Parecer que isenta Bolsonaro na pandemia é contestado por desembargador paulista

A charge do dia - Capitão Cloroquina - Politika

Charge do Nando Mota (Arquivo Google)

Frederico Vasconcelos
Folha

O presidente da Academia Paulista de Direito, desembargador Alfredo Attié, diz que o parecer jurídico favorável ao presidente Jair Bolsonaro – firmado pelo jurista Ives Gandra Martins e três professores universitários – é “exemplo do mau Direito que se pratica no Brasil”.  O parecer exime Bolsonaro de qualquer responsabilidade sobre o agravamento da epidemia, considerado um genocídio.

“É lamentável que professores emprestem seu nome a um texto que nada traz de séria ciência jurídica”, afirma Attié, sobre o trabalho de Gandra, também assinado por Samantha Ribeiro Meyer-Pflug Marques, Adilson Abreu Dallari e Dirceo Torrecila Ramos.

TEXTO AUTORITÁRIO – Segundo o presidente da Academia Paulista de Direito, o texto –que afirma a correção da gestão Bolsonaro em relação à pandemia, aos povos indígenas e à ordem constitucional – “mais se aproxima de um impressionismo jurídico que orna um conteúdo pesadamente totalitário, ou só autoritário, algo assim entre a reminiscência nacional-socialista, fascista, franquista ou udenista”.

O parecer pro bono foi solicitado pelo senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), líder do governo no Senado Federal, para subsidiar os membros da base governista que compõem a CPI da Covid-19.

Foi assinado em 27 de setembro último, dias depois da divulgação pelo ex-ministro da Justiça Miguel Reale Júnior [governo Fernando Henrique Cardoso] de parecer preparado para a CPI da Covid no Senado, em que atribui uma série de crimes ao presidente Bolsonaro no combate ao avanço da epidemia. Este texto foi também assinado por Sylvia H. Steiner, Helena Regina Lobo da Costa e Alexandre Wunderlich.

7 thoughts on “Parecer que isenta Bolsonaro na pandemia é contestado por desembargador paulista

  1. Só sei que o ‘tosco’ perdeu uma oportunidade Impar de se eternizar no coração dos brasileiros, era só ter tido empatia e solidariedade ao invés do negacionismo e teimosia em não escutar os órgãos da ciência Mundial.

  2. Eles agora, querem culpar o stf e os governadores e prefeitos; mas não, mesmo sendo dos governadores as decisões nos estados, ele poderia visitar as cidades mais impactadas, visitar hospitais, prestar ajuda através de sentimento, pensamento, palavras e obras.
    Ter sido um catalizador sinérgico no processo do combate, ombreando com o governador COMUNISTA e dando ajuda ao brasileiro do estado deste governador, importando a pessoa humana e não a idade, cor, raça e etc, etc, etc…

  3. Ele apostou na desgraça geral e inclusive contra a vacina que custou meses a adquirir pensando(?) que não responderia a nada, esquecendo-se que o Presidente da República é responsável pelo Ministro da Saúde indicado por ele.
    PS: Pode não ser o culpado; mas, a responsabilidade é indelegável, é dele.

  4. Aqui na Tribuna, nós adiantamos em mais de um ano atrás, que isto aconteceria.
    Inclusive marcamos ponto no tempo em que daria para voltar 180º e ainda daria tempo de reverter; agora não adianta ‘espernear’.

  5. Eu já comentei antes, aqui na Tribuna, diante daqueles elogios de transloucados comentaristas aos entendimentos do Ives Gandra, que além de elogiar também qualificavam aquele de jurista, outros indo ainda mais além — o maior jurista – mas que na verdade não é nada disso, passaria desconhecido, sem ser notado, em qualquer grande Universidade tradicional do Direito da Europa.
    (*) Corrigindo erros no comentário anterior -que pode ser deletado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *