Na era da mediocridade, o deputado da “tatuagem” é o novo líder do Solidariedade

Wladimir Costa foi eleito líder por unanimidade

Daiene Cardoso
Estadão

Por unanimidade, a bancada do Solidariedade escolheu  o deputado Wladimir Costa (SD-PA) para assumir a liderança do partido na Câmara. A sigla tem 14 deputados no exercício do mandato. Em seu quarto mandato, Costa se notabilizou pela defesa efusiva do presidente Michel Temer na Casa.

Em nome da fidelidade política ao presidente, o deputado chegou a tatuar com henna o nome do emedebista no ombro. Em nota divulgada pela assessoria da liderança do Solidariedade, Costa ressalta que tem “ótima” relação com o Palácio do Planalto. “Esse é meu diferencial e já trabalho desde já para afinar a relação da nossa bancada com o governo, em busca de apoio para nossas ações em benefício do país”, disse.

REPRESENTAÇÕES – No ano passado, o parlamentar enfrentou duas representações no Conselho, mas os processos foram arquivados. Um deles se referia ao episódio da tatuagem temporária. Ao ser abordado por uma jornalista sobre a veracidade da tatuagem, o deputado respondeu “para você só se for de corpo inteiro”. Durante a votação no colegiado, Wladimir alegou que não faltou com respeito a jornalista e que a declaração foi uma brincadeira com o grupo que o entrevistava.

Os conselheiros entenderam que o processo não deveria prosseguir. No segundo caso, o deputado paraense foi acusado de ter distribuído em um grupo de WhatsApp formado por parlamentares da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle (CFFC) imagens da filha adolescente da deputada Maria do Rosário (PT-RS).

SEM COMPROVAÇÃO – Na representação, o PT dizia que a montagem mostrava a jovem em trajes íntimos ao lado do deputado Eduardo Bolsonaro (PSC-SP), de terno e gravata, com a legenda: “É na educação dos filhos que se revelam as virtudes dos pais”. O parecer aprovado que arquivou o prosseguimento do segundo processo contra o deputado sustentava que não havia como comprovar a autoria e a materialidade dos fatos narrados na representação.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGO Solidariedade está mesmo mal das pernas em suas escolhas. No fim do mês passado, o partido indicou o filho de Wladimir, estudante de apenas 22 anos, para o cargo de delegado federal da Secretaria Nacional do Desenvolvimento Agrário, com salário de R$ 10 mil e com a responsabilidade de administrar recursos no valor de R$ 100 milhões no Pará. Um detalhe, Yorann Costa tentou entrar em universidades públicas cinco vezes entre 2013 e 2015, sendo reprovado ou aprovado através de repescagem. Agora, por unanimidade, o Solidariedade elege Wladimir líder da bancada. Resta saber se estão tratando de política ou de shows de entretenimento. O político adora um espetáculo. (M.C.)

2 thoughts on “Na era da mediocridade, o deputado da “tatuagem” é o novo líder do Solidariedade

  1. Enquanto a ultra direita vibra com a intervenção militar no Rio, e delira com a ideia que a pauta da segurança vai definir as eleições de 2018… ai vem a pesquisa Ibope como uma ducha de água fria.

    Pesquisa realizada entre os dias 7 e 10 de dezembro de 2017 revela que a prioridade do povo não é segurança e muito menos corrupção!

    Para o povo, a prioridade deve ser saúde, aumento do salário mínimo, controle da inflação, redução dos impostos, geração de empregos e melhoria da educação.

    Isso sim, é sabedoria popular!!! O povo aponta o caminho para sair da crise!!

    O aumento do combate as drogas, o combate a violência e criminalidade, combate a corrupção e a redução dos gastos públicos tem baixa prioridade junto ao povo.

    Os números do Ibope explicam o crescimento da candidatura de Lula: o povo quer um governo comprometido com a melhora do serviço público e com o aumento dos salários, ao invés de um falso moralista qualquer posando de paladino contra a corrupção.

    https://goo.gl/r8MqaB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *