Pedro Parente reafirma que reajustar preços diariamente é a política correta…

Irresponsável, Parente causou uma crise sem precedentes

Carlos Newton

No site de O Globo, o colunista Lauro Jardim revela que, no meio de um terremoto que não cessa, Pedro Parente em nenhum momento diz ter qualquer arrependimento em relação à política de preços da Petrobras: “Demos é um tremendo azar de acontecerem dois choques juntos, um cambial e o outro que levou o barril acima dos US$ 80”.

Essa declaração do engenheiro tucano é de absurda insensibilidade. Mostra que em nenhum momento passa pela cabeça deste cidadão que foi causado por ele o maior problema que este país já enfrentou nos últimos anos, muito pior do que o impeachment mal passado da presidente Dilma Rousseff, que lhe tirou o cargo, mas manteve direitos políticos absolutamente inconstitucionais.

SUPER-HOMEM – Desde que foi alçado à presidência de Petrobras, em maio de 2016, como prêmio de consolação ao apoio do PSDB ao governo interino de Michel Temer, o tucano Parente passou a sofrer de um variante da chamada Síndrome do Super-Homem, cujo portador tende a entender o trabalho solicitado como um item individual e que lhe pertence pessoalmente.

O primeiro sintoma da gravidade da Síndrome ocorreu em maio de 2017, quando Temer foi denunciado por Joesley Batista e ameaçou renunciar. No auge da crise, Parente gravou um pronunciamento afirmando que, independentemente do desfecho da situação, Temer poderia sair do governo, mas ele continuaria presidindo a Petrobras.

Para um executivo que sempre se caracterizou pela discrição, foi uma mudança de comportamento radical. Só faltou repetir Louis XIV, o Rei Sol, e proclamar: “O Estado sou eu!”.

MAIOR DESAFIO – Parente não entendeu e ainda não entende que o maior desafio para qualquer presidente da Petrobras é instituir uma política de preços que atenda a necessidade de lucro dos acionistas minoritários da empresa e os interesses nacionais.

Ao instituir a remarcação diária de preços, com base na variação do dólar e na cotação do petróleo, num país que se orgulha de ser autossuficiente na extração de óleo bruto, Parente não percebeu que isso é uma insanidade administrativa?

E por que o país está importando cada vez mais óleo diesel e exportando óleo bruto, ao invés de adaptar as refinarias ao processamento de óleo pesado?  

###
P.S.
1 Na verdade, a Petrobras continua sendo uma caixa preta. Trabalhei lá durante três anos na Área do Abastecimento, nunca entendi por que as refinarias jamais foram adaptadas ao óleo pesado e a empresa tem de importar óleo leve, para misturar no processamento. Eu perguntava, perguntava, porém os técnicos jamais me deram uma explicação convincente.

P.S. 2 – Li uma matéria no UOL revelando que “nos últimos anos, a Petrobras fez diversos investimentos nas refinarias para ampliar a capacidade técnica de refino de óleo pesado e reduzir a necessidade de importação de óleo leve”. Se isso é verdade e as refinarias estão operando em 76%, bem abaixo da capacidade, é preciso mandar prender Pedro Parente.

P.S. 2A refinaria Abreu e Lima é a única projetada para processar óleo pesado, com tecnologia da PDVSA (estatal venezuelana). Mas só produz 100 mil barris/dia, porque as obras pararam pela metade. (C.N.)

23 thoughts on “Pedro Parente reafirma que reajustar preços diariamente é a política correta…

  1. Coluna do Cláudio Humberto – 30ago2018
    Combustível dolarizado sustenta a ineficiência

    Para produzir seus 2,7 milhões de barris/dia, a Petrobras mantém 180.258 mil funcionários, entre terceirizados e efetivos, que, vez por outra, ainda inventam greve malandra como a prevista para esta quarta (30), de 72 horas, cujo término coincide com o fim de semana. Já a americana Chevron, que não se beneficia de monopólio, tem 61 mil empregados, um terço da nossa estatal, e produz os mesmos 2,7 milhões de barris/dia.

    • Este senhor foi o porta voz de Collor, a petrobrás está sendo sucateada, está produzindo só 68% de sua capacidade, o resto Pedro Parente está mandando para a empresa americana Chevron.

  2. Nunca entendi por que desde que iniciou a produção comercial de petróleo, em 1977, Bacia de Campos, algumas refinarias do país não foram adaptadas ou construidas para processar o óleo pesado obrigando a empresa exportar óleo pesado e importar óleo leve.

    Porém, quando Paulo Franciss disse algumas verdades sobre a administração da Petrobras, então passei a entender.

    Como sempre tudo neste país tem Armação Ilimitada.

  3. Desde os saudosos tempos de Monteiro Lobato que os mandões diziam, enfaticamente, que o Brasil não tinha petróleo. Agora, diz\em que o nosso petróleo não presta. Quem não presta são os homens que “governam” este país.

  4. Já tentaram sucatear a petrobrás com a intenção de privatizá-la, assim como FHC tentou mudar o nome para Petrobrax e não conseguiu, esta luta dos funcionários da Petrobrás é justa, mas como sempre esta nossa justiça age de acordo como o governo em vez de agir aos interesses do povo brasileiro, nosso poder judiciário não defende o Brasil, mas interesses internacionais, o país já passa a anos sendo injustiçado, com prejuízo ao povo brasileiro, quem está tentando destruir a Petrobrás não são brasileiros e sim mercenários a serviço do capital externo, Michel Temer e Pedro Parente, são aumentos constantes dos combustíveis, quem aguenta com esta administração de interesses, o povo e os caminhoneiros suportaram por um tempo, mas acordaram para protestar e pedir mudanças, se o presidente interino tivesse bom senso, já teria demitido este pau mandado Pedro Parente, não joga no time brasileiro e sim dos EUA.

  5. Bom dia leitores(as):

    Senhor Carlos Newton , gostaria de perguntar ao Presidente da Petrobras Pedro Parente , o que esta sendo feito (para onde estão indo) com os “Recursos / Valores” descontados “COMPUSÓRIAMENTE” dos aposentados e funcionários da ativa da Petrobras ?
    Pra quem de fato estão indo tais recursos ?

    O Plano Petros do Sistema Petrobras (PPSP), de benefício definido, está passando por um processo de equacionamento, em função do déficit de R$ 22,6 bilhões acumulado nos anos de 2013, 2014 e 2015. Atualizado para o final de 2017, com base na meta atuarial (inflação + taxa de juros), o déficit do PPSP foi corrigido para R$ 27,7 bilhões.

    O equacionamento é fundamental para garantir a continuidade do plano no longo prazo, com o pagamento das aposentadorias, pensões e cumprimento de todos os demais compromissos assumidos com os participantes. Exatamente por isso, o equacionamento é obrigatório, conforme previsto na legislação que rege o segmento de previdência complementar, sendo, consequentemente, uma exigência do órgão fiscalizador do setor, a Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc).

    O déficit deve ser equacionado por todos os participantes — ativos, aposentados e pensionistas — e também pelas patrocinadoras — Petrobras, Petrobras Distribuidora e Petros —, na mesma proporção das contribuições normais realizadas no período de 2013 a 2015, conforme determinado na legislação.

    A proposta de equacionamento do déficit do PPSP foi aprovada em 12 de setembro de 2017 pelo Conselho Deliberativo da Petros, que conta com representantes eleitos pelos participantes e com representantes da patrocinadora Petrobras. Em 30 de janeiro de 2018, a Fundação foi comunicada pela Petrobras, e, em 31 de janeiro, pela Petrobras Distribuidora, que a Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (Sest) apresentou parecer favorável, aprovando o Plano de Equacionamento de Déficit (PED) referente ao exercício de 2015. Com isso, mesmo estando habilitada a iniciar a cobrança das contribuições extraordinárias já em fevereiro, a Fundação optou por efetuar a cobrança a partir do contracheque de março, para que os participantes pudessem ser amplamente comunicados sobre o início do desconto. Com isso, o adiantamento pago no dia 10 de março já sofrerá o desconto da contribuição extraordinária.

    A Petros cumprirá todas as decisões judiciais referentes ao Plano de Equacionamento de Déficit, observando os participantes e assistidos abrangidos pelos limites das decisões judiciais.

    É importante ressaltar que o déficit do PPSP não tem qualquer influência sobre o PP-2, nem sobre qualquer outro plano administrado pela Petros. Ou seja, outros planos que estão com as contas equilibradas não têm que fazer equacionamento.

    Nas telas a seguir, você pode saber mais sobre o equacionamento, as causas do déficit do PPSP, os percentuais de cobrança e tirar suas dúvidas sobre o assunto.

    MENSAGEM DO PRESIDENTE

    APRESENTAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA

    REPRESENTANTES DA PETROS ESCLARECEM DÚVIDAS SOBRE EQUACIONAMENTO

    ENTENDA O DÉFICIT

  6. O ex-senador Osmar Dias (PDT), pré-candidato ao governo do Paraná, recebeu nesta segunda-feira (28) em Curitiba a visita do ex-ministro Aldo Rebelo (SP), presidenciável do Solidariedade (SD). No encontro, segundo a assessoria do pedetista, Dias e Rebelo discutiram os efeitos da paralisação dos caminhoneiros. Também conversaram sobre a necessidade de um aperfeiçoamento do Código Florestal. No Paraná, o SD deve integrar a chapa liderada pelo PDT, junto com Podemos e PPL do presidenciável João Vicente Goulart (filho do Presidente Jango), aliança que também deverá dividir palanque com dois outros presidenciáveis: Alvaro Dias (irmão de Osmar) e Ciro Gomes (candidato da legenda brizolista). https://www.bemparana.com.br/blog/politicaemdebate/post/osmar-recebe-aldo-rebelo-presidenciavel-do-sd

    Ciro Gomes classificou de “desastrosa” e “estúpida” a política de preços da Petrobras, com reajustes quase diários no valor dos combustíveis: motivo alegado pelos caminhoneiros para deflagrar greve nacional na segunda-feira da semana passada (21). “Essa política da Petrobras é fraudulenta”, afirmou. Segundo ele, se a companhia fosse bem conduzida, “o preço do óleo diesel estaria, no máximo, em R$ 3”. De acordo com o pré-candidato, é preciso separar o joio do trigo, desmascarando os aproveitadores que estariam infiltrados no movimento para desestabilizar o país politicamente. No entanto, conforme afirmou, a greve evidenciou o esgotamento do modelo de transporte adotado no Brasil, altamente dependente das rodovias. No programa, defendeu investimentos em transportes ferroviários e fluvial/marítimo (de cabotagem). “Durante os últimos 20 anos, o Brasil destruiu as ferrovias”, argumentou. https://www.metropoles.com/brasil/politica-br/roda-viva-essa-politica-da-petrobras-e-fraudulenta-diz-ciro-gomes

  7. Bom dia leitores(as):

    Senhor Carlos Newton , acontece que a construção da refinaria Abreu e Lima , em sociedade com a VENEZUELA em troca de tecnologia e foi cotada entre 5 bilhões e 10 bilhões de dólares ( só que Hugo Chave ,teve que pular fora , quando percebeu aumentos escancarados da cotação inicial ) foi a única projetada para processar óleo pesado, com tecnologia da PDVSA (estatal venezuelana). Mas só produz 100 mil barris/dia, porque as obras pararam pela metade , devido á roubos puro e simples. A Venezuela é um dos pouquíssimos países do mundo ,dentre os maiores produtos de petróleo ,com domínio de todo o seu ciclo ,foi essa tecnologia que o Brasil perdeu , devido á corrupção institucionalizada que afugentou os Venezuelanos.

  8. A política de preços está correta, tem que acompanhar o mercado; e a prova é tanta que a mesma petrobras vende gasolina para bolivia e paraguai, seguindo a mesma regra aplicada no brasil; a gasolina sai daqui a R$ 1,90, aproximadamente, a diferença é a nossa carga de impostos.

    Metade do preço da gasolina é impostos, reduza os impostos e o preço cai.

    No mais, venda a petrobras e abra o mercado a concorrência, inclusive para importação e distribuição de combustíveis para quem tiver interesse em participar.

    • Alex Moura, é possível que com um desenho você entendesse a situação, já que escrito você simplificou demais essa loucura do.preço atrelado ao dólar .

  9. Bom dia leitores(as):

    Senhor Alex Moura ,como é público e notório a grande maioria das privatizações efetuadas no Brasil , foram literalmente CRIMINOSAS e LESA-PÀTRIA , só privatizaram a MÁQUINA REGISTRADORA e o COFRE , vede a CIA.ENERGÊTICA de São Paulo , que os Norte Americanos saquearam, dilapidaram e devolveram ,mesmo assim os Governadores de São Paulo a sanearam com mais dinheiro público ,e a privatizaram outra vez .
    É esse tipo de privatizações que o senhor defende e apoia ~?
    Sugiro que se faça uma auditoria em todas ás ex-empresas públicas privatizadas ,assim como defendo uma auditoria no INCRA , no IBAMA , no MST e sua cogeneres ,para se saber para quem de fato estão indo as TERRAS DEMARCADAS .

  10. Isso mesmo Alex Moura, como fizemos com nossa Vale do Rio Doce.
    Veja quanto aço laminado exportamos?!!!
    Agora o minério, vai de ‘vento em popa’ para ter valor agregado nas usinas e deixando nosso povo aqui, nesta vidinha que vai levar todos “eu disse Todos” nós para o buraco.
    Não é porque temos “malditos entreguistas” aqui; maus brasileiros, verdadeiros Vampiros do sangue brasileiro, que não podemos manter nossas riquezas e saber fazer dela bom uso.
    Mas, temos que ter muito cuidado e tem que ser modificado pela elevação moral, intelectual e científica do Brasil, pois uma ruptura mal feita, pode levar a nossos queridos Irmãos do Norte a despejar bombas em nós.

  11. É óbvio que Pedro Parente tinha que estar preso. Está metendo a mão no bolso da viúva ou alguém em sã consciência acha que acabou a corrupção na Petrobrás. Só não está preso por causa daquele princípio inquebrável: tucanalha não pode ser preso.

  12. Bom dia leitores (as):

    Senhor Pedro Rios , capacidade e criatividade temos , mas o país é SABOTADO pelos maus Brasileiros e Lesa – Pátria ,sou MARÍTIMO APOSENTADO hà três anos , nós levávamos ferro gusa semi-manufaturado (pelotas) para o Canadá ,em troca de trigo , pasmem até sal mineral importávamos das Bahamas ,isso em meados da década de 1980 , hoje esta piorou mais ainda.

  13. Pedro parente é normal quitar uma dívida antecipada de 2 bilhões com bando americano,vc é um traidor da pátria,dolarizando o petróleo, comprando em dólares e vendendo em real, imbecil,economista de merda.

  14. Sobre a Petrobrás:

    “-Se o Brasil tem petróleo suficiente até para exportar, se há uma grande empresa petroleira nacional, se essa petroleira refina o próprio petróleo, então porque precisamos pagar preços do mercado internacional?

    A resposta é muito fácil.
    Desde que se implantou a política antinacional de FHC, a Petrobrás foi obrigada a ter “parceiros” internacionais na exploração dos campos que ela descobriu. Além disso, ele vendeu (doou) 30% das ações da empresa no mercado internacional. A colocação das ações da empresa na Bolsa de Nova Iorque submeteu a Petrobrás automaticamente à soberania, e particularmente, à Justiça norte-americana, sendo que os acionistas podem alegar, a qualquer tempo, perdas devidas a iniciativas da estatal definidas pelo Governo brasileiro, como a própria política de preços exige.
    Em paralelo, começaram os leilões de nossas reservas petrolíferas e em muitos campos já não há nem participação minoritária da Petrobrás. Posteriormente, José Serra conseguiu aprovar no senado uma lei que “dispensa” a Petrobrás de ter o mínimo de 30% dos campos do pré-sal por ela descobertos.

    Em função dessas medidas fica fácil ver que a Petrobrás não pode precificar o petróleo dela por um preço adequado a realidade brasileira. Ela não é dona dos poços que descobriu em território brasileiro com as tecnologias que ela mesma desenvolveu e quanto mais caro cobrar, maior lucro dará aos acionistas.
    Foi a combinação do FHC por ocasião da venda de ações em Nova Iorque que a venda de derivados no Brasil seria por preço internacional e é por isto que ele se recusa a baixar o preço, enquanto ficamos aqui bradando apenas contra a corrupção nos distraímos de outras coisas também importantes e a caravana passa levando o nosso petróleo e o nosso futuro.
    Os dirigentes da Petrobrás, com o aval do Presidente, reduziram as cargas das nossas refinarias permitindo a importação de derivados por terceiros, pois com menos derivados próprios fica aberta a porta para a importação. Pior ainda, se desfazem de lucrativas parcelas como a BR Distribuidora e da fábrica de fertilizantes, a única que o Brasil tem. Sendo um dos maiores exportadores do agronegócio do mundo importamos quase a totalidade de fertilizantes usados aqui, Isto é para nós, brasileiros, mais uma vergonha; é uma grave vulnerabilidade.

    Gélio Fregapani”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *