Nova inflação de infiltrados agita a campanha eleitoral na Tribuna da Internet

Resultado de imagem para infiltrados na internet charges

Charge do Frank (A Notícia)

Carlos Newton

Desde sempre, a Tribuna da Internet sofre assédio dos infiltrados, que atuam na defesa dos interesses de partidos e grupos. Isto é normal na internet e a presença deles aumenta consideravelmente em épocas de campanha eleitoral, não há como escapar, a não ser bloqueando todos os comentários, indistintamente, prática adotada por importantes blogs e sites, que desistiram dos comentários. Acontece que o direito de expressão, mesmo que seja comprado e manipulado, é garantia constitucional que deve ser respeitada e não adianta argumentar que se trata de comentaristas profissionais, que são remunerados para agir assim.

A polêmica sobre os comentários é infindável. Meu sonho seria que todos se respeitassem e se mantivessem no terreno das opiniões, mas há sempre ironias e ofensas absolutamente gratuitas, e isso não é democracia, não se pode impor opiniões.

JANAINA – Na semana passada, por exemplo, o advogado Jorge Béja convidou Janaina Paschoal a escrever um artigo exclusivo para a TI, com a minha anuência, sobre a crise atual. A professora da USP fez um artigo formidável, mostrando que na democracia as instituições precisam mostrar que estão funcionando.

Ao invés de comentar o teor do texto, um dos participantes da TI insistiu em enviar repetidamente um video depreciativo contra a Dra. Janaina Paschoal. Deletei todas as vezes o comentário, porque seria um absurdo convidar uma pessoal a escrever um artigo e assistir que fosse humilhada de forma intencional. É uma atitude que nada tem de democrática, e o comentarista insistia, em nome da liberdade de expressão.

Por causa desse tipo de incidente, muitas pessoas abandonam o blog, mas eu considero tudo isso normal, são apenas as pedras de nosso caminho.

BALANÇO – Como sempre fazemos no início de cada mês, vamos publicar o balanço das contribuições feitas ao blog no mês anterior, agradecendo muito os companheiros que participam dessa tentativa de manter um espaço livre e independente, coisa rara na internet.

De início, as contribuições feitas na Caixa Econômica Federal:

DIA  REGISTRO  OPERAÇÃO    VALOR
07   071422    DP DIN LOT        52,00

12   121512     DP DINH LOT   100,00
18   100004    DOC ELET          60,00
22   221732     DP DIN LOT     230,00
28   280824    DP DIN LOT     100,00
28   800014    DOC ELET         317,00 

Agora, as contribuições feitas através do Banco Itaú:    

01   TBI 0406.491994-4                   100,00
04   TBI 2958.07601-6                       30,00
06   TED 001.597JOSEANTONIO  100,00
19   TBI 2971.21174-9                       150,00
19   TED 001.416MARIOACRO      250,00
29   TED 033.3591ROBERTSNA    200,00

Agradecendo, mais uma vez, o apoio de todos, vamos em frente, na busca desta utopia do espaço democrático.

###
P. S.Os infiltrados mais recentes defendem a candidatura de Alckmin, que é chamado por eles de Geraldo, por exigência do comando da campanha. (C.N.)

 

23 thoughts on “Nova inflação de infiltrados agita a campanha eleitoral na Tribuna da Internet

  1. Louvo sua atitude, Newton, em manter uma posição democrática em não definir limites para contorcionismos de inúmeros comentaristas que menosprezam o direito de manifestação e querem impor opiniões que julgam superlativas, em função de “apaixonites” inconvenientes. Reconheço, porém, difícil conter essas indigestas performances e creio mesmo que vêm afastando comentaristas mais prudentes e históricos.

  2. Uma entrevista concedida nesta semana pelo ex-presidente do STF Sydney Sanches à BBC Brasil tem recebido muitos elogios de outros ex-ministros da corte. O Antagonista reproduz algumas das principais declarações de Sanches. “A turma não está cumprindo decisão do plenário [de autorizar a prisão após condenação em segunda instância] e quer que o plenário rediscuta uma questão que já foi discutida em 2016. E a presidente [Cármen Lúcia], por isso, não quer colocar em pauta a matéria. Os que ficaram vencidos naquela ocasião não se conformam com isso. De que adianta remeter a questão para o plenário se depois a turma não segue? E quem garante que vai seguir agora [caso haja revisão da jurisprudência], dependendo da nova decisão que se proferir?” “Será que está certo pressionar para conseguir colocar em pauta uma matéria que já foi decidida só porque isso vai beneficiar uma certa pessoa? É dramática a situação.” “Nunca vi uma manipulação tão alta para se rediscutir matéria que se discutiu anteriormente por decisão de seis a cinco.” “Se a posição do plenário do Supremo já é no sentido X e não no sentido Y, ela [Cármen Lúcia] está dizendo: ‘não me parece urgente [apreciar] aquilo que já tem uma posição firmada no plenário do Supremo Tribunal Federal e tem eficácia erga omnes, isto é, perante todos’.” “O colegiado julga para que a maioria decida. Se a maioria amanhã decidir reconsiderar aquela decisão [da prisão após segunda instância], tudo bem, mas cumpra-se a decisão. O que não pode é aquela turma que perdeu dizer “eu não cumpro porque eu não gostei’. Isso é que não poder fazer.”

  3. Na entrevista à BBC Brasil, o ex-presidente do STF Sydney Sanches também disse o seguinte:
    “No tempo em que eu militei no Supremo, durante 19 anos, de 1984 a 2003, eu nunca presenciei nada do que está acontecendo atualmente. O que havia eram discussões, às vezes acaloradas, mas nunca com ofensas pessoais, como agora. Então, esse clima está criando uma situação que eu acho penosa para o Supremo. Na história do Supremo, isso é uma mácula. O Judiciário não existe para isso, existe para decidir quem tem razão e quem não tem.” Questionado sobre como a crise poderia ser superada, ele respondeu: “Eu não sei, porque isso aí é questão de bom senso. Nenhum deles é dono do Supremo, nem é dono do cargo. Estão lá pagos pelo povo para decidir de acordo com sua convicção jurídica, imparcial, e nada mais. Eu estou surpreso e perplexo com o que está acontecendo.”

  4. Proselitistas políticos e fanáticos religiosos são as principais fontes das opiniões preconcebidas. Os mercenários são por demais cínicos e parciais: só enxergam defeitos e infâmias nos correligionários não alinhados a eles. Isso já é o suficiente para lançar seus comentários na lixeira do descrédito!

  5. Eu só Tô com Bolsonaro pela questão de segurança pública com direito pleno da posse de uma arma para defesa pessoal e da família.

    Não acredito que um brasileiro consiga fazer deste país alguma coisa razoável.

    Conheço a fundo a cabeça do brasileiro: não tem fundo. Rasa.

  6. Tenho tentado fazer um mea culpa, moderando as minhas poucas manifestações.
    Entretanto a atuação digamos , profissional, de alguns comentaristas, tem a capacidade de me tirar do sério.
    Talvez a minha atuação também, dê motivos para isso, por isso a necessidade de mais reflexão.
    Mas este é um espaço único na imprensa brasileira.
    Devemos zelar para que consigamos mante-lo pois normalmente, só daremos o devido valor as coisas, quando as perdermos.
    Vamos nos esforçar pois devemos continuar, ainda mais neste ano que precisamos de muita serenidade, inteligencia e sentido de nação.

  7. CN, renovo a questão do contador de vistos. E os artigos do Santayana? Por fim, é muito comentarista e pouca contribuição, afinal todo mala é também um cara de pau.

    • Prezado Marcos Jorge,

      Manipula-se tudo na internet, até os contadores de video são “fakes”, mas vamos reexaminar teu pedido. Quanto ao Santayana, acredito que esteja com problemas de saúde, porque os artigos têm sido assinados pela “equipe do blog”. Vamos conferir de novo.

      Abs.

      CN

  8. Estimado CN

    Vivemos numa sociedade doente, cada vez mais docente.

    Os interesses pessoais e individuais sobrepujam os coletivos.

    Gostemos ou não, uma parcela considerável “se bestializou”. Para isto não existe cura.
    pensar é um negócio difícil, complicado, custoso, necessitando de muito trabalho, leitura, etc. Nunca se leu tão pouco, em relação ao conteúdo disponível.

    O que tem mantido a nossa TI no nível, no prumo e sempre para o norte tem sido teu bom senso. Não o perderás!

    Cada vez mais acredito na força da palavra, mas com verdades, seriedade e responsabilidade.

    Estes meses passarão e, ali adiante, a TI indicará o caminho. Ainda não chegou a hora, mas ela será uma das luzes para um novo país. isto é um compromisso que não poderás abandonar.

    E quando isto ocorrer, o espaço para aqueles que desejam a desordem, a baderna, a mentira, a desfaçatez será em outro lugar, do tamanho deles.

    Quem sabe possamos mostrar o que realmente é a democracia, nas ações e nas palavras.

    Fraterno abraço e muita saúde.

    Fallavena

  9. Prezado Carlos Newton.

    Ninguém abandonou a TI, e veja, que nunca recebi piadinhas, e eu KIKO. Mas não dá para aguentar certos comentários que desaparecerão após as eleições, e se houverem.
    Sinto saudades das boas leituras que fazia e principalmente de Francisco Bendl. Nutro muita simpatia por todos os mesmos, VOCÊ, Jorge Béja, Fallavena e outros muitos sensatos.
    Resta-nos, na reta final, ajudarmos com propostas, metas, e diretrizes.
    Até breve a todos, saudades sinceras.

    • Meu caro Douglas,

      Obrigado pela referência que fazes a mim e de forma gentil.

      Tenho estado presente na Tribuna da Internet, se não diariamente, quase isso.

      Apesar de os assuntos serem muito bem escolhidos pelo Newton, alguns comentários são excelentes, então não vejo razão para deixar o meu registro.

      Um forte abraço.
      Saúde e paz.

      • Amigo Douglas
        Seguindo os passos do amigo Bendl, também agradeço tua gentileza. Meu tempo sumiu e ainda não consegui achá-lo. assim, passo os olhos e escrevo só um pouquinho.
        Abraço amigo.
        Fallavena

  10. Decano CN, sua depuração já contemplou a tolerancia. A TI é eclética pelo esforço dos senhores e senhoras. A figura é um ridículo mal educado e maldoso. Os inconvenientes não podem arrogar-se o direito de expressão. Algo como um flatuante querer permanecer na sala por direito de expressão.

  11. A posição deste blog em proporcionar a publicação de comentários os mais variados e exóticos, ofensivos e degradantes, inúteis e excelentes, tem sido a decorrência de sua característica principal, ser democrático.

    Evidente que se trata do comportamento do seu Mediador, Carlos Newton, que o elaborou dessa forma, enaltecendo a tal liberdade de expressão.

    Direito esse que, seguidamente, algumas pessoas o confundem com manifestações mal educadas, conceitos errados sobre as pessoas, preconceitos explícitos, e total desconsideração pelo trabalho do blogueiro, que se esforça a cada dia para nos oferecer este espaço incomparável na Web.

    No entanto, mesmo que a qualidade dos temas apresentados e de alguns textos primorosos sejam contrastados com postagens menores, a TI segue em frente, lamentando a ausência de algumas pessoas que fazem falta em assuntos mais especializados, como os que abordam Economia e Direito, então me refiro ao dr.Béja, Bortolotto e Wagner Pires, além de mais comentaristas cujas postagens são raras, mas que escrevem brilhantemente.

    Desta forma, a cada balanço apresentado, a TI comemora mais um mês de existência, tanto para nossa satisfação, quanto à valorização que concede ao país em debater o caos que nos encontramos, mesmo com textos dirigidos às campanhas políticas, que renunciam comentar a respeito da situação gravíssima que nos encontramos!

    O meu abraço ao Mediador, ao mesmo tempo que lhe agradeço essa oportunidade que me possibilita de emitir as minhas opiniões, ideias, conceitos e interpretações sobre os fatos publicados, ao mesmo tempo que parabenizo o comentarista responsável, que enaltece a Tribuna da Internet, e que colabora com Newton na qualidade deste blog, que continua sendo incomparável!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *