No segundo embate com Moro, um Lula nervoso foi mais réu que candidato

2º depoimento do ex-presidente Lula a Sergio Moro

Lula já sabe que está cada vez mais perto da cadeia

Igor Gielow
Folha

Quatro meses atrás, Luiz Inácio Lula da Silva permeou seu primeiro encontro com Sergio Moro de ironias e com um firme propósito de estabelecer um discurso para a militância do PT. Nesta quarta-feira (dia 13), o que se viu em Curitiba foi o petista acuado e agressivo, obrigado a falar sobre o objeto da ação que responde e tolhido em suas manifestações mais politizadas. Se isso deveria ser a normalidade num processo judicial, a realidade aguda da crise política brasileira tornou o episódio uma exceção.

De lá para cá, Lula se manteve à frente de pesquisas de intenção de voto para a Presidência em 2018, mas foi condenado pelo mesmo Moro e agora sua elegibilidade depende de uma improvável reversão total da sentença pelo Tribunal Regional Federal de Porto Alegre.

PERTO DE EXPLODIR – A expressão corporal de Lula mudou. Se demonstrava algum nervosismo e ansiedade no depoimento de maio, agora ficou perto de explodir verbalmente em vários momentos. Foi notável seu embate com a representante do Ministério Público, que acabou mal para Lula: num dado momento, ele a chama de “querida” e é repreendido por Moro, que exige o “doutora” ou “senhora procuradora”.

Em outro ponto, Lula sugere que ela não está “prestando atenção”. Não estivesse a agenda feminista mais militante alinhada à esquerda no país, as críticas em rede social seriam inevitáveis.

Lula só conseguiu sair um pouco das cordas nas curtas considerações finais, quando acusou o Judiciário de “estar refém da imprensa”.

JANOT DE FORA – Mas quando tentou engatar uma crítica ao processo de revisão da delação da JBS citando o procurador-geral Rodrigo Janot, foi impedido por Moro. “Não tem nada a ver com Brasília, com o doutor Janot”, respondeu o juiz, delimitando os espaços e claramente ciente do momento de fragilidade da Operação Lava Jato.

Moro também foi frio quando respondeu à provocação final de Lula, que perguntou se ele poderia ser descrito como juiz imparcial . “Primeiro, não cabe ao senhor fazer esse tipo de pergunta para mim. Mas de todo modo, sim”, disse, recusando-se a discutir sua sentença condenatória no caso do tríplex do Guarujá.

Em resumo, se o anticlimático embate de maio acabou com Lula mostrando discurso de candidato pronto, o de setembro assistiu a um réu sob pressão.

15 thoughts on “No segundo embate com Moro, um Lula nervoso foi mais réu que candidato

  1. O lula é uma graça, ela não fala, discursa. Até um depoimento na justiça a um juiz que já o condenou, ele acha que esta num comício.
    Só imagino a dor de cabeça que o Moro teve, após ouvir a ladainha do molusco.
    Tem quem ache que salário de juiz é excessivo, porém para passar a vida ouvindo baboseiras e decidindo a vida de pilantras mentirosos, acho que juiz é sub remunerado.
    Se na televisão, que apresentam apenas trechos do depoimento, já enche o saco, imagine ouvir aquilo por mais de duas horas e ao vivo.
    Ser juiz não é fácil.

  2. Quanto a palavra “querida”, quem deveria admoestar Lula deveria ser a própria atingida, pois era com ela que ele falava.

    De resto, Lula estará preso ao final. A menos que o “acordão” o livre.

    • Quem admoestou primeiro foi ela. O juiz Moro complementou solicitando que a chamasse de outra forma, pois lula ironicamente perguntou a procuradora como gostaria de ser chamada. O jornalista, como é costume, mudou a noticia para criar mais ibope na guerrinha entre lula e Moro e ganhar mais cliques. O vídeo está na internet mas a mídia não divulga pois lula é imortal e deus. Nunca erra.

  3. Esses políticos são verdadeiros artistas.. encenam em todo lugar. Para eles qualquer lugar é palco. O primeiro molusco de garanhuns fica tentando passar por honesto cercado por delinquentes; onde a única pessoa honesta é ele, inclusive passa a impressão de que até sua falecida mulher o traía pelas costas colocando-o em situação em que hoje se encontra .

  4. A ignorância é um mal cuja solução é a educação. No caso do Lula, deveriamos ter dado escola para ele, mas demos a presidència. E tivemos o que sabemos – crap!

  5. Assisti ao depoimento na íntegra e não há chance alguma para Lula, é mais uma condenação na certa. Chega a ser um escárnio a forma como o ex presidente responde as indagações do juiz, para cada pergunta objetiva uma resposta evasiva ou então o famoso “não sei”. Hilariante a parte sobre os recibos de pagamento do aluguel do apartamento, onde Lula responde que “acha que deve haver” e novamente joga para o colo da ex primeira dama a total responsabilidade. É realmente o fim trágico desta figura que enganou todos os seus eleitores e principalmente o pobre povo brasileiro. Também a descrição que ele fez do Palocci nas entrelinhas confirma, para qualquer pessoa minimamente esclarecida, que ele está extremamente magoado com o ex companheiro a quem, até alguns dias atrás, ele se referia como dos maiores quadros do PT. E para arrematar ao final do depoimento ele vem diante do juiz perguntar se o mesmo se considerava isento para julgá-lo, tentando se fazer de coitado ao invocar a figura dos netos e da bisneta, só pode ser candidato a “piada do ano”, como sempre se diz aqui neste site. Considero que somente canalhas ou então ignorantes ainda conseguem acreditar nesta figura patética.

  6. Vê se pode, “guerrinha” entre Lula e Moro”. É brincadeira. As pessoas não sabem que juiz é para julgar, não para acusar, ação que cabe ao Ministério Público.

    O juiz tem que manter equidistância das partes para julgar com isenção e imparcialidade, o que não ocorre mais no Brasil. O juiz responsável pela instrução processual penal não pode ser o mesmo que proferirá a sentença, porque já está irremediavelmente contaminado pelo viés acusatório.

    Num Estado Democrático de Direito é inconcebível opor o réu ao juiz, só no nosso Estado Policialesco de Exceção da Delação Premiada.

    • “Guerrinha entre lula e Moro” foi a imprensa petista que criou. O objetivo é causar no país uma briga de bar para o lula sair sem pagar. Mas Moro não é Janot nem Bretas. Por isso a ira petista contra ele.

  7. E continua colocando as “responsabilidades pessoais” nas costas da falecida.
    Já tem gente afirmando que ela, no lugar onde se encontra, está fazendo delação premiada pára reduzir sua pena.
    Vão encaminhar por email para Moro!
    Bem sei que é brincadeira e de mal gosto. Mas o patife se esconder atrás do cadáver da mulher é demais.

    A imagem de Lula é dantesca! Cara de safado, de bêbado, de bagaceiro. Sorri quando a vontade é gritar, berrar, cuspir nas pessoas. Está no nível daqueles que o elegeram. Defendê-lo e defender a corrupção, a trapaça, o deboche.
    Fico pensando naqueles que continuam defendendo, apoiando e seguindo o canalha.
    Não dá para dizer que são “!farinha do mesmo saco” – farinha é um alimento legal. O correto é dizer que são lama da mesma poça!
    Espero assitir Lula indo para a cadeia.
    Fallavena

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *