Milton Campos, senador

O brilhante e bravo advogado José Carlos Werneck mandou carta (publicada) sobre o grande representante de Minas. Deputado à Constituinte de 1946, em 1947 foi eleito governador. Renunciou na Câmara assim que foi diplomado, não esperou a posse.

Motivo: Afonso Arinos de Mello Franco não se elegeu, ficou segundo suplente na Câmara. Renunciando, Milton abriu uma vaga na bancada mineira. Convocou Magalhães Pinto para Secretário de Finanças, ele aceitou e também saiu imediatamente para que Afonso Arinos entrasse.

Gestos que hoje não se repetem. Afonso Arinos foi das grandes figuras do seu tempo, também duas vezes senador, DA REPÚBLICA, como gostam de apregoar alguns suplentes. Os eleitos, são todos DA REPÚBLICA, redundância juntar as duas palavras. (Exclusiva)

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *