Palestra de Glenn Greenwald em Paraty foi recebida com protesto de moradores

Eduardo Anizelli/ Folhapress

Glenn Greenwald chegou de lancha e escoltado por seguranças

Bolívar Torres
O Globo

Uma palestra do jornalista Glenn Greenwald, editor do site The Intercept Brasil, estava prevista para começar às 19h no barco da Festa Literária Pirata das Editoras Independentes (FLIPEI), parte da programação paralela da Flip. Apesar de tudo pronto, no entanto, o evento não teve condições de iniciar por conta do barulho de um protesto próximo. Os manifestantes pararam após uma intervenção da polícia, mas logo voltaram com o som alto, laser e rojões. A palestra foi iniciada às 19h30m.

O ato foi convocado nas redes sociais por apoiadores da Lava-Jato que são contra a presença de Glenn na Flip – o site The Intercept Brasil tem publicado diálogos atribuídos a procuradores da operação e ao juiz Sérgio Moro.

TRILHA SONORA – A partir das 19h, o grupo ocupou o mesmo cais do barco da Flipei, passou a tocar som alto e soltar fogos de artifício. Na trilha sonora estavam o Hino Nacional, em versão oficial e remix, “Detalhes”, de Roberto Carlos e “Pavão misterioso” – @pavaomisterioso é um perfil no Twitter que afirma ter prints comprometedores de jornalistas do Intercept e de políticos do PSOL, partido do marido de Glenn, o deputado federal David Miranda.

O som chegava até a tenda principal da Flip, na Praça da Matriz. A última mesa do dia, “Vaza-Barris”, reuniu o intelectual indígena Ailton Krenak, autor de “Ideias para adiar o fim do mundo” (Companhia das Letras) e o dramaturgo José Celso Martinez Corrêa, do Teatro Oficina. Krenak começou aludindo ao protesto contra a participação do jornalista Glenn Greenwald na programação paralela da Flip, que acontecia perto da Tenda dos Autores.

– Eu ouvi os fogos e pensei: é muita sorte poder falar de Canudos com essa cenografia toda.

SOM CORTADO – Durante o protesto, uma pessoa da organização da Flipei pegou um microfone e pediu ao público para não reagir com violência. Após uma intervenção da polícia, o som do protesto foi cortado e Greenwald pôde iniciar a palestra às 19h30m. O tema eram os desafios do jornalismo em tempos de divisão política e o poder da informação e também os diálogos publicados no site, que têm sido chamados de “Vaza-Jato”. Participaram também da conversa o professor da UFABC Sérgio Amadeu, a socióloga Sabrina Fernandes e o ator e roteirista Gregório Duvivier.

Ao iniciar sua fala, o jornalista teve novamente como trilha sonora involuntária o Hino Nacional. Apesar do policiamento no local, os manifestantes contra Glenn jogaram rojões em direção ao público. O cheiro de pólvora queimada era muito forte. Um dos rojões acertou uma árvore, que pegou fogo. O princípio de incêndio foi logo apagado pela equipe de apoio da Flipei.

PALAVRAS DE ORDEM – Durante toda a fala, Glenn enfrentou dificuldades para ser ouvido pelo público que lotava o cais – era um dos eventos com maior participação da Flip, na programação oficial e alternativa. Apesar do barulho que dificultava ouvir o palestrante, o público estava animado e se manifestava com gritos de “fascistas não passarão” e “Marielle presente” (referindo-se à vereadora do PSOL assassinada em março de 2018, no Rio). Às 20h35m, no momento em que criticou o juiz Sérgio Moro, Glenn foi ovacionado.

Às 20h45m, quando foram permitidas perguntas da plateia, uma moradora de Paraty disse emocionada: “Eles não representam a cidade”. A palestra encerrou-se por volta das 21h20m sob aplausos.

NOTA OFICIAL – “A Flip informa que não é responsável pela programação realizada em espaços parceiros durante a Festa Literária. Essas programações são construídas de forma autônoma e não necessariamente refletem a opinião da Flip. Os organizadores da Festa Literária não se vêem no papel de desautorizar manifestações que por ventura ocorram no seu território, contanto que as mesmas não contenham teor ofensivo ou discriminatório.”

A Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ) informou que o efetivo policial foi reforçado para o evento. E que o Batalhão de Choque está presente na cidade. Segundo o Comandante da 3a Companhia da Paraty, Renan Loschiavo, a manifestação aconteceu dentro do proposto pelo grupo, com início às 17h e término às 20h30.

— A Polícia Militar acompanhou e, até o momento, não temos registro de nenhuma ocorrência. Não podemos proibir as pessoas de se manifestarem — afirmou Loschiavo.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Greenwald não está fazendo jornalismo, mas política militante. Sua posição está ficando insustentável e ele terá de ser investigado. Vamos voltar ao assunto, que é importantíssimo, porque Greenwald está se protegendo indevidamente sob o manto sagrado da liberdade de imprensa. (C.N.)

32 thoughts on “Palestra de Glenn Greenwald em Paraty foi recebida com protesto de moradores

  1. Até quando o Brasil vai aceitar esse bandido solto, tentando desestabilizar a Justiça do país?
    Imaginem um brasileiro fazendo essa arruaça na Europa ou EUA? Se ja não estaria amargando um longo tempo preso?
    Mas aqui, em terras de Macunaíma, aceita-se qualquer tranqueira, especialmente se tiver um sotaque de gringo.
    Como dizia um antigo quadro humorístico da TV: “Brrrasileirrro é bonzinhaaaa”…

  2. Que ele seja militante pouco importa, que os áudios tenham sidos roubados pouco importa, se o jornalista tem informações importantes tem sim de serem expostas.
    O que importa mesmo é que as tais informações roubadas ou não sejam VERDADEIRAS, apenas isso, e pelo visto elas tem se provadas INVERÍDICAS, assim sendo não existe a tal proteção da liberdade de imprensa. E que a imprensa e os jornalistas de verdade se pronunciem pois é a reputação de todos que está ladeira abaixo.

    • Não se pode confundir o sigilo da fonte jornalística com divulgação de dados manipulados obtidos de forma ilegal por esta fonte. Isto é crime de acordo com a Constituição e o Código penal. Este tal “jornalista” tem que ser convocado a provar suas acusações abrindo os dados para análise ou sofrer um processo.

  3. Imagine-se que alguém invada o sistema de uma indústria farmacêutica e que ali exista há anos a cura do câncer. Não se poderá usar a fórmula porque foi obtida de forma ilícita?

    • Então vc é a favor que se invada a privacidade de empresas, governos e até pessoas com base em desconfianças que tenham algo importante escondendo da humanidade? Ou então coisas ruins? Então de acordo com a intenção o raqueamento, a invasão de privacidade será legal? Não é a isso que chamam de ditadura, fascismo, nazismo?

    • Argumento absurdo. A resposta, em princípio, seria um grande não. A situação que você descreveu atende pelo nome de espionagem industrial e é punida criminalmente. Ou era, antes de grampeadores e invasores de computadores terem se arvorados em guardiões da consciência humana. Existe uma coisinha chamada propriedade intelectual, que resguarda patentes, marcas, e resultados de pesquisas.

  4. Senhores da Polícia Federal e Ministério Público, esse cara não aguenta 5 minutos de investigação profunda, no Exterior todo mundo sabe quem é ele. o Deportem para os EEUU junto com seus amigos cumpanheiros, a Justiça Internacional agradecerá esse serviço para bem da Democracia e da Ordem Constitucional e Institucional dos países atingidos por crimes idênticos a esse que ele pratica impunemente no Brasil. Um aviso simples, depois quando forem presos os donos de mídias não falem em perseguição porque quem vive, apoia, participa e se ancora com Bandidos são cúmplices destes Bandidos em todos os crimes !

    • Nem há pedido de deportação para os EUA, seu energúmeno! Que ele divulgou informações obtidas por Snowden, todos sabem. Snowden é procurado. Mas nos EUA, não há um movimento para processar Glenn Greennwald.

  5. Verdade, Verdevaldo não se limita a fazer jornalismo; ele , claramente, milita. A forma de divulgação das mensagens e sua obsessão em querer destruir Sérgio Moro e a Lava-Jato, é atitude típica de militontos…

  6. É o substituo de Jean americanizado! Jean Willys americano e ainda há suspeitas que pagou para o Jean brasileiro para o marido pegar a vaga no Congresso. Que lama o PT e afins se afundaram, capaz de nunca mais conseguir sair. O PT jogou sua história no lixo. Eu que na juventude gritei Lula lá me sinto um jumento por ter acreditado neste projeto.

  7. Nota do Informativo Jurídico Migalhas:

    Explicação desnecessária
    Alguns leitores, poucos leitores, criticaram estes dias Migalhas por ter noticiado os vazamentos envolvendo o caso Lava Jato. (…) Ocorre, no entanto, que as gravações existem. (…) Não se está diante de um dilema. O vazamento é criminoso e seu autor deve ser punido. Ponto. Outra coisa é o conteúdo do vazamento, que não pode ser olvidado.(…)

  8. Leão da montanha quando olhar para bem dentro de teus olhos jamais agredirás, irás conhecer a Lei por inteira, lugar de bandido é na cadeia e “leoa ferida ajudante de petralha” também, cadeia já tudo é bandido, aguenta aí …..todo mundo sabe teu endereço, onde moras, o que fazes de ruim para o Brasil, onde vives, falas alto por aqui és uma “leoa mansa” quando encaras a lei e a ordem, de idiotas e bandidos o país tá cheio, és macho mesmo ????????

  9. Caro Fernando Luiz de Albuquerque Lima,

    concordo em parte com você quando afirma que “Este merda já deveria ter sido expulso há muito tempo.”

    Acho que isso deveria acontecer após ele cumprir um bom tempo de cadeia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *