Meirelles prevê 3% de crescimento do PIB, sem a menor base na realidade

Resultado de imagem para meirelles charges

Charge do Nani (nanihumor.com)

Pedro do Coutto

Pensava em escrever hoje sobre “Poesia”, de Vinícius de Moraes, obra lançada pela Companhia das Letras, e sobre a poesia de Oduvaldo Matta, “Sob a Luz de Antares”, editora Autografia, mas a reportagem de Marli Prado e Mariana Carneiro, Folha de São Paulo de domingo, passou a ter preferência no momento em que o ministro Henrique Meirelles anuncia crescimento do Produto Interno Bruto na escala de 3% no ano de 2018. Como? Se os investimentos públicos caíram , incluindo despesas com obras públicas, como o PIB pode crescer este ano e no próximo? Este ano a previsão é de 0,2%. E a expectativa de Henrique Meirelles para o ano que vem dispara na escala de 3%.

Eis uma questão que necessita ser explicada pelo Ministro da Fazenda, uma vez que está se transformando numa espécie de Mágico de Oz, filme famoso da década de 40. Na matemática, as afirmações necessitam de base concreta. E não projeções otimistas que começam e terminam na tela do computador ou na folha de papel que não rejeita atitudes otimistas.

E O PAC? – Meirelles não enfoca as reduções feitas no Programa de Aceleração do Crescimento – PAC, para o qual estavam previstas prioridades que evaporaram dos planos do governo.

A reportagem de Marli Prado e Mariana Carneiro, Folha de São Paulo de domingo, é acompanhada pela matéria de Alexia Salomão, no mesmo jornal, destacando a estimativa feita pelo Credit Suisse a respeito da economia brasileira. O Banco internacional destaca que a economia brasileira está sendo puxada para baixo na medida em que as contas públicas se encontram no vermelho.

Se as contas públicas, como na proposta orçamentária para 2018 acusam de início um déficit de 159 milhões de reais, tal constatação observada pelo Credit Suisse colide frontalmente com as palavras otimistas em excesso de Henrique Meirelles.

SEM EXPLICAÇÃO – Mágico da economia futura, o titular da Fazenda necessita explicar quais os caminhos que percorreu, ou que pretende percorrer, para prever o crescimento da ordem de 3% em 2018. A política não está nada favorável ao governo Michel Temer. Ao contrário, as prisões de Geddel Vieira Lima, Joesley Batista e Ricardo Saud tornam-se fatores adversos para o Palácio do Planalto.

O presidente Michel Temer, no fundo da questão, gostaria que não tivessem acontecido a Lava Jato, com também desejaria que o Tesouro de Geddel permanecesse oculto, uma vez que não pode haver uma explicação legítima para tal acumulação de dinheiro num apartamento de Salvador próximo à sua residência.

GedDel Vieira Lima, afinal de contas, foi nomeado ministro pelo presidente Michel Temer. Se o presidente não sabia das atividades de Geddel, é algo que depõe contra a percepção presidencial. Se ele sabia, pior ainda. As duas versões são péssimas.

DINHEIRO VIVO – As fotos das malas de dinheiro foram colocadas pelos jornais e revistas à vista de todos os brasileiros.  As imagens conduzem a uma sensação de perplexidade. Quais foram as práticas usadas por Geddel e acolhidas  pelo poder que levaram a uma acumulação de 51 milhões de reais num apartamento?

São fatos que se adicionam a um processo extremamente crítico que envolve os governos de Lula, Dilma, do próprio Temer. No caso de Michel Temer, antes de Geddel, ele já fora obrigado a anular a nomeação de Romero Jucá para o Planejamento e a de Henrique Eduardo Alves para o Turismo.

Os episódios críticos crescem a todo momento, como cresceu o tesouro de Geddel. O que o Planalto pode dizer sobre isso? E o que o ministro Henrique Meirelles pode esclarecer a respeito de sua previsão sobre o Produto Interno Bruto?

13 thoughts on “Meirelles prevê 3% de crescimento do PIB, sem a menor base na realidade

  1. Caro Couto, permita assino em baixo, infelizmente, estamos sendo destruídos pela quadrilhas hediondas de Brasília. Meireles, recebeu o denominação de ministro com Lula, como banqueiro. Que Deus nos ajude, Temer e a corja, tranformou o Brasil em grande senzala, com 220 milhões de escravos, o que mais lamento, são os 3 patetas, subornados, pela manutenção de seus Direitos, a sacrificar e levar a angustia milhões de brasileiros, que falta faz um Almirante Barroso, um Floriano Peixto, um Rui Barbosa, e tantos outros, que nos deixaram um legado de construirmos uma Nação, com seu povo Feliz. Em todo grupamento humano, sempre hà patifes, mas, o momento eles estão no controle da corrupção, a transformar o Brasil em “republiqueta democradura” 51 milhões, quantos milhões, ainda escondidos nos colchões!??, a canalhada, a criar leis de auto proteção, com uma constituição colcha de retalhos, a servir de escudo para a canalhice. Os 3 poderes estão podres, a servir a Mamon.
    Chegar ao fim da vida (88 anos), e ver tanta podridão, é dose de leão.
    Que Deus nos ajude, a sair desse oceano de lama, pacificamente.

    • GEDDEL, A PONTA DO ICEBERG. R$ 51 milhões é o que foi encontrado por acaso, por conta de 1 telefonema anônimo. Imagine o estoque de dinheiro vivo espalhado pela mega-quadrilha em outros esconderijos pelo Brasil e o mundo, com a cobertura de banqueiros, doleiros, agiotas e enfim bandidos nacionais e internacionais ?

  2. O título do cargo não condiz, mas todos sabem. É ministro da hacienda privada. Além disto, o governo atual desconectou-se da Nação. Subsiste somente para preservar os interesses individuais. A população, que ainda tem a percepção do desastre em curso, teme pelo futuro do País.

    • Esse encantador de serpentes, não vai nos convencer que milagres acontecem na economia das nações. Uma coisa é ele querer para se cacifar para as eleições presidenciais de 2018, outra é a realidade fática, nua e crua.

  3. ACREDITE SE QUISER, Meirelle$, “guru” do Lula e do Temer, FHC e CIA, é o maior 171, travestido de político, que já surgiu na república 171 do partidarismo-eleitoral, do golpismo-ditatorial e dos seus tentáculos, velhaco$. Levou no bico até mesmo as forças armadas, ao que parece, mortas para a realidade das coisas, dos fatos, da verdade, do bom senso, da Justiça e do bem comum. É o que mais faturou até hoje, em tudo e por tudo. E, não obstante tudo, agora, usando mequetrefes sem discernimento pleno dos fatos ou sem coração, socando o ferro pra valer na população, inclusive asfixiando-a financeiramente, elle está tentando unir o útil ao agradável, para elle, é claro, enchendo as burra$ da sua trupe de banqueiros, agiotas, empresários bandidos e afins, como nunca antes visto na história deste país com os juros mais bandidos da história do planeta durante anos consecutivos, e, de quebra, apostando na quinta ressurreição do R$ com vistas às próximas eleições em 2018. Porém, com uma insensibilidade humana típica de psicopatas ataca de avestruz, finge que não vê que, desta feita, a população que já foi levada à loucura face a tantos desatinos políticos e econômicos, agora já está quase morta, não aguenta mais um novo 171 eleitoral em 2018. Aliás, nas condições que ai estão impostas pela economia e política dementes a população talvez não consiga nem mesmo chegar a 2018, acuada por impostos, taxas, tarifas, alugueis, esquemas, contas, credores implacáveis, e juros bandidos, impagáveis até mesmo mediante a velha forçação de barra do $istema falido podre que, com o estado e o mercado manipulados por bandidos, na verdade, caminha no sentido da geração do maior genocídio já visto em terras luso-tupiniquins. E eu sei do que estou falando, pois fui eu que sugeri a FHC, então ministro da fazenda de Itamar, o plano da moeda forte, que deveria ser usada apenas como um meio para se conseguir algum fôlego para que pudéssemos chegar um gran finale que deveria ser a travessia proposta pelo Projeto Novo e Alternativo de Política e de Nação (RPL-PNBC-DD-ME), mas que até hoje, há mais de 20 anos, infelizmente, ainda aguarda na fila de espera dos me$mo$, que usaram e continuam usando a suposta moeda forte, que veio à luz com o nome de real (colonialismo português), apenas como um fim eleitoral em si mesmo como instrumento das suas próprias vaidades, interesses e ambições pessoais, falcatruas, enriquecimentos pessoais e vitórias eleitorais mantenedoras do velho continuísmo da mesmice do establishment bandido que, em sã consciência, ninguém aguenta mais, exceto elle$ que, não obstante tudo, continuam nadando de braçada na grana, nos esquemas, nas vantagens e nos privilégios, sem limite$, enquanto a população morre à mingua. E é por tudo isso que eu grito. Basta. Chega dos me$mo$. Fora todo$. Democracia Direta Jà, com Meritocracia Eleitoral, porque evoluir é preciso. ” Liberdade, liberdade, abre as asas sobre nós.” https://www.brasil247.com/pt/247/economia/316395/Golpe-reduz-investimentos-ao-menor-n%C3%ADvel-em-10-anos.htm

  4. O grande e experiente Jornalista Sr. PEDRO DO COUTTO estima alta, a previsão do Ministro da Fazenda Sr. HENRIQUE MEIRELLES ( 71) PSD, de crescimento do PIB/2018 em +3%.

    A nosso ver, levando em conta que estamos partindo do “fundo do poço”, que a Inflação está dentro da Meta de 4%aa, que o Juro Básico SELIC recentemente baixou de 14,25%aa, para os atuais 8,25%aa, com viés de queda para 7%aa, especialmente que apesar das turbulências Políticas as Reformas estão em andamento, e muita coisa ainda serão aprovadas em 2017, e sobretudo que em ano de Eleição Presidencial haverá uma flexibilização da Política Monetária e grande injeção de CRÉDITO via Sistema Bancário Nacional e Internacional, porque o Governo não é tolo, e queimará “todos” os cartuxos em 2018.

    O Banco Mundial estima nosso PIB/2018 em + 1,8%, e o FMI em +1,7%, ambos com viés de alta.
    Recentemente já remarcaram para cima.

    Infelizmente, o grande Deficit Fiscal Federal dos últimos anos levou a elevação de nossa Dívida Pública a patamares insustentáveis, e as REFORMAS são necessárias para a volta da CONFIANÇA e consequente crescimento Econômico.

    A médio e longo Prazo, é o crescimento do PIB que faz crescer o Orçamento Federal e consequente aumento do Padrão de Vida do Povo, e não o crescimento do Orçamento Federal que faz crescer o PIB.

    Em função disso, nos parece que a previsão de crescimento do PIB/2018 em 3%, não está muito fora da realidade.

    • Tudo bem Flávio?

      Eu não acredito que haja mais cartuchos para queimar em 2018, como ocorreram em anos eleitorais no passado. Esse ano por exemplo os repasses do BNDES através dos bancos para as pequenas e médias empresas já caíram 70% porque o BNDES repassa o dinheiro para os bancos mas não dá garantias se houver calote e aí os bancos estão dificultando o acesso dessas empresas a esse tipo de crédito mais barato. Por outro lado, mas de 60 milhões de brasileiros estão com o nome negativado, sem crédito na praça. Com uma sociedade sem capacidade de endividamento de onde virá o crescimento da economia? Mesmo que o governo libere crédito através do Banco do Brasil e da CEF, como esse dinheiro chegará às empresas num ambiente recessivo? São questões importantes a serem discutidas antes de se fazer qualquer previsão de crescimento do PIB para 2018.

    • Sr. Flávio, bom dia, quer dizer que agora pode queimar todos os cartuchos porque não são tolos e será ano de eleição.

      Mas antes isso endividava o país, agora não?

      Explica isso.

      “e sobretudo que em ano de Eleição Presidencial haverá uma flexibilização da Política Monetária e grande injeção de CRÉDITO via Sistema Bancário Nacional e Internacional, porque o Governo não é tolo, e queimará “todos” os cartuxos em 2018.”

    • Sr. Flávio, para complementar, torço que isso aconteça, porque só medidas anticíclicas podem nos tirar da recessão, como reajuste de salários, crédito barato para quem não está negativado, distribuição de lucros para os empregados, etc.. etc.. e o principal: diminuir a ganância.

      Com a venda de nossas empresas nos tornaremos uma economia como a da Grécia, quando não tiver mais nada para vender de onde sairão recursos para fechar as contas, é aí que mora o perigo.

      Um bom dia.

  5. Esquizofrenia aguda

    Com o achado dos 51 milhões “o Brasil não será mais o mesmo” exatamente como falaram sobre o escândalo dos anões a cerca de 25 anos.

    Na democracia à brasileira a maioria de 3 milhões é maior do que 205 milhões; conseguem ter duas estabilidades, uma é que o estado não vai falir basta trabalhar, outra é a estabilidade que meteram na lei e não precisam nem parecerem ocupados para continuarem empregados como no atendimento a saúde que pode demorar anos e anos, os buracos que se acumulam, os serviços mal feitos,…. o lixo as chuvas carregam,…. (a sorte é que menos de 1% abusam)

    Aposentadorias integrais com reajustes como se estivessem na ativa,……… coisa linda!

    A iniciativa privada oferece concursos públicos grátis para milhares de candidatos a poucas vagas, são currículos, testes, alguns meses trabalhando antes de efetivar ou dispensar.

    No serviço público são obrigatórios concursos com pagamento de taxas e essa é a única diferença do “concurso” privado e muitos desses concursos públicos são apenas para regularizar a situação de indicados e apadrinhados,.

    Meias verdades; alguém pode ter dito que o país vai perder 20 bilhões com a queda da inflação e omitir que o país vai economizar, ganhar, pagar menos 40 bilhões de juros sobre a dívida com a queda de 1% na taxa selic devido a queda da inflação.

    Alguém pode ter ouvido só sobre a perda e usar os furacões lá na pqp para aumentar o preço dos combustíveis em mais de 10% em apenas uma semana,… com outros três furacões ativos teremos mais 30% de aumento?

    Com aumentos imbecis que por tabela vão aumentar o preço dos transportes públicos, os fretes, a produção em geral,…. viva a inflação!, como o pib vai crescer alguma coisa significativa?

  6. O BRASIL, “um país extremamente corrupto”, com “uma sociedade manipulada por ricos delinquentes”, entre os quais Geddel Mala$ é apenas um exemplo, infelizmente, não tem forças para se libertar da podridão sobre a qual assentou os seus pilares e vigas mestras, restando-lhe dai apenas a triste sina da lombriga que não consegue sobreviver fora da merda. Não no formato que aí está, e sempre esteve, tipo república 171, dos quais nos tornamos todos vítimas, reféns e súditos, há 127 anos, ainda que fantasiados de cidadãos. https://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2017/09/10/frente-e-verso/#comentarios

  7. Prezado Colega Sr. LUÍS HIPÓLITO BORGES,

    O senhor é Cartesiano e segue a mais pura Lógica na análise dos números. Mas o Consumidor/Produtor é um Ser Humano e segue mais as ” Leis da Psicologia “. Quando ele readquire a CONFIANÇA de que as coisas vão melhorar, a Economia cresce. E a CONFIANÇA, lentamente está voltando.
    O Brasil é um dos últimos grandes “Impérios a desenvolver, temos ainda muita margem de crescimento, Recursos HUMANOS e Materiais que um Japão, Europa e mesmo EUA, Países já muito Desenvolvidos, não tem mais”.
    Logo, no que as Condições ( Reformas) forem aprovadas, tudo o mais irá para os eixos.

    O senhor verá que o Governo num ano eleitoral, especialmente de Presidência da República, 2018, nos fará surpresas agradáveis de inúmeros poderosos Cartuchos. Minha “Secretária” escreveu acima “Cartuxo”, o que na verdade tem a ver com Padres Católicos de uma certa Ordem Religiosa, e como as Religiões estão indo bem, significa que nossa Economia também melhorará.
    Abração.

  8. Prezado Colega Sr. OBSERVANDO,

    Bom Dia. É que em Ano de Eleição Presidencial, “um outro Valor mais alto se alevanta”. Ganhar a Eleição.
    Então as sábias Leis da Economia Política ficam +- esquecidas por UM ano. Depois volta-se a elas.

    Em Ano de Eleição Presidencial segura-se a Inflação, o US$ Dollar, as Tarifas Públicas e se aumenta Salário Real, principalmente o Mínimo.

    Em Ano de Não Eleição Presidencial, se faz o contrário. Isso é assim em todas as Democracias do Mundo, só variando a intensidade. Nós aqui na América do Sul e Brasil, somos adeptos de enormes variações.

    É por isso que não me surpreenderia de ver um provável Candidato a Presidência da República como o Sr. HENRIQUE MEIRELLES ( 71) PSD, ter como principal bandeira da Campanha: Um SALARIAÇO para 2019. Alguma coisa assim eles estão bolando, podemos ter certeza.
    Abração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *