Paulo Guedes escolhe um jovem privatista para assumir a presidência do BNDES

Aos 38 anos, Montezano é um jovem com ideias bem antigas

Talita Fernandes
Folha

O executivo Gustavo Montezano, de 38 anos, será o novo presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) em substituição ao economista Joaquim Levy. A escolha foi do ministro da Economia, Paulo Guedes. Montezano já atua no governo federal. Ele ocupa o cargo de secretário especial adjunto da Secretaria de Desestatização e Desinvestimento, do Ministério da Economia.

Ele é graduado em engenharia pelo IME (Instituto Militar de Engenharia) e mestre em economia pelo Ibmec-RJ. Atuou no mercado financeiro e foi sócio-diretor do BTG Pactual, responsável pela Divisão de Crédito Corporativo e Estruturados, em São Paulo.

Montezano vai suceder Levy, que pediu demissão neste domingo (17) após o presidente Jair Bolsonaro afirmar que ele estava “com a cabeça a prêmio”.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Conforme a Tribuna da Internet anunciou aqui, realmente o ministro da Economia escolheu um defensor da privatização para presidir o BNDES, ao invés de indicar um executivo que esteja capacitado a incentivar o desenvolvimento econômico e a abertura de novos empregos.

Na verdade, Paulo Guedes é um ministro altamente previsível, tem ideias fixas, não vê a economia como um todo. Se o presidente Bolsonaro não se livrar dele, tão cedo este país não sai da recessão.

Os “Chicago Boys” hoje são “Chicago Oldies”, envelheceram sem ver o neoliberalismo de Milton Friedman dar certo em nenhum país. E não adianta citar o Chile e os Estados Unidos, porque nenhum desses países seguiu à risca as teorias monetaristas de Chicago. (C.N.)

12 thoughts on “Paulo Guedes escolhe um jovem privatista para assumir a presidência do BNDES

  1. Claro que velhos esquerdopatas, cuja ideologia já destruiu 67 países e assassinaram mais de 100 milhões de pessoas, não iriam gostar da defenestração do Levi, oficce-boy dos banqueiros internacionais e pau-mandado da Nova Ordem Mundial. Claro que nós, brasileiros de bem, que somos a maioria do povo brasileiro, resolvemos tomar providências e nos organizar. A maioria organizada impede que a minoria esquerdopata destrua todos. Podem chiar à vontade. Nós vamos em frente com o nosso projeto de reconstruir o Brasil, com ideias nem antigas e nem modernas ou futuristas, mas com ideias corretas e justas. Se tentarem nos impedir com violência, agiremos com violência e terminaremos o servicinho iniciado em 1964.. Enquanto esse grupelho nos atormenta queimando pneus nas rodovias, nós toleraremos. Mas, não por muito tempo. Chupa essa esquerdopatas assassinos.

    • Nossa, a biba tá assanhadinha? Você vai em frente com o projeto de quem? Vc vai terminar qual servicinho? Vai matar ou prender alguém? Vc é apenas mais um babaca que tenta arrotar valentia atrás de um computador.

    • Papo de azeitona….

      É a BOLSOMODA!!!!

      Um bando de caroço de azeitona….

      Do jeito que vão as coisas vai ser ele um dia desses queimando pneus, ou sendo queimado dentro de um monte dos mesmos….

      Nada como bozonaldear para disfarçar o desastre que é esse governo completamente incompetente.

  2. É a economia. É o pão, o arroz, o feijão e uma carninha também. Se é tão corajoso a ponto de cogitar privatizar o BB e a Petrobrás, porque não honra as calças que veste e enfrenta os banqueiros com uma auditoria da dívida pública?

  3. Bolsonaro, certíssimo.
    Vamos em frente, estripando a canalha petista de onde for possível, colocando para trabalhar.
    Com as reformas, investimentos virão, como já estão vindo.
    Pesquisem de verdade! Ouvir a área empresarial.

    • Meu deus, que comentário ridículo! Se tudo neste governo é medido em torno de petismo e não-petismo e é pra estripar a canalha petista não era nem pra ter nomeado o Joaquim Levy! Aliás nem o Ernesto Araújo, que já enalteceu Dilma Rousseff no passado…..

  4. Carlos Marchi (via facebook)

    Em cinco meses, Jair transformou seu governo em catacumbas da política.

    É tão ruim, tão ruim que perto dele Rodrigo Maia está virando um estadista.

    Maia disse hoje que foi uma tremenda covardia demitir Joaquim Levy desse jeito.

    Declaração perfeita. Foi uma deselegância, uma grosseria.

    Levy era diretor do Banco Mundial. Foi chamado pelo governo para presidir o BNDES. Deixou o cargo em que estava.

    Nas naturais conversas antes da nomeação combinou um estilo de gestão. Levy é cumpridor de tratos.

    De repente, do nada, Jair começa a dizer que está pelo pescoço com ele.

    Ora, um presidente tem de ter autoridade e hombridade. Está pelo pescoço? Demita antes de dize-lo. Olho no olho.

    Mas não fique fritando e humilhando o sujeito em público.

    Um desastre completo esse Jair. O Brasil virou catacumbas.

  5. Indagado se Bolsonaro não poderia imaginar que as supostas irregularidades cometidas no BNDES nas administrações Dilma e Lula tivessem sido acobertadas pelo governo Temer, Castro fez uma sugestão a Bolsonaro: “Em vez de nomear outro presidente, ele deveria decretar uma intervenção no banco, chamar todos os auditores, os mais cascas-grossas que encontrar, e tirar a história a limpo”. https://veja.abril.com.br/politica/ou-eu-sou-um-idiota-completo-ou-nao-existe-caixa-preta-alguma-no-bndes

  6. Disse ontem que o escolhido seria um privativista.
    Paulo Guedes e Bolsonaro, tudo haver, são carne e unha, como se dizia antigamente. Pelo andar da carruagem do governo, nota-se que, se possível vende todas empresas lucrativas e estratégicas de preferência às multinacionais, atentando contra o futuro do país.
    Na nossa democracia, a eleição de um presidente, é na prática dar carta branca ao eleito, mesmo que a maioria dos eleitores não tenha votado nele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *