Receita Federal multa a TV Globo e 63 artistas por sonegação de impostos e crimes fiscais

Na Globo há 34 anos, William Bonner comanda o JN desde 1996: uma trajetória de sucesso abalada por quem o acusa de falta de imparcialidade

William Bonner é um dos investigados pela Receita Federal

Carlos Newton 

No país da piada pronta, reina a esculhambação institucional. Um dos melhores exemplos é visão dupla e míope que as “autoridades” sempre demonstraram ter sobre a chamada “pejotização”, que é a criação de falsas empresas para permitir vultosa sonegação de impostos. Devido aos interesses da TV Globo, durante décadas esse assunto foi tabu na grande mídia e os impostos foram sonegados na casa dos bilhões, não é exagero.

Esse golpe de elisão fiscal funciona da seguinte maneira. Ao invés de assinar a carteira trabalhista de seus empregados de maiores salários, como atores, roteiristas, apresentadores, diretores etc., a emissora os incentivava a criarem empresas, e assim patrões e sonegadores passaram a dar golpes milionários no Imposto de Renda, no INSS e no Fundo de Garantia.

VIROU PANDEMIA – Era manobra claramente ilegal, mas passou a ser feita também pelos mais variados tipos de empresas que contratam profissionais de alta remuneração. Tudo ia bem até que uma apresentadora do RJ TV, chamada Cláudia Cruz, teve problemas vocais em 2001 foi obrigada a parar o trabalho. Isso significou quebra de contrato e a emissora a demitiu sem indenização.

Cláudia Cruz à época já era casada com Eduardo Cunha, que presidira a Telerj no governo Collor e desviara recursos suficientes para se tornar deputado. Revoltada com a TV Globo, entrou na Justiça trabalhista alegando doença ocupacional.

Além dos direitos trabalhistas, exigiu reparação por danos morais e indenização por uma cirurgia. A questão foi julgada no Tribunal Superior do Trabalho em 2008 e ela declarou à Lava Jato em 2016 ter ganho indenização de R$ 5 milhões.

TV GLOBO INSISTIU – Ao invés de reconhecer a ilegalidade da pejotização, a poderosíssima TV Globo continuou a aplicar o golpe fiscal. Até que recentemente a Receita Federal acordou de um sono profundo e decidiu sair em campo com seus fiscais para coibir a pejotização, que se transmitira pelo país como uma praga, contaminando empresas de todos os tipos, a ponto de hoje em dia ser raríssimo haver diretores, gerentes e chefes de departamento que tenham carteira assinada, a sistemática legal de contratação que praticamente continuou a ser adotada apenas pelas estatais, obrigadas a seguir as leis.   

Os prejuízos dão absolutamente incalculáveis. A empresa deixa de transferir à Previdência 20% do salário do empregado e à Caixa Econômica Federal mais 8% do FGTS. Além disso, reduz o Imposto de Renda empresarial, porque qualquer pagamento ao pejotizado entra na contabilidade como Despesa Operacional, reduzindo o lucro real.

Por fim, também não paga adicional de férias (33% sobre o salário mensal), adicional de 40% ao FGTS por demissão sem justa causa, além de mais 10% ao governo, vejam que grande jogada.

DESOVANDO DESPESAS – Quanto ao empregado, economiza muito no Imposto de Renda, que seria de 27,5% sobre o bruto do salário, e pode usar a falsa empresa para desovar gastos pessoais como compra de imóveis e de veículos, condomínio, salários de empregados domésticos, gastos com transportes, passagens aéreas, alimentação etc., porque o céu é o limite, basta ter um cartão de crédito corporativo e um bom contador.  

Já foram apanhados na malha fina da Receita 63 pejotizados da Globo, entre eles William Bonner, Deborah Secco, Reynaldo Gianecchini, Malvino Salvador e Maria Fernanda Cândido, todos multados. E começaram também a fiscalizar a Record.

###
P.S. –
Acusadas de associação criminosa e conluio com os empregados, as emissoras estão em pânico e começaram a renegociar os contratos para fazer tudo bonitinho, de carteira assinada, como ocorre na matriz USA, onde o ator Wesley Snipes passou mais de três anos na cadeia, por sonegação de Imposto de Renda, mas aqui na filial Brazil isso jamais aconteceria, porque somos o país da piada pronta… e da impunidade.  (C.N.)

13 thoughts on “Receita Federal multa a TV Globo e 63 artistas por sonegação de impostos e crimes fiscais

  1. globolixo sempre “contornou” a lei do Imposto de Renda em seu benefício.

    A funcionária da Receita Federal Cristina Maris Meinick Ribeiro foi condenada pela Justiça Federal do Rio de Janeiro por, entre outras coisas, dar sumiço nos processos que eram movidos pela Receita Federal contra a Globopar, controladora das Organizações Globo.

    https://outraspalavras.net/outrasmidias/como-o-dossie-da-globo-desapareceu-da-receita/

    E o caso do doleiro Tacla Dùran entregando dólares na Globolixo, como fica?

  2. Um dos processos resultou numa cobrança superior a 600 milhões de reais — 183 milhões de imposto devido, 157 milhões de juros e 274 milhões de multa. Foi resultado do Processo Administrativo Fiscal de número 18471.000858/2006-97, sob responsabilidade do auditor Alberto Sodré Zile. Como ele constatou crime contra a ordem tributária, pelo menos em tese, abriu a Representação Fiscal para Fins Penais sob o número 18471.001126/2006-14.

  3. A pejotização, a criação de empresas de “vários” donos que distribuem dividendos para não pagar qualquer imposto e mais outras formas de burla estão aí presentes.

    O não pagamento de ICMS, o não repasse ao INSS do valor devido, também estão espraiados pelo Brasil afora. A procrastinação de pagamento de impostos, esperando o Refis e outras maneiras “legais” de empurrar dívidas com o fisco abundam.

    E isso não é notícia, é algo que se tornou habitual no país. Gritamos contra a corrupção dos políticos, mas esses outros tipos de sonegação passam ao largo, incólumes às críticas.

  4. A “imprensa” militante brasileira se resume a isso:

    * Mamata Connection, 8 milhões de dinheiro público.
    *A datilógrafa Verba magalhães, quase 1 milhão por ano de dinheiro público.
    * Merdal Pereira, R$ 200.000 por palestras, pagas com dinheiro público.

    • Lembra da Pitonisa de Paris, Dona Fernandetta Henriquetta Cardosina I, II, III ,, mamando nas tetas da Lei Roubanet, ops, errei, Lei Roaunet….??

  5. A pejotização não somente é praticada pela Globo não.
    Será qie Record, SBT etc. não devem fazer nada muito diferente…
    E o que dizer dos profissionais médicos, dentistas, advogados e mesmo profissionais da comunicação como jornalistas (????) que dão jeitinho aqui e outro ali para pagar menos imposto.
    Na boa… É muita hipocrisia quando se tem em todas as áreas.

  6. Tem que ser firme quando se trata de crime contra o estado. Que seja feita justiça sem influência de quem quer que seja. Vale para todo mundo – até para os filhos do presidente. Fez rachadinha? Tem que pagar pelo erro. Gastou 2.4 milhoes em gozo de férias, mesmo que seja o presidente e a sua família sagrada, tem que ser publicado e julgado.

  7. Dados de 2019 – 31 anos após estrar em vigor a “constituição cidadã” – mostram que no hospício Tabajara foram editadas 403.322 normas em matéria tributária.

    Em média, foram mais de 2,14 normas tributárias por hora (dia útil), sendo que cada norma – também em média – tem 3 mil palavras.

    Nesses 31 anos, houve “apenas” 16 emendas constitucionais tributárias, além de terem sido criados inúmeros tributos pelos políticos legisladores do hospício.

    Desculpe, ia esquecendo de registrar que no hospício Tabajara foram majorados praticamente todos os tributos para que seus agentes pudessem receber gordas remunerações e inúmeros “penduricalhos” – tudo aprovado legalmente.

    Os números provam que no hospício Tabajara sonegar imposto passou a ser ato de legítima defesa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *