Na ONU, chanceler de Bolsonaro se posiciona como se fosse ministro de Trump

O chanceler Ernesto Araújo no Conselho de Direitos Humanos da ONU

Ernesto Araújo fez um papel feio ao se apresentar na ONU

Bernardo Mello Franco
O Globo

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, não virou o disco após a derrota de Donald Trump nos Estados Unidos. Em sessão do Conselho de Direitos Humanos da ONU, ele voltou a fazer discurso conspiratório contra as medidas de combate à pandemia do coronavírus.

O chanceler de Jair Bolsonaro disse que “sociedades inteiras estão se habituando à ideia de que é preciso sacrificar a liberdade em nome da saúde” e que “não se pode aceitar um lockdown do espírito humano”.

DISCURSO DO ÓDIO – Ele também atacou as redes sociais que bloquearam os perfis de Trump e de ativistas de extrema direita nos Estados Unidos e no Brasil. As plataformas passaram a agir para conter o discurso do ódio e a disseminação de notícias falsas.

Na ONU, Ernesto descreveu as medidas como “tecnototalitarismo”, “censura” e “controle social”. Parecia um ministro de Trump, não o chanceler do Brasil.

4 thoughts on “Na ONU, chanceler de Bolsonaro se posiciona como se fosse ministro de Trump

  1. A direita não deu certo no poder, nem mesmo armada até os dentes com a sua famigerada ditadura militar por 21 anos consecutivos, o centrão idem, e a esquerda ibidem. E agora ? Quid Juris ? A constatação, a questão e a reposta. ABAIXO A VELHA POLÍTICA. Basta. Chega dos me$mo$. Fora todo$. QUE VENHA AGORA a Nova Política de Verdade, tal seja o Megaprojeto Novo e Alternativo de Política e de Nação, com Democracia Direta e Meritocracia, com Deus e o Povo na Causa, linha direta, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso, que nada tem a ver com a velha política e seus pupilos de estimação tipo Lula, Bolsonaro, Haddad, Dino, Dória e Cia da mesmice, inclusive Ciro Gomes, que criticou tanto a tal “aliança de moral frouxa” do PT no governo da república, do qual fez parte, mas que, agora, ao cortejar Kassab (PDS), Penna (PV-MDB), Maia (DEM-ARENA), ex-parceiros do lulopetismo, dá a impressão de que vale tudo por mais uma tentativa de chegar lá. POR TUDO ISSO, o ideal é que a Nova Política de Verdade lidere o processo político e eleitoral e não aceite ser liderada, nem que seja à moda antes só do que mal acompanhada, com apenas um só partido que seja, na Causa, desde que seja um partido de verdade, honesto, idealista, desprendido, corajoso, ousado, revolucionário, comprometido com o sucesso pleno do bem comum do conjunto da população, certo de que com Deus e o Povo na Causa, diretamente, a vitória virá, naturalmente, sem precisar se misturar com a patota viciada no velho sistema apodrecido, nos velhos esquema$ eleitorai$. http://www.tribunadainternet.com.br/pf-indicia-kassab-e-mais-dois-por-corrupcao-passiva-e-lavagem-de-dinheiro/?fbclid=IwAR0StuicHfbRm1svoMucElGyjP8POlf8un12fNQBk_ZFNUbRNWBYPhluWEg

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *