O silêncio dos covardes que dizem estar juntos

Sandra Starling

Nunca cheguei a ser amiga de Zé Dirceu e José Genoino. Apesar de marcantes divergências, sempre respeitei os dois primeiros e posso dizer que fomos companheiros políticos. As lembranças são muitas. Guardo algumas. Em 1979, um Genoino recém-saído da prisão, nas asas da Anistia, valeu-se do meu velho Fiat 147 para ir a Juiz de Fora praticar o que de melhor sabia fazer: agitação política. Foi ele, também, quem vi, em 1987, estudando minuciosamente os anais das Constituintes de 1934 e 1946. Era, sem dúvida, o melhor deputado constituinte que a esquerda elegera em 1986.

Com ele e o metalúrgico Djalma Bom, defendi o nome de Fernando Gabeira para vice-presidente, na chapa de Lula, em 1989. Perdemos, mas não fizemos feio, num auditório ainda dominado pelos que tinham todo tipo de preconceito. Em 1991, eu, deputada federal de primeira viagem, fui por ele alertada: “Não faça emendas ao Orçamento da União, pois servirão para alguém ‘cavalgá-las’ e delas fazer uso em tenebrosas transações”.

Com Zé Dirceu, foi diferente: no início do PT, em 1980, cheguei a hospedá-lo em minha casa de Belo Horizonte, época em que ele não tinha onde ficar. Certa vez, sabendo de seu aniversário, fiz questão de arranjar-lhe uma festa com direito a bolo e velas. Minha irmã também chegou a oferecer-lhe teto, quando ia ao Rio de Janeiro.

QUALQUER QUE SEJA A VERDADE
Não teria motivos para exaltar-lhes o passado de dignidade. Faço-o porque não me conformo com o fato de Lula e Dilma se calarem diante de suas prisões. E por quê? Porque, qualquer que seja a verdade, os dois, juntamente com Delúbio, Marcos Valério e companhia, todos eles, participaram do esquema necessário a que qualquer, repito, qualquer partido consiga ganhar e manter o mando de campo no país.

Não concordo com o que fizeram, mas não me calo. Não me calo porque dia virá em que ainda emergirão em toda a sua extensão (e as vozes das ruas assim exigirão), os mensalões do PSDB, do DEM e até de outros, muitos outros, antes que desapareça essa maneira de pagar o estratosférico preço das campanhas políticas. E ninguém vai conseguir mudar tudo isso se não mudarem todas as instituições brasileiras. Estou certa disso e sobre isso já cansei de escrever.

Tive pena ao vê-los, antigos companheiros, sendo levados como presos comuns para, como diria o atual ministro da Justiça, as masmorras da vida prisional brasileira. Não tive alegria com isso.

Mas sou tomada pela discreta satisfação de tentar acreditar que neste país, doravante, não serão apenas os rebotalhos de toda espécie os que serão presos. Um dia, se Deus quiser, também os e as presidentes da República que se elegem, como num passe de mágica, gastando mais de R$ 150 milhões terão de se explicar. Como pagar essa conta se somos todos sabedores de que não há almoço grátis?

Por ora, o silêncio dos que contribuem e o dos que fingem não terem se beneficiado é a obra mais acabada de exaltação da covardia.

12 thoughts on “O silêncio dos covardes que dizem estar juntos

  1. Nada de novo debaixo do Sol. Em todos os casos do tipo do Mensalão, os maiores beneficiados permanecem à sombra. Até porque os que são alcançados-quando o são- pela justiça, negam a informação que poderia implicá-los.

  2. Verdade, Sandra. Mas é o PT quem está no poder. Eu não entendo por que insistem em fazer comparação! Por que o PSDB pecou, os outros que já foram julgados e condenados são menos culpados? Quando for a hora, será a vez do PSDB e outros. Mas não desta vez. Esta é a do PT que ainda vai se sair como injustiçado na eleição de 2014. Com certeza vai usar esta bandeira a seu favor.

  3. TRanscrevo, apenas um trecho do texto da ilustre mineira Sandra Starling,porque concordo plenamente, e vivo me perguntando a mesma coisa “Faço-o porque não me conformo com o fato de Lula e Dilma se calarem diante de suas prisões. E por quê? Porque, qualquer que seja a verdade, os dois, juntamente com Delúbio, Marcos Valério e companhia, todos eles, participaram do esquema necessário a que qualquer, repito, qualquer partido consiga ganhar e manter o mando de campo no país.” Qualquer amigo sairia gritando em favor de injustiças cometidas visando a justiça.

  4. NÃO ENTENDO TODA ESTA CELEUMA QUE SE ARMA POR CAUSA DA PRISÃO DESSES SENHORES. ELES TIVERAM O AZAR DE 2014 SER UM ANO ELEITORAL E NEM LULA, NEM DILMA QUER ARRISCAR NADA QUE POSSA POR EM PERIGO A CONTINUIDADE DO PT NO PODER. AFINAL ELES SABEM QUE O POVO ESTÁ DE PLENO ACORDO COM A DECISÃO DO STF. PARA O POVO ESTE JULGAMENTO DEMOROU.

  5. Não estou entendendo o que a Sra Sandra Starling está sugerindo… Será que o Judiciário deveria se curvar ao Executivo porque no passado essas figuras públicas fizeram protestos – patrocinados pelos camaradas da ex URSS – contra o regime totalitarista vigente??!! É isso?! Agora podem cometer seus ilícitos pois ficaram “blindadas” pelos companheiros?
    A justiça se fez, minha senhora. O Judiciário é independente. Ainda vivemos num estado democrático de direito.
    Eles foram julgados e condenados, com amplos recursos utilizados em suas defesas.
    Após a condenação: cumpram-se as penas!

  6. O PIOR DE TUDO é que a senhora Sandra Starling acreditou em dois pilantras que nada mais foram que “homens dos militares”. Genoino não resta a menor dúvida, foi infiltrado na “guerrilha do Araguaia “. É só ver seu relacionamento com as Forças Armadas, principalmente o Exército com quem andava de abraços e beijos. Lula chegou a pensar em nomeá-lo Ministro da Defesa. José Dirceu comemorou na Makenzie o golpe de 1964 (ele não nega). Depois de preso em Ibiuna sem um canivete no bolso, foi trocado pelo embaixador americano. Chegado em Cuba, mentiroso, disse que seu nome de gurra era Daniel. Nunca fez curso de guerrilha, nunca fez operação plástica. Saiu de Cuba sem que ninguém soubesse como. Visto que a ilha estava cercada pelos serviços de espionágem dos EU. Cláudio Fonteles declarou: Dos 26 guerrilheiros??? que voltaram de Cuba, 23 foram mortos pelos militares, ali tinha um delator. Dirceu é um dos vivos. Aqui no Blog já foi desmascarado por juiz que foi seu companheiro em Cuba. Em qualquer pais sério esses pilantras seriam condenados a prisão perpétua ou seriam fuzilados.

  7. Pergunta para dona Sandra Starling: Porque o PT não instaurou uma CPI para ver se houve erro ou crime nas privatizações do governo FHC ? Não tomando essa atitude , se houve crime o PT passou a ser co-autor. Na verdade tudo o que aconteceu de errado no governo FHC foi culpa do PT. É só lembrar que o PT foi para rua e derrubou Collor. Dona Sandra, querer que Dilma e Lula vão para frente do STF esgoelarem-se protestando contra a prisão de Genoino e Dirceu é NAZI-FASCISMO. Chega prá lá mulher!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *