Nas eleições presidenciais de 2018, será hora de fazer o diabo, de novo

Resultado de imagem para eleições de 2018 charges

Charge do Duke (dukechargista.com.br)

Percival Puggina

Novamente é quase três da madrugada na necrópole da República. Hora de cultos satânicos, quebrantos e esconjurações. Ágeis como drones, bruxas esvoejam entre lápides e ciprestes. Taumaturgos de colarinho branco presidem cerimônias.  Quem ainda não percebeu, em breve será arrastado para as consequências destes dias. Neles se reproduz o ciclo repetitivo e funesto muito bem definido por Dilma em 14 de março de 2013.

Antecipando, então, campanha eleitoral em João Pessoa, ela afirmou: “Nós podemos fazer o diabo quando é a hora da eleição, mas quando estamos no exercício do mandato, temos que nos respeitar“.

E FEZ-SE O DIABO – O público presente talvez tenha tomado a primeira oração como exagero e a segunda como compromisso. No entanto, o diabo foi feito e o desrespeito derrubou a casa. Um ano e pouco mais tarde, já com a disputa eleitoral em marcha, ante público de seu estado natal, Lula disse a Dilma: “Eles não sabem o que nós seremos capazes de fazê, democraticamente, pra fazê com que você seja a nossa presidenta por mais quatro anos neste país“.

Os meses seguintes contêm minuciosa narrativa daquilo que, de fato seria feito, “democraticamente”, para assegurar mais quatro anos para a presidenta. É do diabo que estamos falando.

Se há algo que sabemos sobre as potências das trevas é que elas não mudam de caráter nem de objetivo. O discurso de Lula aponta para a volta ao seu pior estilo, aquele anterior à carta ao povo brasileiro, com ódio exacerbado, afinação bolivariana e cheiro de enxofre.

É NOSSA TRADIÇÃO – Cenários como os que se desenham para 2018 fazem parte da nossa tradição presidencialista. As “virtudes” tomadas em maior conta no recrutamento dos presidenciáveis jamais influiriam na escolha de executivo para uma pequena empresa que almeje sucesso. Mas, se é para presidir a República, tendo voto, qualquer um serve. Causa angústia saber que, periodicamente, apostamos o presente e o futuro do país num cassino eleitoral matreiro, desonesto, onde, em acréscimo a tudo mais, sequer as urnas são confiáveis.

Em menos de um ano saberemos quem dirigirá a república no quadriênio entre 2019 e 2022. Até lá, vamos para o mundo das trevas, onde tudo é incerto. A irracionalidade do sistema de governo e o vulto dos poderes em disputa, concentrados em uma única pessoa, levarão insegurança e instabilidade ao desempenho dos agentes econômicos.

DOCES E TRAVESSURAS – Dependendo do lado para onde for a carroça, cairá a Bolsa, subirá o dólar, cessarão os investimentos. Afinado com as bruxas, o Parlamento só se interessará por doces (agrados e favores) e travessuras (contas ao pagador de impostos). Tudo virará moeda nas mãos de quem tocar o sino na hora do diabo.

A revista The Economist divulga um índice de democracia pelo qual 167 países são pontuados em relação a processo eleitoral e pluralismo, funcionamento do governo, participação política, cultura política e liberdades civis. Entre os 20 primeiros lugares, apenas os dois últimos são presidencialistas. E nós estamos no 51º lugar. Um dia a ficha cai e exorcizamos esse modelo político.

31 thoughts on “Nas eleições presidenciais de 2018, será hora de fazer o diabo, de novo

  1. “E nós estamos no 51º lugar. Um dia a ficha cai e exorcizamos esse modelo político.” Com o $istema político podre elegendo bandidos, parlamentarismo, voto distrital, monarquia e o escambau, não passam de apenas mais 171 partidário-eleitoral, ou golpista ditatorial. Pela sua ótica da ditadura militar ou a monarquia, ou o império, teriam resolvido o Brasil. O diabo reside no $istema de eleições e no voto viciado que, no Brasil, infelizmente, nasceu com defeito congênito, o resto são consequências.

    • Desculpe, mas sua observação preserva o vício comum: está ruim, mas não mexe. O fato, empírico e lei quase “universal”, é que a regra do jogo influi na conduta dos jogadores. E, na política, determina, ademais, quem senta para jogar.

      • Sr. Jornalista Percival Puggina, no último parágrafo de sua matéria entendi que, na sua opinião, o melhor sistema é o parlamentarismo para podermos ter uma boa democracia . Inclusive citando a revista The Economist, verifiquei no site desta revista e tirei algumas conclusões.

        1- Eleição é um processo caro, no parlamentarismo teríamos duas. Uma para eleger um Presidente e outra para eleger o primeiro ministro. Ou então retornássemos para Monarquia.

        Obs: eu sei que no Parlamentarismo quem vota é o congresso.

        2- Os países com melhores democracias, segundo o site, são: Noruega, Suécia, Islândia, EUA, Austrália, Alemanha, Dinamarca, Holanda, Inglaterra etc…

        3- Esses países pagam juros de quase 0% para rolarem suas dívidas e têm um bem-estar social muito grande e uma grande divisão da riqueza, apesar das suas dívidas serem também altas.

        Não tem nada a ver democracia boa com sistema de governo, só existe democracia boa quando a renda do país é dividida.

        Não por coincidência são países socialistas.

        • Prezado, para sua consideração: segundo o Index of Economic Freedon, elaborado pela Heritage Foundation, os países que o senhor mencionam ocupam a parte mais alta da tabela das liberdades econômicas, respectivamente nos seguintes lugares entre 186 países:
          Austrália: 5º; Reino Unido 10º; EUA 11º; Dinamarca 12º; Alemanha 16º; Holanda 17º; Suécia 23º; Islândia 26º; Noruega 27º. Socialista???? De onde saiu essa informação? O Brasil, nessa lista das liberdades econômicas está em 118º lugar. Dê uma olhada aqui: https://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%8Dndice_de_Liberdade_Econ%C3%B4mica e aprenda dos números.

      • Pelo contrário, tá ruim ? Mexe, porém para resolver e melhorar, e não para piorar ou só enganar e nada de fato mudar, forçando ilusões de óticas.

  2. De pacto com o diabo, a esquerda sabe muito bem fazer e vender a alma também esta no roteiro deles.
    Na campanha para a primeira eleição do lula, os pastores evangélicos, em quase a sua totalidade eram contra ele.
    Quando foi eleito, o que se viu, foi quase toda a bancada dos “crentes” passar a fazer parte da base “alugada”.
    Então imagina-se que a turma do “amem jesus”, pouco se importa quem seja a “divindade”, o negócio são os resultados favoráveis, e que o dinheiro da “coleta” esteja garantido.

  3. No Brasil, não importa o modelo político, sempre será dado um jeito de corrompe-lô. O brasileiro entrou na onda de sempre levar vantagem, havendo lucro vale tudo. E mesmo enganados, os brasileiros não deixam de utilizar um produto, ou de lutar por seus direitos. Falta de ética, comodismo, preguiça, falta de amor pelo próximo, principalmente. Isso tudo, que já fazia parte da vida dos brasileiros, com o descambo político, virou quase uma regra. Honestidade não é mais regra, mas excessão, tanto que quando alguém acha uma quantia de dinheiro na rua, em devolvendo, vira notícia de jornal. Precisamos repensar o Brasil, e muito.

  4. *Agora os Brasileiros já sabem que serão às Urnas Eletrônicas Bolivarianas que definirá o próximo presidente de ESQUERDA a ser eleito. BEM QUE LULA ALERTOU Lula disse a Dilma: “Eles não sabem o que nós seremos capazes de fazê, democraticamente, pra fazê com que você seja a nossa presidenta por mais quatro anos neste país“.

  5. Acabaram com o regime militar malvadão para promulgarem a Constituição -cidadã, cheia de direitos democráticos . E veja que maravilha está o pais agora! Um primor.

    • Detesto todo tipo de ladrões, inclusive esses: Fraude em licitações, corrupção passiva, corrupção ativa, peculato, estelionato, desvio de recursos públicos durantes 10 anos, participação de todo tipo de patente militar (do cabo até a elite militar), 60 denúncias e já identificados R$ 191 milhões em desvios de recursos públicos. Esse é o retrato do que constatou o próprio MPM (Ministério Público Militar) nas Forças Armadas do Brasil. O valor de R$ 191 milhões é resultado de um levantamento feito pelo UOL com base em informações repassadas pelo MPM.Recentemente uma quadrilha formada por militares foi presa no Rio de Janeiro. De acordo com a reportagem, das 60 denúncias, 59 foram encaminhadas ao TCU (Tribunal de Contas da União) em meados de setembro. O encaminhamento foi feito a pedido do tribunal como parte dos procedimentos de controle das contas das Forças Armadas. O órgão é um dos responsáveis pela análise das contas públicas das Forças Armadas. A que ainda não foi encaminhada ao TCU ainda está sob sigilo e aguarda uma decisão da Justiça Militar para se transformar em ação penal.

  6. Se tivéssemos mantido o parlamentarismo monárquico, talvez as coisas fossem diferentes. Mas um pequeno bando de idiotas e oportunistas fizeram uma INTERVENÇÃO MILITAR em 15/11/1889 e então começou o desastre…

  7. É impressionante um homem culto como Puggina deleitar-se em policiar o passado e com bola de cristal prever o futuro, esquecendo o presente em que ladrões com nome e identidade nos assaltam diariamente. Nem uma palavra. Prefere baixar a borduna na Dilma como se ela fosse culpada de tudo o que aconteceu. Absolve Temer, Jucá, Padilha, Gedel, Moreira, Cunha, Coelho, Picciani, Cabral e centenas de outros criminosos. Só assim podemos entender. Tanta coisa para falar alertando o povo e Puggina esquece. Vejamos: Base de Alcântara, petróleo, venda de terras brasileiras para estrangeiros, entrega do quadrilátero mineral da Amazônia para canadenses, americanos e israelenses. Incendios criminosos possivelmente incentivado por pecuaristas destruindo o cerrado e matas do interior do Brasil, o projeto de mudar a nascente do Rio São Fracisco para exploração de diamantes. e vai por aí afora, E Puggina não vê nada. Perguntamos:Tanta cultura para que? O bom disso tudo é que o Blog é um “Oasis de Liberdade”,

    • Antônio petista,
      Parece que você não entendeu o texto restrifo aos dois jumentos do PT.
      O que você comentou não tem coerência, pois a verdade revelada pelo Percival não invalida os comentários feitos por ti aos outros ladrões.
      Acorda!

  8. lula e dilma passaram, pois só lhes restam ser presos, e não demorará.
    Se o chefe Marcelo está lá, eles vão para lá também.
    Temos que mirar nos outros que aparecerão.
    Todo cuidado é pouco. Fiquemos alertas, e estudemos bem as práticas políticas porque elas são importantes para as nossas futuras decisões.
    Salve o Brasil, terra de gente trabalhadora.

  9. Velasquez, sou um dos mais antigos frequentadores do Blog. Quase todos sabem que nunca fui petista. Nem por isso devo seguir a manada raivosa e despolitizada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *