País bate novo recorde de óbitos pela pandemia e Bolsonaro diz esperar que STF mantenha igrejas abertas

Charge do Erasmo (Arquivo do Google)

Lauriberto Pompeu
Estadão

No dia seguinte de o País registrar, pela primeira vez, mais de 4 mil mortes pela covid-19 em 24 horas, o presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira, dia 7, esperar que o Supremo Tribunal Federal libere a realização de cultos e missas durante a pandemia.

A Corte julga na tarde de hoje uma liminar do ministro Kassio Nunes Marque que liberou os templos a realizar cerimônias religiosas presencialmente, o que costuma causar aglomerações. Segundo especialistas, a reunião de pessoas em ambientes fechados é uma das principais formas de proliferação da doença.

LIMINAR MANTIDA – “Espero que ao STF julgar liminar de Kassio Nunes (Marques), que a liminar seja mantida ou que alguém peça vista para discutir mais”, disse Bolsonaro. “Qual é o último local que uma pessoa procura antes de cometer um suicídio? A igreja. Quem não é cristão, que não vá”, completou, ao discursar em Chapecó (SC).    

A cidade catarinense visitada por Bolsonaro é apontada por ele como exemplo no combate à covid-19. A viagem foi marcada de última hora, após o prefeito da cidade, João Rodrigues (PSD), celebrar, em um vídeo nas redes sociais, a queda de internações e a desativação de uma unidade de terapia semi-intensiva. Mesmo assim, a ocupação de leitos ainda é alta. De acordo com dados da própria prefeitura, atingiu 93% na rede pública e 100% na privada nesta terça-feira, dia 6.

O município acumula ainda mais mortes por 100 mil habitantes do que o País e Santa Catarina. A cidade enfrentou colapso de saúde em fevereiro, precisou transferir pacientes, adotar restrições de circulação e ampliar o número de leitos. Chapecó tem 541 mortos pela pandemia, sendo que mais de 410 foram registrados neste ano.

TRATAMENTO PRECOCE – Bolsonaro disse na segunda-feira, dia 5, que Chapecó faz um “trabalho excepcional” contra a pandemia e deu “liberdade” a médicos para prescreverem o “tratamento precoce”, ou seja, medicamentos sem eficácia para a covid-19, como a hidroxicloroquina. “Não sei como salvar vidas, não sou médico, mas não posso tolher liberdade do médico”, afirmou o presidente no discurso desta quarta.

Desde o início da pandemia, Bolsonaro tem defendido a prescrição de medicamentos como hidroxicloroquina, ivermectina e azitromicina contra a doença. Centenas de estudos científicos realizados até agora nunca comprovaram a eficácia das drogas para combater a covid-19 e, em alguns casos, como da ivermectina, mostraram que não há qualquer efeito positivo. O aumento no consumo desses remédios também tem causado reações em pacientes e, como revelou o Estadão, alguns morreram em decorrência de complicações.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
–  Ao mentir reiteradamente, Bolsonaro não apenas desrespeita toda a sociedade brasileira, mas transmite em suas declarações que não se importa nem um pouco que mais mortes ocorram em virtude do seu descaso e de sua imperativa necessidade de ter razão. Algo que jamais ocorrerá. Conforme já dito nesta Tribuna, o impedimento do ainda presidente não é oposição ao regime democrático, mas uma questão de saúde pública e preservação da segurança nacional. É, sem dúvida, um dos piores mandatários da atualidade. Assim ficará por décadas registrado nos livros da História do Brasil. (Marcelo Copelli)

21 thoughts on “País bate novo recorde de óbitos pela pandemia e Bolsonaro diz esperar que STF mantenha igrejas abertas

  1. É a primeira vez que vou dar razão a Bolsonaro: pelo menos essas criaturas que zarparem pro céu, tendo como ponto de partida as igrejas, duma coisa elas estarão livres: daquela cobrança exorbitante para obterem a salvação.
    Como já saem daqui alisadas pelos pregadores, ao chegarem na triagem celestial, serão beneficiadas pelo programa, “bolsa-paraíso”; criado recentemente lá no além, para amparar as ovelhas tosquiadas pelos pastores terrenos.

  2. de oglobo: “Após recorde de mortes, Bolsonaro volta a criticar governadores e prefeitos por isolamento: ‘Falta humanidade'”

    Humanidade é menosprezar a dor alheia e zombar dela com um “Pô, e daí? E nao sou coveiro”; Eu sou Messias mas nao faço milagres, pô!”
    É esse o Coiso que temos que suportar até a próxima eleição, infelizmente. A menos que Deus dê uma olhadinha cá para baixo e se compadeça de nós e mande esse imbecil para o inferno.

  3. Temos um presidente GENOCIDA: é inegável.
    Mas os grandes empresários e os políticos locais parecem determinados a apoiá-lo nesse genocídio
    ao se preocuparem mais em aumentar seus lucros e com as eleições de 2022
    que com os mortos “que se contam de cem em cem mil!”

    PELO AFASTAMENTO IMEDIATO DO GENOCIDA, ORA NA PRESIDÊNCIA!

    Quanto aos homúnculos que olham prioritariamente para as eleições 2022, digo-lhes: HIPÓCRITAS CONIVENTES!

    VACINA JÁ!, para TOD@S!
    CADEIA p/o GENOCIDA & cia!

  4. Os fracos de espírito não se contentam em ficar em casa. Precisam mostrar para os outros e para si mesmos que têm fé.
    Se não comparecerem aos cultos e às missas, incorrem em pecado grave.

    Nitidamente existe uma distorção religiosa, uma interpretação que é dada ao fiel com respeito à necessidade da sua presença na “casa de Deus”, onde os “milagres” acontecem.

    Na verdade, o comparecimento das pessoas significa arrecadação, doação, participação em campanhas de mais fundos para que a “obra” de Deus seja realizada.
    Em outras palavras e de forma correta:
    o “dono” da seita enriquecer cada vez mais, vendendo indulgências no mesmo estilo que Lutero fez a Reforma, quando se rebelou contra a prática da simonia (vendas de indulgências).

    Há muita distorção intencional quanto à Palavra de Deus.
    A maioria dos fiéis por desconhecimento, receio de pensar, medo de refletir, de considerar a importância do ser humano, ainda acredita em demônios, no inferno, no castigo eterno.

    E justifica esta punição, usando a figura paterna quando precisa corrigir um filho, então o pune, o castiga.
    Sim, é possível, mas não pegar parte da sua carne, do seu sangue, e fritá-lo no mármore do inferno durante a eternidade!!!

    Que pai mais desnaturado é esse?
    Que pai mais cruel é esse que divulgam, como sendo de amor?!
    Que Deus é bondoso, misericordioso …
    Balela!
    Mentira!

    Deus nos deu poderes para que gerássemos felicidades, alegrias, auxiliássemos o próximo, valorizássemos a espécie humana!
    Justamente pela falta de crença em nós mesmos, de não percebermos o quanto podemos resolver de injustiças neste mundo, que invertemos a situação por culpa de maus religiosos, que se aproveitam da crendice alheia para mais ainda amedrontá-los.

    A Igreja ou o local de cultos, se tornou a nossa catarse, que seria expulsarmos o que seria “anormal” à natureza humana na sua totalidade.
    Ora, ora, se Deus nos criou desse jeito, com qualidades, defeitos, índoles más e boas, bem e mal intencionados, honestos e desonestos … as nossas anormalidades já estariam sendo punidas através de leis humanas.

    Somente Deus poderá julgar quem agiu de forma antinatural, desumana, quem cometeu crimes, quem foi ladrão, usurpador, genocida …
    Somente ele saberá as circunstâncias que levaram aquele ser humano a agir diferente da maioria, ocasionando lesões, prejuízos e danos as seus semelhantes.

    Não será dentro de um local denominado como sagrado – os demais locais que não são igrejas seriam profanos? -, que iremos elevar nossos espíritos.
    Muito menos será coletivamente que expiaremos nossos pecados.

    Há muito de comércio, de negociatas, de falsas bênçãos, de milagres divinos para uns e nada para outros.
    Nenhuma vida é estanque, ou seja, inicia e encerra em si mesma, sem que permita a entrada de outras pessoas durante a sua existência.

    Começa que somos filhos de um casal de … humanos.
    Um homem e uma mulher que nos legaram uma boa parte de seus genes, da bagagem étnica de nossos antepassados, de culturas e tradições que variam muito de povos para povos e de nações para nações.

    Equiparar a vida de um esquimó com a vida de um brasileiro, e do nosso amado Nordeste pelo calor que lhe caracteriza, é impossível.
    Costumes, tradições, comportamentos são diametralmente opostos.
    Quem seria o pecador?

    Da mesma maneira um indígena com uma pessoa citadina.
    O aborígene vai ser punido por que não cultua o Deus Ocidental?

    Muitas controvérsias, contradições, mentiras, que são proferidas em nome de Deus (não abordo as matanças desde que passemos a ser monoteístas porque desnecessário).

    Se a vida da maioria dos humanos já é difícil, carente, e são os desvalidos que mais habitam esse planeta, certamente não é pelas razões que bilhões de seres humanos não têm fé.
    O motivo verdadeiro é que milhões detém os recursos que seriam de todos, e não somente de alguns.

    Cristo tinha palácios?
    Sinagogas imensas e luxuosas?
    Vestia roupas em tecidos de seda?

    Templos fantásticos, erguidos através de doações de pobres e miseráveis;
    basílicas com a mesma pompa;
    catedrais faraônicas;
    igrejas portentosas;
    capelas magníficas;
    ermidas valiosas …
    o perdão pelas nossas falhas estariam nesses locais?

    Um homem como qualquer outro, que também erra, comete seus pecados, que não honra seus juramentos, teria a necessária autoridade para perdoar aqueles que confessam suas más condutas e pensamentos?

    Então incutiram o medo;
    o temor do fogo eterno;
    o castigo;
    o sofrimento eterno.

    Definitivamente, esse tipo de “administrar” a humanidade não vem de Deus.

    No entanto, a estupidez e idiotice humanas rejeitam os poderes que temos para evitar que essas falhas se repitam indefinidamente.
    Apenas nos negamos a usá-los.
    Resultado:
    dores, sofrimentos, padecimentos, infelicidades, descrença, vingança, enquanto só entendemos como o único remédio para uma existência feliz e alegre caso tenhamos dinheiro, que sejamos ricos, que haja a tal vida em “abundância”.

    Pois os religiosos têm essa vida plena, na forma como interpretam as Escrituras.
    E são exatamente os que nada têm, que proporcionam essa vida faustosa àquelas pessoas que se dizem agentes de Deus, mas não conseguem viver um dia sequer sem dinheiro no bolso!

    Não haveria problema nenhum, se as igrejas se mantivessem fechadas durante a pandemia.
    Não será dentro delas que nos livraremos do Covid, mas obedecendo o isolamento social, a distância entre as pessoas, haja vista que a Ciência é divina!

  5. A uns, a covid-19 impôs o uso de máscara; de outros, ela veio tirar a máscara! Nesta segunda categoria, incluem-se pastores, padres e demais clérigos. Eles que nos púlpitos são vociferantes, fezem mímicas histriônicas, dizem curar cânceres e diabetes, pôr o capeta de joelhos, falar com Deus sem marcar audiência………E agora? Agora se esquivam como o Papa Clemente VI, que depois de convocar católicos acometidos pela peste negra, a fim de que ele “curasse-os”. Ao ver aquela procissão de peregrinos enfermos, no adro da basílica de São Pedro, o pontífice foi o primeiro a fugir em disparada, temendo ser contagiado.
    No caso dos pastores, o isolamento social parece-lhes castrante, pois estão proibidos de exercer aquilo que constitui o dogma e a razão da existência de suas seitas, qual seja: arrancar dízimos e ofertas dos seus crendeiros.
    -Se vier a surgir uma vacina ou um medicamento para neutralizar ou debelar o coronavírus, indubitavelmente, isso virá das mãos de cientistas. Cientistas, cuja comunidade é composta por cerca de 95% de ateus e/ou céticos!
    E aí, qual será a explicação cínica dos crédulos, para o seus fracassos e suas dependências dos ateus, estes tão demonizados nos cultos e sermões?
    Depois dessa, ainda restarão motivos para alguém cultuar mitos, fundamentado só na fé?
    -Uiai! Era tudo blefe? O Corona veio sob a metamorfose do “Mister M”, para devassar os truques?
    Uma única semente ungida consegue brotar e frutificar, em abundância: o grão de feijão do Valdemiro Santiago, R$ 1.000,00.

  6. Esse “record” de mortes não foi de um dia só. Foi a desova do final de semana em que as secretarias de saúde não atualizam os dados.
    Para que tanto catastrofismo?

  7. Brasil não tem “4 mil mortes em 24h” como dizem manchetes enganosas; entenda
    https://www.estudosnacionais.com/32002/brasil-nao-tem-4-mil-mortes-em-24h-como-dizem-manchetes-enganosas-entenda/

    Não é verdade que o Brasil teve “4 mil mortes em 24 horas”, como afirma uma manchete do Estadão, que traz a foto de enterros em cemitérios. A informação enganosa foi repercutida amplamente por outros jornais do país e transmite a falsa ideia de que este é o ritmo de mortes diárias da pandemia no Brasil.

    O Estadão noticiou nesta terça-feira (6), a seguinte manchete: “Brasil supera 4 mil mortos em 24 h pela 1ª vez e alta de casos indica que pandemia ainda deve piorar“. A informação dada no título é falsa, já que o número indicado é de registros de mortes ocorridas ao longo de vários dias até o momento em que são publicados no painel do Ministério da Saúde e não de mortes ocorridas naquele dia.

    No texto da matéria, o Estadão deixa dúbia a informação de que se tratam, na verdade, dos registros de óbitos. Além disso, não considera a média móvel de óbitos do dia, que foi de 2.73, ou seja, 2.730 óbitos suspeitos de causalidade por Covid-19. Na verdade, há quase dez dias que a média móvel se mantém estável, entre 2,6 a 2,7 mil óbitos. Diferente da média móvel, porém, o número de notificações oscila grosseiramente, tendo no dia 29 o número de 1.660 registros e, no dia seguinte, 3.780. Essa discrepância, usado por jornais apenas quando o número é alto, é resultado do processo de chegada da informação.

    Ao utilizar os dados de registros como se fosse o ritmo da pandemia, os jornais estão, na verdade, medindo apenas o ritmo da chegada de informações ao sistema centralizado nacional. Essas informações vêm de todo o país e levam alguns dias para chegar ao sistema do Ministério.

    Se o uso dos registros de óbitos fosse um parâmetro correto para noticiar o ritmo da pandemia, outras manchetes irreais poderia ser feitas com base nos mesmos dados do Ministério, como por exemplo, descrevendo a oscilação do número de notificações de óbitos de um dia para outro. A manchete que registraria a variação entre os dias 27 e 28/03, por exemplo, poderia ser: “Brasil registra queda de 48% em novos óbitos por covid em 24 horas pela primeira vez e queda indica que pandemia deve melhorar”. Isso porque no dia 27 houve 3.440 novos registros de óbitos e, no dia seguinte, houve 1.660 novos registros. A manchete fictícia acima utiliza a mesma base de dados do Estadão e o mesmo parâmetro (novos óbitos diários, ou seja, o ritmo de chegada das informações no Ministério). A manchete do Estadão, repercutida amplamente, é tão enganosa quanto a do exemplo didático acima.

    Para evitar este tipo de engano, o Ministério apresenta no mesmo gráfico das notificações a média móvel de registros de óbitos que chegam ao sistema, o que vem sendo utilizado por jornais de maneira seletiva devido sua potencialidade sensacionalista.

    Negacionismo pode estar causando problemas graves
    Este tipo de manipulação vem sendo usado sistematicamente desde o início da pandemia, provocando grande ansiedade na população, o que comprovadamente vêm causando aumento de neuroses, depressão e até suicídios associados ao contexto da pandemia desde o início do ano passado, fato reiteradamente negligenciado e até mesmo negado por jornais.

    Além do negacionismo indiferente a respeito de problemas psicológicos na população, jornais vêm negando a existência de tratamento para a Covid-19, o que tem feito com que médicos neguem medicamentos aos doentes, levando muitas pessoas ao agravamento da doença, concorrendo para o colapso do sistema de saúde. O objetivo, segundo médicos e especialistas, tem sido a manutenção da demanda para vacinas, aprovadas emergencialmente desde que não exista tratamento para a doença.

    As vacinações, amplamente apoiadas pelos jornais, estão sendo motivo de questionamento em todo o mundo. As vacinas da Astrazeneca, que foram suspensas em diversos países da Europa devido eventos adversos, estão sendo ampliadas no Brasil. Segundo monitoramento de notificações da Anvisa, as vacinas podem ter resultado na morte de 125 pessoas, em mais de 1.500 notificações.

  8. Tu achas que a ciência ainda precisa provar a existência de Deus??

    Paulo, por favor, é como tu quereres que o parafuso comprove a existência do transatlântico, de um caça super sônico, de um submarino … enquanto o parafuso pode estar apenas segundo uma singela prateleira!

    Vejamos:
    a mente humana não seria uma dessas provas?
    nossos sentimentos não seriam mais provas?
    a existência do homem e da mulher, queres provas mais cabais do que essas?

    Pensa comigo, eu te peço:
    De modo que a espécie humana exista, foi necessário que a “natureza” soubesse que ou só o macho ou só a fêmea, e não teríamos futuro.
    De onde que a natureza trouxe consigo esta inteligência, de modo que fizesse surgir o homem e a mulher simultaneamente?

    Como que a nossa mente, a inteligência, o remorso, o amor, foram adicionados à natureza humana?
    De que forma?
    Mais:
    a ponto de, em cada ser humano, os mesmos sentimentos, qualidades, virtudes e defeitos, uns são mais sensíveis, outros os repelem, alguns não dão a menor importância?

    Por que tivemos os grandes mestres da música?
    dos clássicos literários?
    da filosofia?
    da ciência?
    pintura?
    matemática?
    astronomia?
    física?
    ciência?
    tecnologia?
    E, ao mesmo tempo, quem não sabe sequer aprender o próprio idioma?

    Como me explicas o talento e a vocação, pois não são adquiridos. Podem ser aperfeiçoados, burilados, lapidados, mas isso é muito pessoal, e somente alguns podem ser considerados gênios?

    Da mesma forma, os homens e mulheres que se dedicaram à fé, que foram religiosos, que fizeram o voto de castidade – o maior sacrifício para a espécie humana, a mais torturante, sofredora, e que aniquila qualquer um! -, enquanto temos os que estupram e matam por prazer?

    Explica-me a diversificação genética da espécie humana, enquanto nos animais irracionais eles são mantidos?
    Leão, leão;
    pardal, pardal;
    baleia, baleia;
    tubarão, tubarão;
    cachorro, cachorro …

    Conosco temos:
    altos, baixos, magros, gordos, feios, bonitos, inteligentes, outros nem tanto, muitos nada têm, os que se adaptam fácil, os que não se adaptam, honestos e desonestos, sinceros e falsos, decentes e indecentes, pretos, brancos, pardos, amarelos …

    A natureza seria tão pródiga nessas diversificações apenas para os humanos?
    A barata existe a milhões de anos, e vai ser exterminada como tal.
    Não seria injusto que ela tenho o seu destino imutável há milhões de anos?

    O que me dizes do firmamento?
    bilhões de galáxias, trilhões de estrelas, quatrilhões de planetas … surgiram por obra da natureza?
    Ora, do nada não sai nada …

    Coincidências de bactérias?
    De produtos químicos?
    Mas como que essas coincidências foram justamente saber que haveria a necessidade sempre, inevitável, primordial, absoluta, inexorável, do macho e da fêmea?
    Da gravidade, que nos mantém no espaço vazio sem despencarmos?

    Trata-se daquela pergunta:
    quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha?

    Alguém poderia explicar a mente humana apenas fria e calculadamente?
    Nada!
    Não sabemos onde fica a memória??!!

    Enfim, Deus existe, sim.
    Mas não esse Deus que interfere na humanidade;
    não esse Deus que seria bom para alguns, enquanto ignora a maioria;
    não esse Deus que pune, que castiga;
    não esse Deus que nada faz para impedir os desatinos dos humanos, que se matam em guerras, de não alimentarem seus semelhantes, de fazê-los morrer de doenças.
    Muito menos esse Deus que devemos dar parte do nosso suado dinheiro, como se ele precisasse das moedas cunhadas neste planeta!
    Ridículo, para eu dizer o mínimo.

    Enfim, a questão complica e em demasia, quando queremos definir Deus ou justificar a sua existência.
    Nós??!!

    Presos a um planeta de somenos importância, localizado nos arrabaldes da Via Láctea, onde habitam seres tão ínfimos e insignificantes, que se nos classificassem como substrato do troço seria demasiado!!

    Agora, espia só, a ironia divina, e não percebemos a sutileza do Criador:
    Enquanto o corpo físico pode andar conforme a distância que suas pernas abrem, a mente voa pelo Universo em segundos.
    A imaginação nos impulsiona;
    A vontade é o agente de realizações;
    a fé NÃO EM DEUS, mas nele mesmo, remove montanhas, pois se fomos feitos à imagem e semelhança do Todo Poderoso, temos muitos dos poderes que herdamos de quem nos colocou neste mundo!

    Não precisamos da Ciência para provar a existência de Deus:
    ele está em cada um de nós.

    Abraço.

  9. A culpa já passou por ele, hoje considero culpado o congresso que não reage, não faz nada para tirar esse doido. Nunca imaginei que existisse uma coisa igual ou pior do que dilma, É meio difícil de acreditar, mas depois que UZA elegeu trump….entendo mais nada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *