“Morreu esse assunto”, diz Mourão sobre promoção do filho no Banco do Brasil

O vice-presidente Hamilton Mourão participa de cerimônia de transmissão de cargo do comando da Marinha Foto: Evaristo Sá/AFP/09-01-2019

O assunto não morreu, Mourão é que tenciona matá-lo…

Eduardo Bresciani
O Globo

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, considera superada a polêmica causada pela promoção de seu filho , Antonio Hamilton Rossel Mourão, para o cargo de assessor especial da Presidência do Banco do Brasil. “Esse assunto é um assunto morto. Morreu esse assunto” — disse Mourão ao Globo.

Como revelou a revista Época na terça-feira, um dia após o presidente Jair Bolsonaro ter dado posse ao novo presidente do banco, Rubem Novaes, o filho de Mourão foi nomeado para o cargo de assessor especial da Presidência, elevando seu salário de R$ 14 mil para R$ 36,5 mil.

SEM DISCUSSÃO – Nesta quinta-feira, ao ser questionado pelo Globo, o vice, além de dizer que o assunto está encerrado para ele, afirmou que sequer precisou discutir a polêmica com Bolsonaro.

— Não teve necessidade (de falar com o presidente). É uma coisa interna da instituição, que é uma S.A. (sociedade anônima) — afirmou o vice-presidente.

O filho de Mourão é funcionário de carreira do BB e está na instituição há 18 anos. Nos últimos 11 anos, fazia parte da diretoria de Agronegócios. Ele deve assessorar o presidente nesta área.

JUSTIFICATIVA – Na terça, ao justificar a promoção, o presidente do banco, Rubem Novaes, afirmou que o funcionário possui excelente formação e capacidade técnica.

“Antônio é de minha absoluta confiança e foi escolhido para minha assessoria, e nela continuará, em função de sua competência. O que é de se estranhar é que não tenha, no passado, alcançado postos mais destacados no Banco”, disse, por meio de nota.

MERITOCRACIA – Também na terça, o próprio vice-presidente afirmou numa rede social que seu filho foi nomeado por ter “absoluta confiança” do novo presidente do banco, além de ter prestado “excelentes serviços” e ter “conduta irrepreensível”. Mourão ainda disse que nos governos anteriores “honestidade e competência” não eram valorizadas.

Nesta quinta, em entrevista ao jornal “O Estado de S. Paulo”, Mourão voltou a defender a indicação do filho, dizendo que, se pudesse, teria Rossel Mourão em sua equipe.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Mourão disse também ao Estadão que o filho sofrera “perseguição” em outras gestões. Pelo contrário, foi beneficiado. Além das oito promoções na era PT, foi transferido para Brasília para ficar perto do pai. Por fim, Mourão está enganado ao dizer que “o assunto está morto”. Esse tipo de assunto não morre nunca. Como na canção de Chico Buarque e Ruy Guerra, fica gravado no corpo feito tatuagem. (C.N.)

16 thoughts on ““Morreu esse assunto”, diz Mourão sobre promoção do filho no Banco do Brasil

  1. Certíssimo General. Não fica dando corda para comunista, vão procuro pelo em ovo. A seita continua a perseguição implacável como se não soubesse o que significa cargo de confiança. Agora se fosse o João do sindicato que iria repartir o salário com os comuna, aí tudo bem.

  2. O presidente do Banco do Brasil deveria ter indicado um sindicalista para o cargo. O filho do Mourão não pode exercer cargo de confiança, deve ser réu com sentença condenatória em 2 grau. Ou então deve pertencer a alguma gangue. Chama a Gleise, o Lula, os filhos do Lula, os filhos do Temer, estes são de confiança.

  3. Ainda bem que do filho do Mourão, a gente sabe de onde vem o dinheiro, diferente dos filhos de “uns e outros”, que ficaram milionários da noite para o dia,
    sem que alguém soubesse de onde vem a grana.
    Dizem que a Rose, aquela tal, esta na rua da amargura, sem lenço, nem documento, ,ou dinheiro no bolso para gastar, como diria Caetano, esperando para também para fazer delação premiada.

  4. Pra ficar rico ,mesmo, tem que ser catador de merda de zoológico, vender Avon e saber fazer ctrlc e ctrlv.
    Quem mandou o Mourão fazer seu filho estudar e passar em um concurso para o BB.?

  5. Esse assunto precisa ser esclarecido e seus participantes, inclusive o General Mourão, punidos da forma mais severa possível. Assim os bilhões economizados com a retirada da nomeação do filho do General poderão ser direcionados para finalidades mais relevantes como o pagamento dos advogados de Rosemary Noronha, por exemplo, ou outro fim mais nobre como o financiamento dos governos humanistas de Cuba e Venezuela, etc.

  6. Isso se chama nepotismo.

    Quanto um idiota desse governo pratica uma lambanças os fanáticos, do “Bolsonildo” se desdobram para justificar o injustificável, e vem pra TI escrever um monte de besteira..

    Vão pastorar porcos, bando de imbecis!

  7. Quem em 18 anos de banco teve 8 promoções é sinal que deve ser competente, o resto é mímimi.
    Pela lógica dos que criticam, mesmo ele sendo funcionário de carreira, competente, da área que abriu vaga e da confiança do Presidente do BB, não poderia ser promovido enquanto seu pai fosse vice Presidente?
    É correto barrar a ascensão profissional dele por causa do cargo do pai?

  8. “Morreu” coisa nenhuma!!! Ele pensa que esta no quartel onde a ultima palavra era a do comandante. Frequento uma irmandade fraterna chamada IRMAO ESTEVAO e la ha inúmeros oficiais militares e a grande maioria do exercito e TODOS que ja serviram sob seu comando sem exceção disseram que Mourao sempre foi autoritário. Mesmo tendo ouvido isso sempre nutri certa simpatia gratuita pelo General. Hoje em dia, não mais!!

  9. O PT foi generoso com o pupilo de Mourão :

    21 de maio de 2003 = Foi promovido para gerente de contas ll
    05 de março de 2003 = Foi promovido para Operador financeiro Jr.
    09 de agosto de 204 = Foi promovido para analista pleno na diretoria de agronegócios .
    14 de maio de 2007 = Foi promovido para gerente de negócios na superintendência de varejo.
    18 de junho de 2007 = Foi promovido para analista na mesma superintendência .
    21 de julho de 2008 = Foi promovido para analista sênior , no DF
    10 de dezembro de 2012 = Foi promovido para analista sênior na gerencia de negócios .
    08 de maio de 2013 = Foi promovido para analista empresarial na gerência de negócios .

    Olha a ingratidão Mourão !!! Que coisa feia !!!

  10. Esse tipo de assunto morre sim, porque não tem cabimento nenhum. É dor de cotovelo dos esquerdopatas. Por ser filho do general Mourão, o Antônio será prejudicado? Ora, vão caçar maridos. O Antônio vai ficar lá sim, porque é funcionário de carreira, é honesto, é competente e, principalmente, é da confiança do presidente do Banco do Brasil. As mariposas podem requebrar à vontade, mas é assim que vai ficar e ponto final. O Antônio vai ajudar a desratizar o Banco do Brasil. Fora petralhas. Vão ajudar a Venezuela.

  11. A seita comunista empregou mais de 300.000 petistas, comunistas, socialistas, sindicalistas e assaltantes de bancos.

    Não têm moral alguma para abrir suas pocilgas e falarem qq coisa contra o governo atual.

    Perderam milhares e milhares de boquinhas e ainda irão perder suas bolsas ditaduras e outros meios delituosos contra o erário.

    Mande todos para aquele lugar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *