O que dirá o eleitor conservador, enquanto a mídia massacra Bolsonaro?

Charge O Tempo 08/08/2018

Charge do Duke (dukechargista.com.br)

Percival Puggina

Observe a conduta de muitos dos principais meios de comunicação brasileiros, seus editoriais e mais badalados comentaristas. Não precisará muito tempo para concordar com esta afirmação: eles decidiram que o problema do Brasil não são os corruptos, nem é a esquerda retrógrada, nem a irracionalidade do modelo institucional, nem a irresponsabilidade fiscal dos parlamentos, nem a instabilidade criada pelo STF. O que tem que ser combatido no Brasil é o conservadorismo. Não lhe deve ser concedido direito de representação e precisa ser alvejado até que não reste em pé um só desses idiotas para que suas pautas não ganhem força institucional.

Ampla maioria da população crê em Deus e reconhece a importância da religião e da instituição familiar. É contra a ideologia de gênero e quer proteger as crianças dos abusadores que pretendem confundir sua sexualidade. É contra o aborto, o desarmamento e a liberação das drogas. Quer segurança e bandidos na cadeia. Repudia o feminismo como pauta política, movimento revolucionário, ou fundamento de uma nova moral. Não admite a transformação da sala de aula em oficina onde o professor opera como torneiro de cabeças. Rejeita o deliberado acirramento de conflitos que se tenta impor em vista de diferentes cores de pele, olhos e cabelos; ou de classe, apetite sexual, faixa etária, renda. E por aí vai.

TOLERÂNCIA – Os grandes veículos a que me refiro, ou advogam do lado oposto, ou jamais revelaram qualquer interesse por tais posições. Da ideologia de gênero ao feminismo mais transgressor. Degeneradas fazem orgia com símbolos sacros em via pública? Noticia-se o ocorrido como quem descreve um pôr do sol sobre a Lagoa, ou se fala em liberdade de manifestação e em tolerância. É a pretendida tolerância com o intolerável e com os intolerantes…

De fato, o período que estamos vivendo oferece oportunidades extraordinárias para observarmos o principal alinhamento de grandes meios de comunicação. Mesmo quando há diferenças importantes entre eles, sobressai um denominador comum que resiste à desilusão de muitos profissionais com as antigas convicções. Até os que delas se divorciaram antes de ficarem viúvos da esquerda participam da confraria que pode ser definida como a união de quase todos no repúdio às posições conservadoras.

BOLSONARO -E essa intransigência, hoje, tem como alvo o candidato Bolsonaro, saco de pancadas da eleição presidencial. Praticamente todos se dedicam a malhá-lo, haja ou não motivo para isso. Aliás, não precisaria motivo. O conservadorismo basta.

Tal atitude reforça a natural conduta dos demais candidatos. A posição de Bolsonaro nas pesquisas já seria motivo suficiente para todos o atacarem. Com a mídia comandando a artilharia contra o adversário comum, o que pudesse haver de conservadorismo em qualquer deles foi jogado no arquivo morto. “A mídia rejeita e está ajudando”, dirão.

Objetivo alcançado: há um único representante dessa importante corrente de opinião indispensável para realinhar aspectos essenciais da vida nacional. Agora, basta abatê-lo e esperar, ali adiante, a colheita integral do “progressismo” plantado por ação ou omissão.

29 thoughts on “O que dirá o eleitor conservador, enquanto a mídia massacra Bolsonaro?

    • Se insistir nessa de Deus, estou fora. Vamos botar o pé no chão e enfrentar a realidade. Se Deus ajudasse, não haveria crianças famintas com pais mendigos, refugiados abusados, terremotos e tantas desgraças.

      • Exatamente!

        Apelar pra ajuda extra terrena é coisa de gente fraca.

        O povinho trouxa vai ter que sair dessa sozinho.

        “UM ESCRAVO É AQUELE QUE ESPERA POR ALGUÉM MAIS PARA LIBERTÁ-LO.”
        (Ezra pound)

  1. “Observe a conduta de muitos dos principais meios de comunicação brasileiros, seus editoriais e mais badalados comentaristas. Não precisará muito tempo para concordar com esta afirmação: eles decidiram que o problema do Brasil não são os corruptos, nem é a esquerda retrógrada, nem a irracionalidade do modelo institucional, nem a irresponsabilidade fiscal dos parlamentos, nem a instabilidade criada pelo STF.”

    Por isso o artigo de Boris Fausto está profundamente equivocado. Que pena que Boris escreveu um artigo para falar do que ele, equivocadamente pensa, e acha que a plateia o aplaudirá. Uma pena, posto que eu achei seu último livro, por sinal, muito pessoal, de agradável leitura. Sua leitura da atualidade no Brasil é passé, caduca.

  2. Uma coisa é fato: há mais informação circulando sobre Bolsonaro do que outro presidenciável. Já conhecemos sua posição religiosa e política. Sabemos que ele torce para o Palmeiras, que tem casa em Angra, está no terceiro casamento, gosta de armas, enaltece figuras do regime militar, está sendo processado por diversas pessoas, já saltou de um caminhão, gosta de comer gente, balançou as estruturas da rede globo, gosta de capitalismo, odeia o comunismo.

    Pq vc votaria na Marina ou no Ciro que só aparecem em ano de eleição?

  3. Eleitores tucanos atraídos pelo discurso conservador de Bolsonaro
    Renova Midia
    Publicado por Tarciso Morais em 27 agosto, 2018

    Questões de gênero e aborto, além de sentimento anti-PT, são temas que reforçam intenções de voto dos outrora eleitores tucanos no candidato do PSL, Jair Bolsonaro.

    Eleitores e ruralistas antes simpáticos ao tucano Geraldo Alckmin dizem que o discurso conservador do candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, explica, em parte, a migração dos votos do presidenciável do PSDB para o candidato que lidera a corrida presidencial.

    Há quem avalie ainda que, diferentemente do partido de Alckmin, quem representaria melhor o sentimento anti-PT é Bolsonaro, que terminou neste final de semana uma série de visitas a cidades do interior paulista, justamente numa ofensiva para avançar sobre o eleitorado de Alckmin.

    Em quatro dias, a caravana do candidato do PSL ao Planalto, Jair Bolsonaro, rodou 500 km pelo interior de São Paulo, indo de Presidente Prudente a Barretos.https://renovamidia.com.br/o-caipira-bolsonaro-conquista-reduto-de-alckmin/

    Bolsonaro encerrou seu périplo pelo interior paulista montando em um cavalo e dando duas voltas na arena de rodeios da Festa do Peão de Barretos, no fim da noite de sábado (25).

    O discurso de um país conservador era comum entre os eleitores, principalmente jovens, que acompanharam as agendas do candidato na região.

    Durante o corpo a corpo nas ruas, Bolsonaro era seguido por pessoas com o celular em riste, prontas para uma selfie ou transmissão ao vivo. Em um comício em São José do Rio Preto, o candidato chegou a agradecer aos universitários que faltaram à aula para ouvi-lo por “uma causa nobre.”

  4. ….“A mídia rejeita”….
    O Brasil rejeita.

    7 de Outubro, o “retrovirus” do PSL será abatido pelo voto popular, que nao esta na midia, seja qual meio de comunicacao for, em pesquisas forjadas para atrair indecisos, muito menos nas redes sociais, como os crentes querem fazer parecer.

  5. UM PAÍS DE IDIOTAS com uma mídia pútrida fomentando o caos, querendo ser moderninha e inteligentizinha — e sendo burrinha e cretina. Pregando a tolerância com os intoleráveis, endossando teses de malucos e pirracentos, frustrados e medíocres, metidos esses a governar o País e mandar nos outros, querendo pilotar um Boeing quando não sabem pilotar nem um teco-teco. Bancando a intocável, a Dona da Verdade, rasteira e superficial nas colocações e irresponsável, antes de tudo ===== talvez seja isso o que um eleitor conservador pensa da mídia massacrando Bolsonaro

  6. A mídia sempre foi dominada pela esquerda e esta exerce uma ditadura pior que a Militar, que apenas proibia artigos ou corta pedaços dele.
    A midia não faz assim: elimina todos que não se alinham com ela.
    Ainda há pouco Guilherme Fiuza, um dos melhores escritores deste país, foi despedido do Globo

    A desgraça das esquerdas, que detém o monopólio da “informação” foi a internet, que deu voz à maioria silenciosa e oprimida por elas através da mídia.

    • Só o fato de existir a possibilidade de um PRESIDIÁRIO se tornar presidente da república, e ainda está bem cotado para isso, já mostra o TIPO DE GENTE que somos e o futuro que espera esta nação…
      Portanto, falemos do Campeonato Brasileiro, da nova novela das oito e da comparação feita entre as principais marcas de cervejas.

  7. O bom disso tudo, é que o herói da esquerda está enjaulado, pois foi julgado um criminoso. E as vivandeiras de 2018 não conseguem engolir isso, aliás, um prato muito indigesto mesmo, pois não é fácil acreditar que o seu líder os enganou tantos anos assim. É como aquele cara que frequenta uma seita por muito tempo dispondo toda sua energia e de todo o dinheiro, e depois descobre que o tal pastor estava enriquecendo as suas custas. De fato é algo indigesto mesmo. Coitados!!!

  8. Eu até acho que o Brasil precisa experimentar um presidente de Direita.Entanto, que seja uma pessoa capacitada e com experiência administrativa, o que no “Bossonaro” inexiste.

    Sou fã dos textos do Puggina, mas este me decepcionou.Desculpe amigo…

  9. A maioria dos jornalistas teve a cabeça “torneada” na faculdade de jornalismo.
    Isso é um problema mundial: as universidades se transformaram em instrumento propagador de todo tipo de ideias vigaristas que fazem muito sucesso desde que vestidas com a roupagem do coitadismo.

  10. Puggina é irrecuperável. Duas coisas lhe faltam para por sua cultura no lugar certo. Ou troca de uisque (deve comprar um melhor este esta dando alucinações), ou arranjar uma mulher bonita. Acho que é falta de mulher. É tão fácil saber quem é Bolsonaro. Logo a primeira vista identificamos um “nacional socialista”. Talvez ele nem saiba o que é isso. Mas procede como tal. Puggina, todos sabemos é um maragato que transmigrou para udenista. Será que errei?

  11. Interessante observação. Eu pensava já há muito tempo na possibilidade de votar em Bolsonaro. Mas não tinha me decidido.
    Minha decisão veio exatamente da perseguição que a imprensa faz contra ele. Eu me sinto como se quisessem me adestrar. Direita é mau, centro esquerda é bom.
    Isso me irrita. Eleitores, mesmo em um país em que o voto é mais uma obrigação que um direito, podem lidar com candidatos de todos os matizes. À imprensa cabe apenas apontar erros, fatos ou mentiras que considerar.
    Só que a imprensa tem que entender que a palavra final cabe ao eleitor, e a decisão dele não pode ser alvo de tentativas de manipulação.

  12. Ricardo Dionísio, você vive em um país democrata. Conseqüentemente você pode votar em quem quizer ou não votar anulando o voto. Quanto a ser obrigado a votar você não é. Você é um cidadão brasileiro. Sabe qual é o fundamento da cidadania? “É o direito de votar e ser votado”. Se você não votar não pode fazer um concurso; não pode fazer um emprestimo. Em fim não é ninguém. Votar é um direito e um dever. É como se fora uma moeda: No verso é o dever no reverso é o direito. Você comparece para votar dizendo que você como cidadão está interessado no destino de seu país. Se os candidatos não lhe forem simpaticos você anula. Mas o dever cívico você cumpriu. Você precisa de remédio está doente. Arranja uma bela mulata e depois de quinze dias você estará calmo e raciocinando melhor. Se não gostar de mulata pula para o outro lado.

  13. A mídia com esta perseguição ao capitão do Exército não leva em conta o voto dos que dizem que não votam em ninguém. É esta gente que vai votar no capitão porque vê nele o que não vê nos demais candidatos, porque é visto como o menos pior. Quero ver como a mídia vai acordar se o capitão se eleger, vão pedir-lhe o impeachment antes da posse?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *