O JÚBILO E A HIPOCRISIA

Mauro Santayana
(JB) – O Ministro Joaquim Barbosa escolheu a data de 15 de novembro, Proclamação da República, para ordenar a prisão e a transferência para Brasília, em pleno feriado, e sem carta de sentença, de parte dos réus condenados pela Ação-470.
O simples fato de saber que os “mensaleiros” – como foram batizados pela grande mídia – viajaram algemados e em silêncio; que estão presos em regime fechado, tomando banho com água gelada, e comendo de marmita, encheu de regozijo parte das redes sociais. É notável o ensandecido júbilo, principalmente nos sites e portais frequentados por certa minoria que se intitula genericamente de “classe média”, e se abriga nas colunas de comentários da mídia mais conservadora.COMEMORAÇÃO

Parte da população, a menos informada, é levada a comemorar a prisão do grupo detido neste fim de semana como se tratasse de uma verdadeira Queda da Bastilha, com a ida de “políticos” “corruptos” para a cadeia.
Outros, menos ingênuos e mais solertes, saboreiam  seu ódio e tripudiam sobre cidadãos condenados sob as sombras do “domínio do fato”, quando sabem muito bem que  dezenas, centenas de corruptos de outros matizes políticos – alguns comprovadamente envolvidos com crimes cometidos anos antes desse processo – continuam soltos, sem nenhuma perspectiva de julgamento.
Esses, para enganar os incautos, já anteveem a queda da democracia. Propõem a formação de grupos de “caça aos corruptos”, desde que esses  tenham alguma ligação com o governo. Sugerem que cidadãos se armem. Apelam para intervenções golpistas. Torcem para que os presos de ontem, que estejam doentes morram, ou que sejam agredidos por outros presos.JUSTIÇA E ISONOMIA

Ora, não existe justiça sem isonomia. Já que não se pode exigir equilíbrio e isenção de quem vive de manipular a opinião pública, espera-se que a própria população se manifeste, para que, na pior das hipóteses, o furor condenatório e punitivo de certos juízes caía, com a sutileza de um raio lançado por Zeus, sobre a cabeça de outros pecadores.
Há casos dez, vinte vezes maiores, que precisam ser investigados e julgados. Escândalos que envolvem inclusive a justiça de outros países, milionários e recentes ou que se arrastam desde a época da aprovação do instituto da reeleição – sempre ao abrigo de gavetas amigas, ou sucessivas manobras e protelações, destinadas a distorcer o tempo e a razão, como se estivéssemos em órbita de um buraco negro.
Seria bom, no entanto, que tudo isso se fizesse garantindo o mais amplo direito de defesa, no  exclusivo interesse da Justiça. Ou a justiça se faz de forma equânime, desinteressada, equilibrada, justa, digna e contida, ou não pode ser chamada de Justiça.

7 thoughts on “O JÚBILO E A HIPOCRISIA

  1. A Justiça não é cega

    A maldita corrupção é filha dileta do sistema capitalista, por tratar-se de um sistema baseado na acumulação de riquezas em mãos de poucos, a custas do trabalho alheio. De outro modo, não seria possível grande acumulação de riquezas. Quem trabalha fica com muito pouco da riqueza que produz. A grande fatia vai para as elites dominantes, via mil artifícios, recursos e justificativas, estabelecidas por suas leis.

    Prova maior do desastrado resultado dessa arquitetura política econômica encontra-se nos bilhões de miseráveis e de excluídos do planeta Terra, apesar de toda a tecnologia existente, capaz de tornar o mundo um lugar justo e limpo, para todos. Todas as consequências decorrentes da escandalosa acumulação de riquezas em mãos de poucos, é fortemente constatada nos países emergentes em escandalosa e incontida corrupção, de há muitas décadas.

    Em semelhante estrutura capitalista, acreditar que o povo poderia ser beneficiado com uma Justiça eficiente, rápida e imparcial, para todos, só mesmo na cabeça de sonhadores, daqueles que nada percebem as regras do jogo. A Justiça não poderia fazer exceções aos demais órgãos do sistema, principalmente, por tratar-se de poderoso e estratégico instrumento das elites. Os exemplos de coisas erradas são públicos, muito antigos, incontáveis e conhecidos. E o vergonhoso julgamento-show-mensalão não poderia fazer exceção.

  2. Olha senhor Mauro, eu DETESTO o PT e não tenho nenhum motivo para comemorar. Eles serão soltos , mais cedo ou mais tarde. Não acredito em “queda da bastilha” oi? Tem que ser muito ingênuo, por menos informado que seja. O caso do “mensalão”, cuja alcunha foi criada por Roberto Jefferson, bem lembrado pelo ex petista Augusto de Franco,é muito grave por que visa a manutenção do poder do PT, era o caixa para a campanha e o dinheiro, de origem ilícita, coisa que estamos cansados de saber. Jamais foi para enriquecimento ilícito. Óbvio que a corrupção não é de hoje, vide aí, Maluf solto, dentre outros. Mas o PT está no poder e veio com uma proposta de mudança, o que NÃO aconteceu. Tudo o que queriam era o maldito PODER, daí o “mensalão”.

  3. …Concordo com a aplicaçao da lei de forma equanime para todos. Nao é o caso da justiça brasileira.

    Mas nao ficarei quieto enquanto nao descobrirmos quem sao os donos desta verdadeira, colossal fortuna. Sera se nao tem dinheiro de ptistas por la´?

    http://www.tribunadainternet.com.br/?p=71133 – ah! mais nao sendo dinheiro de ptistas pode.

    e veja tambem:

    o desmanche da FARSA: http://correiodobrasil.com.br/noticias/politica/missao-de-pizzolato-na-italia-e-destruir-o-processo-do-mensalao-diz-advogado/664195/?utm_source=newsletter&utm_medium=email&utm_campaign=b20131122

  4. Esse Sr. Santayana é um esquerdista impedernido e incorrigível, ora vejam, defender essa gente que saqueia o s cofres do país há quase 12 anos para assegurar poder financeiro ao PT e cuidar do próprio bolso.Eles defendem a estatização das empresas para terem acesso ao cofre haja vista o que fazem da Petrobrás, transformando-a em a “mina de ouro do PT”, completamente quebrada, criminosamente saqueada. Empresa estatal é vergonha nacional (dirigida pelo pessoal do PT). Lembram-se do Loyde, companhia de navegação, todos os navios apreendidos nos portos pelo mundo afora por que compravam “comida” para a tripulação e não pagavam, não era do tempo do PT, mas são quase todos os esquerdistas que ainda estão vivos e mandando na República.
    Lula tem que acender uma vela para São Roberto Jeferson quando ele disse): ” o presidente Lula era um homem de bem e nada sabia do mensalão”, vindo mais tarde a se arrepender e fazer sérias denúncias contra o Lula.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *