas na região nas últimas duas décadas, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Em notas enviadas ao Estadão em resposta à série de reportagens publicadas sobre o incêndio no Pantanal, o Ministério da Defesa informou que o governo federal, por meio das Forças Armadas, atua “decisivamente” e “sem poupar esforços”.

8 thoughts on “Marco Aurélio remete ao plenário do STF ação da Rede que cobra plano do governo contra queimadas

    • O INPE tem mais condições tecnológicas e morais para afirmar que vivemos um momento único de queimadas em nossos biomas do que essa turma de desocupados que assaltaram o poder, e cujo lider maior não se preocupa nem com a roubalheira escandalosa dos próprios filhos.
      Esse governo esta lutando para ser pior que os governos de luiz inacio e Dilma.
      É vergonha encima de vergonha.
      Governo indefensável.

  1. SPOILER BRASIL 2022. Aos que amam debates políticos caóticos de baixo nível, do nada versus coisa nenhuma em termos de inovação de verdade, entre o ruim e o pior, impostos goela abaixo pelo sistema apodrecido, sinto informar-lhes, à moda spoiler 2022, que, caso o PSOL, ou REDE, ou o NOVO, ou o PODEMOS, pelo menos um deles, se dignar servir aos legítimos interesses do sofrido povo brasileiro, como hospedeiro do Projeto Novo e Alternativo de Política e de Nação, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso, não haverá debate no segundo turno, porque não haverá segundo turno, a fatura será liquidada no primeiro turno. E quem viver verá. NO TEMPO E NO ESPAÇO, o Brasil ainda é uma criança, ou quando muito um gurizão ainda de calça curta, como definido pelo saudoso Senador Teotônio Vilela, há 38 anos, no programa Canal Livre da Band. E até por isso, historicamente, no tempo e no espaço, a sua situação do Brasil ainda é mais cômoda do que a dos EUA, acuado pela China e a Rússia, até porque nessa condição o Brasil pode ser o que ele quiser, desde uma Brazuela para onde o estão conduzindo Bolsonaro, Lula e o sistema apodrecido, ou até uma Nova Europa brasileira, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME, o projeto novo e alternativo de política e de Nação, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso. Todavia, enquanto o Brasil continuar se comportando igual a fiofó de bêbado perante o mundo civilizado, polarizado entre o bolsonarismo e o lulismo, continuará levando erguidas de todos os lados, infelizmente, até mesmo por parte de países que, historicamente, não tem autoridade para puxar as suas orelhas em público. http://www.tribunadainternet.com.br/no-debate-biden-prometeu-ajudar-a-preservacao-da-amazonia-mas-fez-uma-ameaca/?fbclid=IwAR36qsuEr1ZW5lOb-_zysv9sZ6H2nRP942nupQxKXgQ9OSD2KnBouhwtuEE

  2. ENQUANTO O BRASIL EM BRASA SE CHAMA CHAMAS: DE VOLTA AS CARAVELAS. DESTE FEITA, COM “CABRAL” PRESO!

    Decorridos 520 anos, o Brasil revive uma celebração tribal, retratada na retina de cada selvagem, abismado com as naus de Pedro Álvares Cabral, quando encoraram, em Porto Seguro-BA.
    A pátria do inventor da aviação vive uma festa publicitária e promocional pela chegada do primeiro caça Grippen Saad, adquirido da Suécia, desde a longíqua e esquecida era PT. Em meio ao estardalhaço midiático, o governo vigente, sequer faz citação de quando a aeronave teve fechada a sua aquisição.
    À época, Lulinha, filho do ex-presidente, Inácio Lula da Silva, foi acusado de pegar uma propina robusta para “descomplicar” as negociações.
    https://istoe.com.br/propina-a-jato/
    Tal suspeita foi consubstanciada pelo fato de o governo petista ter deixado o Rafale francês, tido como um avião mais versátil e letal; para optar pelo Grippen. Na terra das laranjas, ou aliás, dos “laranjas”, mais uma mazela (Gripe) para ser combatida com vitamina “C” do nosso abundante fruto cítrico!
    Enquanto as nações com aviônica mais avançada, já testam os seus jatos de sexta geração; hipersônicos e com tecnologia Stealth (furtiva); o país onde se mais comete ação (furtiva) está comemorado a consecução de jato de quarta geração. Portanto, obsoleto, será passado todas as vezes, porque ultrapassado é!

  3. Quando vier um grande temporal, que inunde o Brasil de norte a sul, destruindo plantações e matando milhões, ainda haverá um grande grupo imbecil culpando alguém por não impedir a chuva. Let it be.

  4. “Governo Bolsonaro repassou a programa de Michelle R$ 7,5 milhões doados para testes de Covid.

    Empresa Marfrig fez doação ao Ministério da Saúde, mas verba foi parar em projeto de primeira-dama; Casa Civil não comenta” (folha)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *