Paulo Roberto Costa alega falta de dinheiro e quer depor em videoconferência

O ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa em imagem de 2015 (Foto: Reprodução / TV Globo)

Costa foi intimado pelo juiz Moro a depor em Curitiba

Matheus Leitão
Do G1

Os advogados do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa encaminharam documento ao juiz Sérgio Moro nesta sexta-feira (20) pedindo que o magistrado aceite colher o depoimento dele por meio de videoconferência, por causa da “grave dificuldade econômica em que toda a família se encontra”. Nesta semana, Moro designou a data de 9 de agosto para ouvir Paulo Roberto Costa como testemunha de defesa de José Lázaro Alves e Cesar Luiz Godoy, diretores do Grupo Alusa Engenharia, investigados por suspeita de corrupção ativa e lavagem de dinheiro.

No documento que determinou a data do depoimento, Moro afirmou que Paulo Roberto Costa teria que comparecer pessoalmente à 13ª Vara Federal de Curitiba. Agora, a defesa do ex-diretor da Petrobras pede que Moro reconsidere a decisão e marque o depoimento por videoconferência.

SEM CONDIÇÕES – Os advogados lembram que parte da aposentadoria de Paulo Roberto Costa está bloqueada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e ele não tem condições de se deslocar até Curitiba.

“Ocorre que o deslocamento do requerente gerará um grande dispêndio em virtude dos altos valores das passagens aéreas, não tendo hoje condições de arcar com essas despesas mais hotel por duas noites”, argumentam os advogados.

Nesse processo, José Lázaro e Cesar Godoy são investigados com outras cinco pessoas por suspeitas de crimes relacionados ao contrato de construção da casa de força da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. A ação teve início após a 51ª fase da Operação Lava Jato.

7 thoughts on “Paulo Roberto Costa alega falta de dinheiro e quer depor em videoconferência

  1. Peço encarecidamente, se neste Blog, houver alguém que saiba o número da conta bancária do indigente, Sr. Paulo Roberto, por obséquio, passe-me: que é pra mode eu adepositar arguns caraminguás presse home de Deos!

  2. A árvore do pecado: 1- O analfabetismo. 2- O alcoolismo. 3- A possibilidade de poder. 4- O exercício do poder.
    Ainda no estágio 3, já era possível aos obsediantes preverem que, mais cedo ou mais tarde, o líder sindical seria um vincituro. À medida que tal possibilidade ia tornando-se factível, os usurpadores passavam a tomar carona numa Mula já quase selada.
    Poderoso, carismático, inculto e dopado; reunia todos os pré-requisitos desfavoráveis para se converter em um objeto de exploradores dos mais diversos: falsos correligionários, conselheiros da causa própria etc. E mais as mulheres encantadoras, que, percebendo Lula na idade do “lobo caído”, ofertavam-se para que o presidente desse uma alavancada na autoconfiança, e se autoafirmasse como eterno caçador de fêmeas. O ego agradece! Mas isso tem tem um preço; a contrapartida são sempre as vantagens desmedidas: a coisa pública não tem dono, pode puxar a granel.
    Se com uma mente sóbria já é difícil de escapar desses embustes, e o que dizer de uma entorpecida?
    Enquanto Gleisi Hoffman perceber que Lula, mesmo preso, possa render algo a ela, ou ele seja capaz de dar a volta por cima, a alemoa jamais o abandonará. Ela quer que, Luis Inácio da Silva, outra vez no auge, reconheça-a como a amiga dos piores momentos. Haja moeda para compensar esse penhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *