O que muito me confunde é que no fundo de mim estou eu, diz Antonio Cícero

Antonio Cicero: "A situação do Brasil é extremamente lamentável ...

Antonio Cícero, grande poeta e compositor

Paulo Peres
Poemas & Canções

O filósofo, escritor, compositor e poeta carioca Antonio Cícero Correa de Lima reconhece, neste poema, o “Dilema” existencial que confunde a todos.

DILEMA
Antonio Cícero

O que muito me confunde
é que no fundo de mim estou eu
e no fundo de mim estou eu.
No fundo
sei que não sou sem fim
e sou feito de um mundo imenso
imenso num universo
que não é feito de mim.
Mas mesmo isso é controverso
se nos versos de um poema
perverso sai o reverso.
Disperso num tal dilema
o certo é reconhecer:
no fundo de mim
sou sem fundo.

3 thoughts on “O que muito me confunde é que no fundo de mim estou eu, diz Antonio Cícero

  1. 1) O existencialismo do poeta me fez lembrar…licença para a memória…

    2) O dramaturgo Qorpo Santo escreveu em 14/;05/1866, peça teatral sobre o governo:

    3) “Vivo em Porto Alegre, capital da Província de São Pedro do Sul, Império do Brasil… já se vê, pois, que isso é uma verdadeira comédia”.

    4) Seu nome, José Joaquim de Campos Leão (1829-1883), nasceu em Triunfo, RS, jornalista e escritor.

    5) Autor entre outros textos “Ensiqlopédia os Seis Meses de uma Enfermidade”.

    6) Precursor do Teatro do Absurdo.

    7) Não resta dúvida, esse tal de Covid-19 é um verdadeiro absurdo, uma enfermidade que em seis meses vai marcar o Brasil para sempre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *