Midia luta desesperadamente para eleger Haddad e se livrar de Bolsonaro

Charge reproduzida do Arquivo Google

Carlos Newton

Na democracia, é preciso saber ganhar e saber perder, porque a principal regra é a alternância do poder. Mas na cleptocracia à brasileira, tenta-se ganhar a todo custo, seja nas urnas eletrônicas de baixa confiabilidade, seja no tapetão do Tribunal Superior Eleitoral. Agora, antes mesmo de se realizar o segundo turno, o PT e o PDT já se apressaram em recorrer ao TSE para pedir a cassação da chapa do PSL. 

Não há nenhuma prova material, consistente. Sabe-se, com certeza absoluta, que Jair Bolsonaro ou qualquer outro candidato não tem a menor condição de exercer controle sobre as redes sociais de seus admiradores. Mesmo assim, a direção do PDT encaminhou ao TSE, na sexta-feira, um pedido para anular as eleições. Além de não apresentar nenhuma prova material, nada nada, o partido pediu que a Justiça encontre as provas a respeito, vejam que maluquice – as provas para sustentar o processo eleitoral ficarão para depois.

FAKE ESCÂNDALO – O mais incrível é que toda a imprensa entrou na onda do “fake escândalo” criado pela Folha de S.Paulo, possibilitando a ruidosa repercussão de uma denúncia que não tem a menor confirmação e a mídia irresponsavelmente age como se o PT e os demais partidos também não tivessem usado as mesmas armas do PSL.

A imprensa está toda do lado do petista Fernando Haddad, que representa o criador do maior esquema de corrupção político-administrativa da História Universal. E isso acontece  porque todos sabem que vão perder faturamento com Jair Bolsonaro na Presidência w  estão produzindo “fakes escândalos”, uns atrás dos outros. O Estadão é o único que ainda tenta disfarçar, com seguidos editoriais atacando Lula da Silva e o PT. Mas o noticiário do jornal e as matérias distribuídas pela Agência Estado e pelo Estadão Conteúdo batem o tempo todo em Bolsonaro e poupam Haddad, que é sinônimo de faturamento garantido.

BRASIL DITADURA – A campanha difamatória contra Bolsonaro é implacável. No Jornal Nacional da TV Globo, há alguns dias foi divulgada com estardalhaço uma pesquisa indagando se o povo acha possível o Brasil voltar a ter outra ditadura. Diz o Datafolha que  50% dos entrevistados acharam ser possível. Só que, estrategicamente, não foi perguntado se a ditadura seria de direita ou esquerda, para associar diretamente a possibilidade de golpe apenas a um possível governo Bolsonaro…

A imprensa joga duro quando se trata de preservar seu faturamento com recursos púbicos. A crise é devastadora e já levou a Editora Abril à recuperação judicial, que é um codinome da antiga concordata. Outras grandes empresas estão balançando. E nesse clima la nave va, sempre fellinianamente. 

24 thoughts on “Midia luta desesperadamente para eleger Haddad e se livrar de Bolsonaro

  1. Não tenho certeza de que foi ela quem fez a carta, mas o texto é perfeito!

    Carta da Ministra Eliana Calmon, para uma sua Colega que se disse perplexa com a notícia de que ela apoiará Jair Bolsonaro.

    Prezada colega,

    Em resposta à sua perplexidade confirmo o meu apoio à candidatura de Jair Bolsonaro, não é fake.
    Nas eleições de 2014, concorri pela Bahia ao Senado, estando filiada simbolicamente à Rede que, sem oficialização, abrigou-se no PSB de Eduardo Campos.
    O nosso sonho, à época, era cavar a terceira via para em, 2018, termos condições de vencer as eleições: era sabido que Dilma não tinha condições de governar o pais por mais quatro anos, como terminou acontecendo.
    Infelizmente, Eduardo Campos, que despontou como um líder crescente, ameaçando o PT, acabou morrendo tragicamente e Marina Silva, massacrada publicamente pelo partido da situação não chegou ao segundo turno.
    Diante do que vivenciei, dentro dos partidos políticos, dos boicotes aos seus próprios filiados por venda da bandeira partidária a outros partidos, decidi afastar-me da política em definitivo, voltando a me filiar à Rede nas proximidades das eleições de agora, por insistência de Marina, mas sem candidatura.
    Com o resultado do primeiro turno, tive algumas surpresas. A mais agradável, a maturidade do eleitor brasileiro que, do Oiapoque ao Chuí varreu antigas lideranças, arquivou velhas raposas e deu espaço a novos e jovens candidatos que concorreram sem dinheiro e sem espaço partidário, usando simplesmente as redes sociais e a inteligência.
    Quero dizer com orgulho que até o Nordeste recebeu esses novos ventos, com algumas poucas exceções, sendo a Bahia um caso à parte, digno de um estudo sociológico em separado.
    A segunda grande surpresa foi a manutenção do PT no segundo turno, um partido que, depois de dezesseis anos no poder, deixou o Brasil em frangalhos, foi publicamente desmascarado como abrigo da quadrilha que devastou os cofres públicos, saqueou as estatais e aparelhou o serviço público, o que valeu a prisão de toda a cúpula, inclusive do seu chefe maior, em julgamento de lisura absoluta, acompanhado ao vivo e a cores por toda a nação.
    Para completar, seguiu-se o afastamento da ex-Presidente da República, também petista, por um Congresso majoritariamente filiado ao partido da situação, seguindo-se a posse de um vice
    escolhido pelo PT e por ele apresentado como conveniente, eleito democraticamente na dobradinha da chapa Dilma x Temer.
    Esse episódio político foi considerado pelo partido como golpe.Como golpe? Certamente um golpe democrático e constitucionalmente previsto, o que ocorreu porque o impeachment fugiu ao controle das forças dominadoras, que não contavam com o desenrolar dos fatos e a atuação parlamentar, acuada com a mobilização de uma população enfurecida com a escancarada corrupção.
    Depois de desfilar aos nossos olhos os bilhões dos saques e as consequências nas políticas públicas, volta o PT com um candidato que me repugna, como magistrada de carreira, espectadora política e cidadã. Assisti-lo debochando da ação, desrespeitando o Judiciário, empunhando na propaganda eleitoral uma
    máscara de um presidiário que, submetido em três instâncias a julgamentos, inclusive
    por magistrados que conheço de perto e sei da lisura e competência, anuncia sorridente que no dia 1º de janeiro subirá a rampa do Palácio do Planalto com ele, para governarem o Brasil.
    Mas não é só. O partido dito dos trabalhadores, ao sentir que não foi bem sucedido no deboche caricata de Lula-Haddad, Haddad-Lula, rapidamente mudou de tática ou de marqueteiro, passou a abolir a cor vermelha e a estrela da corrupção, aderindo às cores da bandeira brasileira e com o seu candidato pousando de bom moço junto a uma destrambelhada garota desajuizada, que não sabe sequer articular as idéias, mesmo que sejam elas boas ou ruins, não diz nada que tenha lógica.
    Bolsonaro não seria a minha escolha primeira mas foi o que restou de decência e pudor ao povo brasileiro, diante do que ficou.
    Acusam-no de fascista porque é militar? E o radicalismo do Partido dosTrabalhadores, o que é? E o apoio dado a conhecidas ditaduras da América Latina e a outras mais longínquas, em detrimento das nossas necessidades básicas de saúde, segurança e educação? Qual o nome que se pode dar a esse fenômeno dito democrático?
    Não posso mais me enganar, colega, já sei o que é o PT, convivo com ele há 16 anos e sofro as consequências de um pais destroçado financeira e eticamente, desacreditado e desmoralizado fora das nossa fronteiras. Tenho hoje pudor em dizer que pertenço a um país que tem a desfaçatez de permitir que as linhas mestras da política sejam dadas por dois presidiários, ou melhor, dois condenados por corrupção e lavagem de dinheiro, Lula e José Dirceu, usando mais uma vez a técnica dos factoides, Fernando Haddad e Manoela D´Ávila, dois bobalhões que se submetem ao ridículo com naturalidade.
    Esta é a primeira vez que estou revelando as razões de minha postura política. É também um desabafo, o primeiro que faço desde que, na quarta-feira, dia 11 de outubro, atendi ao convite para participar da campanha de um candidato de um partido minúsculo, sem fundo partidário, sem dinheiro de empresário e sem recursos dos cofres públicos, em favor de um candidato ficha limpa que há mais de 30 anos é político e nunca se misturou com a podridão parlamentar usada pelo PT como seu passaporte para os milionários desfalques.
    Não consegui encontrar na vida do candidato nada que possa denegrir a sua imagem, senão tolas frases soltas, até pueris ou em tom de bravata, quando se viu acuado pelos adversários e pela mídia que sequer respeitam o seu estado de saúde.
    Estou tranquila, estou em paz com a minha consciência e, tenha a certeza: farei o que estiver ao meu alcance, para que o Brasil experimente o novo, o mais adequado para esse momento em que estamos pretendendo inaugurar um país com moralidade e dignidade cívica, ingredientes sem os quais de nada valerá fortalecer a economia. Os valores da nação precisam voltar aos seus lugares.
    Obrigada, colega, pela oportunidade que me deu de falar com o coração e dizer, com tranquilidade, que escolhi o que melhor me pareceu sem estar influenciada por mídia alguma, senão pela minha experiência de vida.
    Afinal, “o diabo é sabido não por ser diabo, mas porque é velho”.

    Em sáb, 13 de out de 2018 às 22:30,

    Eliana Calmon

    • … sendo a Bahia um caso à parte, digno de um estudo sociológico em separado.
      —-
      Não tem jeito dona Eliana, pra consertar a Bahia só um milagre. Como milagre não existe. temos que continuar engulindo Caetanos e Gils.

    • Espetacular! Pelo visto, nem tudo está perdido, apesar de Celsos de Mello, Toffolis e Gilmares. No judiciário deve ainda haver outras Elianas – é a nossa esperança.

  2. Quer dizer que na falta de provas, estas criaturas vis a abomináveis, querem que a Côrte se vire para dar a eles, provas de algo que possam usar? O que está acontecendo com este país? O fato é que os comunistas tem o Brasil como o “el dorado” deles e vão continuar tentando. Não foi no jeito. Que o povo se prepare.

  3. consultei meu xará; ele me disse que rabulamente falando o ônus da prova compete, preliminarmente, a quem postula em juízo, podendo acrescê-la empós por sua ou requerimento da parte contrária…

  4. Newton aborda a questão principal que tentará, de todas as formas, impedir que Bolsonaro seja eleito, a imprensa.

    Não estão em jogo apenas o Planalto, a ideologia de esquerda e de direita, reformas políticas e tributárias, mas, conforme venho escrevendo, interesses e conveniências partidárias, pessoais e comerciais poderosas!

    A mídia testa a si mesma.
    Precisa verificar pela primeira vez se ainda domina a opinião pública absolutamente ou o cidadão consegue discernir individualmente, não sendo mais influenciado pelos tais formadores de opinião.

    Nesse lesco lesco, torna-se evidente que os objetivos dos que lutam desesperadamente para Bolsonaro ser derrotado não pensam no país e povo, pouco importa se Haddad indultará Lula, se este será ministro, se o PT voltará a roubar e explorar a população, se definitivamente iremos à bancarrota, nenhum desses motivos gravíssimos importam.

    A competição acirrada entre PT e PSL diz respeito a mudanças, que Bolsonaro já declarou que irá fazê-las, e que Haddad quer deixar o Brasil à mercê do modo de governar petista, isto é, o retorno da corrupção, das negociatas, dos acordos espúrios, preços superfaturados, e ter duas ou três estatais de onde roubarão seus faturamentos.

    Agora, qual seria a razão de a mídia ser tão contrária a Bolsonaro?
    Newton esclareceu no seu artigo em tela:
    Bolsonaro mudará o sistema atual de publicidade oficial, onde os antecessores do deputado abarrotaram os cofres dos veículos de comunicação para que divulgassem apenas o que seria bom para o governo, e se acostumaram com essas verbas bilionárias, e cuja fonte secará!

    A campanha da Globo é abjeta, mal intencionada, objetivada em derrotar Bolsonaro de qualquer maneira, pois jamais o perdoará pela insolência de ter dito dentro dos estúdios da plim plim, que o seu dono, Marinho, era favorável à ditadura, e se lembrando de cor tais declarações!

    A partir daquele momento, Bolsonaro se tornou inimigo, que deve e precisa ser derrotado, e sem regra alguma este combate.

  5. O Globo não engoliu a insolência de JBolsonaro, por estar dentro de seus estúdios e lembrar a todos a fala do Sr.Roberto Marinho.
    Agora quer castigar o Jair.
    Francamente

  6. Nunca o PT, que rotulou a mídia de Mídia Golpista dependeu tanto da ajuda desesperada da própria Mídia Golpista. E esta aceita cordeiramente com a missão que o PT lhe atribuiu.

  7. A grande imprensa imunda rasgou a fantasia e desesperadamente deseja ir contra a vontade da maioria dos cidadãos brasileiros.

    Ela fará de tudo para tentar demolir Bolsonaro, que representa o começo de uma grande limpeza moral de que o país precisa urgentemente.

    Pouco importa o desenvolvimento do país para essa grande imprensa imunda. Importa-lhe apenas que sejam mantidas as mamatas publicitárias com volumosas verbas públicas.

    E Bolsonaro não pretende permitir que essa farra continue eternamente.

    É nojento ver tudo o está acontecendo.

    Mas o país vai mudar. Quem quer pode.

  8. Uso transporte público, táxi, faço compras no saara aqui no Rio, vou ao supermercado. Há meses aconselho aos incrédulos sentirem o “cheiro” da opinião das pessoas. E esta é anti-PT há muito tempo.
    Só os empedernidos do ar condicionado e do folgado horário estatal não perceberam que Bolsonaro vai ganhar tranquilamente.

  9. Será que a Andrea Sadi será novamente convocada para fazer com Bolsonaro o que ela fez desde o dia da posse de Temer o destruindo por inteiro ??? Quem será o convocado para contar mentiras e tentar destruir Bolsonaro após a noite de Domingo ?? Tem Jornalistas da Globo que até a infancia de Bolsonaro investigou para fazer o mesmo que Temer, mas ele é honesto, ele não pertence aos iguais deles do PT e Quadrilhas Organizadas. Por quê ninguém ontem falou do Engenheiro da Odebrecht que foi solto após pagar uma minima fiança de 20 milhões de reais e ainda entregar os números das Contas do Beneficiários do PT e PMDB no Exterior, será que Camarotti e Andrea Sadi não viram a notícia no Jornal das 18 horas ???? PT e PMDB roubaram só em projetinhos de construir obras no exterior para o Foro de São Paulo coisa de mais de 825 Milhões de Dolares(dinheiro nosso roubado pela quadrilha petralha viu Toffolli), e Camarotti, Miriam Leitão e Sadi silenciaram, foi PT e PMDB juntos !!!!! Dá nojo ver a Globonews !!!!!

  10. A grande imprensa se tornou abertamente tendenciosa e isso não é de hoje, nem só contra Bolsonaro. Lembram daquela capa da Veja com uma foto antiga de identificação criminal do Marcelo Crivella, com número no peito, saída na véspera da eleição pra prefeito, num pra lá de óbvio gesto de desespero para empurrar pra frente a candidatura do radical chique Marcelo Freixo?

  11. Artigo perfeito do editor.

    Mas, tudo isso nos remete ao principal problema deste país: a educação.
    Enquanto se insistir nessa que está aí, o brasileiro sempre será um crente em “verdades’ ideológicas, o que consequentemente o afastará da realidade e colocará o país na contra mão do mundo como está e sempre esteve há décadas.

    Desenhando: no ensino fundamental já se inicia a lavagem cerebral, que se completa nas universidades nas humanas.

  12. É elogiosa a posição do jornalista CN ao admitir que o problema da mídia com Bolsonaro é a Bolsa Mídia que distribui dinheiro público para estas empresas manterem o status quo da corrupção e da roubalheira (tenho outros jornalistas também que já se posicionaram a favor da liberdade e do verdadeiro jornalismo). Os artistas sofrem da mesma doença, Gilberto Gil deixou várias bolsas para os companheiros. É a doença Mamas tetas pública, vírus que tira todo o caráter do indivíduo. Estes vigaristas querem mesmo é dinheiro público para manter sua vida “comunista” em Nova York ou na França.

  13. Se o povo brasileiro soubesse realmente o que aconteceu com aqueles exilados “à força deles mesmo” na Europa iam pedir a prisão deles, voltaram ricos com as mentiras que plantaram e ainda plantam até hoje, todos tem Contas Altas no Exterior e a Mídia silencia pela perpetuação dos crimes contra o Brasil. O resultado de todos esses “defensores do povo” nas Américas tem o seu legado na miséria do Povo Cubano, Venezuelano, Hondurenho, El Salvador e por aí vai, esse é o legado desses facínoras, basta ver essa marcha de miseráveis das Américas Latina e Central rumo aos EEUU !!!

  14. E tem outra coisa: quem pactua com estes facínoras concorda com as atrocidade cometidas na Venezuela, Cuba, Honduras, Coréia do Norte. Independente da ideologia que os brasileiros fiquem do lado da liberdade. Só olhar onde o vagabundo do Molusco colocou o dinheiro do BNDES e vamos ver quem são os ditadores no Brasil.

  15. Estou pensativo. Qual é o pior? O fim do bolsa mídia ou o controle social da mídia?
    Este último foi pouquíssimo debatido, única menção foi que só está no programa petista para satisfazer os caprichos do militantes que abusam da nossa inteligência no bordão mídia golpista.
    Carlos Newton, por favor faça um artigo sobre o tal “controle social” da mídia, judiciário, MP…

    • Sem dinheiro do governo, a mídia não se sustenta. Mas a divisão das verbas precisa ser equilibrada, para não beneficiar determinadas empresas.
      Depois a gente fala sobre isso, professor Henrique Guimarães.

      Forte abraço,

      CN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *