Paulo Guedes e Mourão acrescentam ou tiram votos de Jair Bolsonaro?

Resultado de imagem para guedes e mourão

Bolsonaro enfim enquadrou o assessor e o vice

Pedro do Coutto

Eis aí uma pergunta interessante. Pelas declarações que Paulo Guedes e o general Hamilton Mourão têm feito, sugiro ao IBOPE e à Datafolha que incluam em suas próximas pesquisas a indagação que está no título da matéria. Uma outra pergunta é para esclarecer o que influi mais nas intenções de voto dos eleitores e eleitoras: a exposição dos candidatos nas redes sociais da Internet ou as aparições dos mesmos candidatos no horário eleitoral da televisão.

É possível que as declarações de Paulo Guedes e do general Mourão não influam nem contra nem a favor, resultando num equilíbrio dos dois polos. Mas é bom esclarecer isso, sobretudo na reta final da campanha, a faixa de tempo em que recuam os votos brancos e nulos e recuam também as indecisões.

PLANO ECONÔMICO – Na edição de ontem de O Globo, reportagem de Flávia Barbosa, Cássia Almeida, Danielle Nogueira e Marcello Correa destaca o plano econômico traçado pelo economista Paulo Guedes, que inclui decisões que não são fáceis de serem contempladas, principalmente às portas das urnas de outubro. A matéria inclui a ideia da privatização de empresas estatais, como é o caso Petrobrás, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. Paulo Guedes diz não aceitar argumentos de que a Petrobrás, Banco do Brasil e Caixa Econômica tenham função em políticas públicas. Portanto, podem ser privatizadas.

Esse pode ser um tema importante na reta de chegada da campanha pelo Palácio do Planalto. Paulo Guedes apresenta também ideias que possui em relação ao orçamento anual do governo federal. Não desistiu também da ideia do imposto único semelhante a antiga CPMF. Vamos ver quais serão os índices a respeito de tais perguntas.

CAVALO E GINETE – O general Hamilton Mourão, matéria assinada por Pablo Pereira, O Estado de São Paulo, lançou uma imagem que, a seu ver, pode exprimir uma ideia bastante ampla de governo. Comparou o país a um cavalo maravilhoso, porém conduzido por mão pesada e pernas frouxas… Acrescentou projetar um jóquei com mãos de seda, porém firmes na condução.

Ao mesmo tempo, na edição de ontem de O Globo, Fernando Henrique Cardoso esclarece que, ao falar na união do centro, estava se dirigindo na verdade aos eleitores e eleitoras do país. Mas como poderia haver reflexos concretos da colocação que fez? Ora, os eleitores não podem votar em mais de um candidato.

Portanto, para a união, é indispensável que as legendas partidárias acerte uma campanha das três legendas. O eleitorado não pode decidir os rumos do quadro partidário. A mensagem do ex-presidente FHC, ao afastar as extremas só pode se dirigir aos eleitores de Alckmin, Ciro Gomes e Marina Silva, além dos demais candidatos que apresentam índices muito baixos. A mim parece que a tese tem em Ciro Gomes o endereço certo.

5 thoughts on “Paulo Guedes e Mourão acrescentam ou tiram votos de Jair Bolsonaro?

  1. Ciro já era.

    Não existe 3ª via.

    A disputa pra presidente ficará entre Bolsonaro e Haddad. O primeiro está com 33% das intenções de voto e o segundo 23%.

    No segundo turno a escolha será entre Brasil ou Brasizuela.

  2. ♪♫♪♫
    O jorge pirou de vez
    É o que a esquerda lhe fez
    Foi mortadela demais!
    Mas não olhem, pro bem de vocês!
    Descem “sete”, todo dia,
    É barro que nao acaba mais!
    Em BOZONALDO vai votar
    Vai votar,vai votar
    É barro que nao acaba mais!
    Em BOLSONARO VAI VOTAR
    ♪♫♪♫

    EEÉÉCA!!!!!!

  3. Todos os que cogitam o Ciro Gomes lhe fazem um apelo:
    VÊ SE TE AJUDA HOMEM! Pare de falar besteiras e se for o caso peça desculpas!
    Comece por uma mensagem ao povo do sul, dizendo que foi mal interpretado se disse o que se dá para ouvir, ou então, se falou aquilo mesmo, peça desculpas imediatamente. Ainda há tempo!
    Caso contrário ficará impossível se vestir dentro de uma roupa de candidato da moderação e da conciliação. Se isso for muito dificil para ti, desista e dê apoio ao Alckmin que por temperamento(até dócil demais) tem tudo para caber dentro da conciliação e da moderação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *