Nas redes sociais, militares nomeados para o Ministério da Saúde atacam os políticos

Militares revistaram mochilas de crianças sem presença de conselho ...

Charge do Junião (Arquivo Google)

Deu no Bom Dia Brasil

Militares nomeados para cargos no Ministério da Saúde usam as redes sociais para fazer o que a pasta condena e também atacam políticos. A informação foi publicada no jornal “Folha de São Paulo” e depois confirmada pela TV Globo.

Um dos nove militares nomeados pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo ministro interino da Saúde Eduardo Pazuello é Giovani Cruz Camarão, novo coordenador de finanças do Fundo Nacional de Saúde.

DESOBEDIÊNCIA CIVIL – No dia 3 de abril, ele publicou foto nas redes sociais em que aparece em festa com ao menos 17 pessoas. Na legenda, Camarão escreveu: “Niver do Gerson 03/04/2020”. A aglomeração vai no sentido contrário das orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do próprio Ministério da Saúde, onde ele foi nomeado para trabalhar.

Outro nomeado foi Angelo Martins Denicoli para exercer o cargo de diretor do Departamento de Monitoramento e Avaliação do SUS. Nas redes sociais, Denicoli defende posições agressivas e ataca parlamentares, a mídia, e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia.

Ao menos até a última atualização desta reportagem, as contas nas redes sociais desses militares estavam abertas.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Não há nenhuma novidade nesse comportamento do governo Bolsonaro. No início da gestão, o presidente ainda tinha credibilidade e conseguia contratar militares de escol. Mas agora, com a imagem cada vez mais desgastada, Bolsonaro tem de se contentar em contratar os menos qualificados, ou seja, aqueles que servem a qualquer senhor e só se interessam em dobrar os salários. Quando lembro que o general Santos Cruz já integrou esse governo e foi demitido sem a menor justificativa, apesar de seu comportamento exemplar, dá vontade de desistir do jornalismo de política e passar para o chamado Segundo Caderno, onde o importante são as artes. (C.N.)

13 thoughts on “Nas redes sociais, militares nomeados para o Ministério da Saúde atacam os políticos

    • Verdade!
      São 9 recentes integrantes formados pela AMAN, segundo o ministro interino, onde cursaram 2 anos de Administração, e estariam lá para equipe de gestão só Ministérios.

      Detalhe: nenhum tem experiência anterior nem aprofundamento em especialização de Gestão Pública.

  1. Nos anos 70 quando a ditadura tinha se firmado na triste História do Brasil, uma dupla de artistas do Ceará, Dom e Ravel era o nome dos caras, escreveram letras carregadas de ufanismo e que foram parar nas graças da tal ditadura. “Eu te amo meu Brasil” é uma delas. Dizem que eles, os artistas serviram à tal ditadura com seus (deles) trabalhos, não sei, só sei que o povo passado o regimo os colocou na berlinda tendo todos eles acho que caídos no esquecimento se nãojá tiverem todos morridos. Ningúem sabem quem é Dom e Ravel…

    Uma composição muito interessante cujo título é “Voçê também é responsável” chegou até ser trilha sonora para campanha de marketing do Mobral, ah… o Mobral… Movimento Brasileiro de Alfabetização…

    Mas voltando ao assunto, sobre a situação do pais na atualidade eu me dirijo não só a você CN, mas a todos os que fazem a TI e lhos digo:

    “Vocês tambám são responsáveis…”

    Isso mesmo… Movidos por ódio, apenas ódio ajudaram a eleger este governo…

    Não serão perdoados por quem ler a História no futuro, mas podem já dar a mão a palmatória…

    E não venha com esse discurso surrado de PT, petralhas, Luladrão, Dilmanta, o Brasil vai se transformar numa Venezuela não… Isso não vale, pelo menos para quem raciocina com dois neurónios… Não falem de corrupção, que sabemos é um mal crônico infelizmente… Mas com ou sem corrupção, vocês que tem bastante anos na estrada me digam uma coisa: Quando foi que o Brasil foi tão bem em economia, política externa, crescimento, melhoria das condições de sua gente dentre tantos outros indicativos…

    • Verdade seja dita, Justiça seja feita. Para resolvermos o Brasil, a missa tem que ser rezada por inteiro, por partes fica parcial, fica naquela de cada um puxar a brasa para a sua sardinha e daí faltam brasas para as sardinhas de todos, direita, esquerda e centro, que são fatos, existem, estão ai em estado de guerra tribal permanente, em eterna disputa de poder, e com os quais temos que conviver, e que seja uma convivência sadia, para o bem do conjunto da população, dai a necessidade da resolução conciliada, como propõe a Revolução Pacífica do Leão, a RPL-PNBC-DD-ME, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso, face à qual direita, esquerda e centro, permanecem omissas, não obstante tirando dela, sorrateiramente, os excertos que lhes convém, para usá-los conforme as circunstâncias e conveniências da ora, sabido que é que sozinhas, cada uma de per si, direita, esquerda e centro, não conseguem governar este país satisfatoriamente, apenas mal e porcamente desde que sentem no colo do capital velhaco, do famigerado centrão, da corrupção e das forças armadas. Coronel Sebastião, diz ai então por que será que findo o governo do lulopetismo com a infeliz interrupção golpista, burra e bandida do mandato de de Dilma, exaurido, diga-se de passagem, interrupção que denunciamos à exaustão e nos batemos contra, tb a exaustão, com a posse do Temer, o Vice do lulopetismo, o tucano Meirelles, então ministro e mago da economia do lulopetismo decretou por 20 anos a limitação do gasto público, e, por conseguinte, a recessão ? Responde aí, se puder, mas sem sofismas, por favor. A meu ver, a desgraça maior não foi o exaurimento do governo lulopetista, em que pese a loucura do golpe condenável, mas isto sim o que veio depois dele, o Temer, o Bolsonaro e a tragédia do retrocesso com o militarismo polítiqueiro a bordo, tragédia essa que já estava anunciada há cerca de 28 anos, pelo menos, pelo próprio Bolsonaro, através da tribuna da Câmara Federal, tragédia essa que, exceto a RPL-PNBC-DD-ME, o projeto novo e alternativo de política e de nação, cercado pelo PSOL em 2014 e 2018, a serviço do lulopetismo, ninguém fez nada para evitá-la, ninguém optou pela evolução, pelo contrário, todos optaram pelo continuísmo ou pela involução, daí a avalanche de voto nulos, em branco e abstenções, próxima de 40 milhões de eleitores, que os partidos condenam mas nenhum deles questiona os motivos.

  2. “agora, com a imagem cada vez mais desgastada, Bolsonaro” … quem anda com a imagem desgastada é essa tribuna que, por cegueira ou interesses inconfessáveis, aderiu ao golpismo virótico do Eixo do Mal; nessa tramóia, quebrou o pinto em três pedaços e perdeu o do meio 😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *