Parlamentares precisam perguntar a Tofolli o que pretendia fazer com os dados do BC

Resultado de imagem para toffoli + 600 mil charges"

Toffoli parece querer dominar o país com medidas tresloucadas

Pedro do Coutto

Muito bom o artigo de Fernando Gabeira na edição de segunda-feira de O Globo, cujo texto dirige-se ao Ministro Dias Tofolli a respeito das 600 mil fichas cadastrais por ele solicitadas ao Banco Central e ao antigo Coaf. A opinião pública brasileira de fato encontra-se perplexa, pois o ministro decidiu centralizar o acesso a essas contas em torno de si mesmo. Isso porque, num momento, ele suspendeu qualquer investigação sobre as contas que agora ele obtém para seu próprio conhecimento.

A dualidade é flagrante: enquanto ele afasta o Ministério Público Federal de obter esses dados, de outro lado ele retém em suas mãos exatamente todas as informações que ele nega aos outros.

MISTERIOSO – Parece difícil entender o propósito do Presidente do Supremo Tribunal Federal e, por este motivo é que senadores e deputados devem perguntar a ele qual seu objetivo e o que pretende realizar com base nas informações, uma parte delas preciosa, do modo mais amplo possível.

Sim, porque toda ação de uma pessoa com poderes de presidente da Corte Suprema tem que divulgar o projeto e o objetivo que inspiraram a iniciativa.

Sobretudo, tratando-se do STF, não se pode negar conhecimento público em torno de iniciativas como essa colocada em prática pelo ministro Dias Tofolli. Claro. Ele foi obrigado a revogar a exigência, mas precisa se explicar.

FALAR CLARAMENTE – Se toda ação humana resulta numa reação, é oportuno que o ministro diga claramente qual seu projeto, qual sua ideia. Na realidade Dias Tofolli assumiu sozinho a questão que ele próprio determinou. Ele representa um dos poderes da República, mas não todos eles. Por isso é que acredito que o melhor caminho para os partidos políticos representados na Esplanada de Brasília possam apenas solicitar a Tofolli que traduza o conteúdo de seu projeto.

Se de um lado ele paralisou todas as investigações envolvendo inclusive o caso Fabrício Queiroz, não há portanto o que negar e explicar suas razões, que não são do interesse público. Afinal de contas ele não poderia tornar-se a única pessoa da República capaz de armazenar dados financeiros capazes de esclarecer ou dar rumo concreto a investigações. Se ele pretendia investigar, teria que montar uma equipe porque nenhuma pessoa sozinha será capaz de examinar e clarificar conteúdos que implicam no cruzamento de informações e datas em que foram realizadas transações financeiras incompatíveis com as declarações de contribuintes junto ao Imposto de Renda.

Verifica-se nesse quadro muito bem focalizado por Gabeira um verdadeiro redemoinho de contradições.

5 thoughts on “Parlamentares precisam perguntar a Tofolli o que pretendia fazer com os dados do BC

  1. Este hominídeo está obviamente a mando de alguém que o pressiona enlouquecedoramente… está desesperado e passando uma vergonha sem tamanho.
    Toma um vidro de Rivotril por noite e mesmo assim não deve dormir. A máfia aperta, enforca e mata. Isso não vai terminar bem. Ou melhor, não pode terminar bem. Não tem como.
    Fez um pacto com o diabo… agora tem que aguentar o tranco mas não está sendo fácil.
    Ele nem tem capacidade de ser tão crápula quanto parece ser… hoje é um pobre coitado pedindo pra terra engolir os restos dele.
    A esposa dele também é outra alma penada. Estão com múltiplas fraturas expostas. O Brasil sabe mais do que o próprio Coaf (agora, UIF)
    São dois párias com grana, venderam a alma , e estão aprisionados na sua própria ambição.
    Como disse acima, já sabem que esta história não vai acabar bem…
    E como todo pacto macabro, jamais conseguirão sair incólumes disto. Não tem como. Foram longe demais…
    Outros também cairão, é só uma questão de tempo…
    Merecem apodrecer na cadeia!!!
    Simples assim.
    Atenciosamente.

  2. Pedro do Couto, perdoe-me dizer: Acho que vocês, em que pese toda sabedoria e vivência profissional é que estão nos confundindo. Vocês num momento acham que Tofolli está certo, noutro momento que ele está errado. Em uma hora ele é visto por voces como quem quer clarear “o que está escondidido” para beneficiar os corruptos de sempre. Em outro momento vocês desconfiam que Tofolli quer esconder algo que protege os Bolsonaros, ele próprio e Gilmar. Uma hora dizem que ele teve coragem de mexer na casa de maribondos em outro momento dizem que ele deu mancada. Afinal, não seria melhor sintetizar todo esse imbròglio?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *