Piada do Ano! Governo tenta culpar a Previdência pelo descontrole da dívida pública

Cláudia Bomtempo e Juliana Lima
TV Globo — Brasília

Projeções da Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia indicam que, sem a reforma da Previdência, já em 2023, a dívida bruta do país, indicador utilizado pelas agências de classificação de risco para a avaliação das notas de crédito dos países, vai atingir 102,3% do Produto Interno Bruto (PIB). Isso significa que a dívida pública vai superar o conjunto de todos os bens produzidos pelo país no ano.

Entre 2013 e 2018, a dívida bruta do governo passou de 51,5% para 76,7% do PIB. “O endividamento crescente aumenta a desconfiança dos credores, que passam a exigir prazos mais curtos e juros maiores para continuar financiando o déficit, piorando a qualidade da dívida. É o futuro preocupado em saber quem vai pagar a conta”, afirmou a secretaria no documento.

INSOLVÊNCIA – “O ajuste em direção ao equilíbrio fiscal torna-se mais duro e difícil de ser obtido, reduzindo ainda mais a capacidade presente e futura do governo em destinar recursos para investimentos programas sociais. A solvência do Estado demandará sacrifício de todos”, completou a secretaria, em outro trecho.

Segundo o documento da SPE, sem a reforma da Previdência, o Brasil corre o risco de não ter dinheiro para pagar, por exemplo, salários de funcionários públicos. O documento alertou para a situação que já está em curso em estados como Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, que já estão atrasando ou parcelando o pagamento de servidores ativos e inativos.

SALÁRIOS EM ATRASO – “Vários estados já estão atrasando pagamento de funcionários e aposentados. Hoje, a realidade das contas públicas estaduais já está botando em risco esses pagamentos de servidores. No caso da União, a rolagem de dívida permite que o pagamento esteja em dia. Mas, na ausência da nova Previdência, os dados sugerem esse grande aumento da dívida pública. O que dificulta a sua rolagem colocando em risco o pagamento dos servidores federais, já a partir de 2020 – servidores ativos e inativos”.

O documento também fez uma comparação internacional das despesas públicas com previdência e o grau de envelhecimento da população.

“O Brasil, que ainda apresenta uma população relativamente jovem, já apresenta uma proporção de gastos públicos previdenciários acima de países com uma parcela de aposentados muito mais representativa na população. Assim, o Brasil apresenta um perfil de gastos previdenciários em patamares absolutamente incompatível com sua demografia atual, e fica clara a insustentabilidade do atual regime à medida que o país envelhecer”, apontou a projeção.

NO VERMELHO – De acordo com os números usados pela Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia, no final de 2017, a previdência pública da União, dos estados e dos municípios estava no vermelho em mais de R$ 7 trilhões (R$ 7.413,90 trilhões).

“Os resultados das avaliações atuariais mais recentes indicam déficit de mais de R$ 5,0 trilhões para o conjunto dos estados. Para o RPPS (Regime Próprio da Previdência Social) da União e do conjunto dos municípios brasileiros, os resultados atuariais são negativos em cerca de R$1,2 trilhão e R$1 trilhão, respectivamente.”

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – Essa piada foi de amargar. O governo enfim admite que a dívida pública está incontrolável, mas tenta culpar o déficit da Previdência, que é apenas um dos fatores. É muita desfaçatez. A equipe econômica deveria parar de iludir os contribuintes e colocar em discussão a dívida pública, mas isso é tabu, porque os interesses dos banqueiros vêm em primeiro lugar. Qualquer pessoa que possua o mínimo de formação em economia tem obrigação de saber que a dívida continuará destruindo o país, mesmo que o déficit da Previdência seja contido. Este é o assunto mais importante da atualidade, mas o ministro Paulo Guedes se recusa a discuti-lo. Em qualquer país minimamente sério, Guedes já teria sido detonado, por insistir na tentativa de proteger os banqueiros, ao invés de defender o interesse público. Apenas isso. (C.N.)

21 thoughts on “Piada do Ano! Governo tenta culpar a Previdência pelo descontrole da dívida pública

  1. -Como os democratas faliram o país e levou o povo às dívidas, só sobrou o dinheiro dos aposentados.
    -Mas, claro, a culpa de tudo isso é do Guedes e do Bolsonaro!
    Agora, reforma da Previdência sem auditoria anterior é tão

  2. Triste é ver o noticiário informar, a cada trimestre, os lucros pornográficos dos bancos, seja estatal, seja privado, na casa dos Bilhões, e enfiar goela abaixo do brasileiro a necessidade de cortar na carne, na aposentadoria, nos benefícios, na educação, na assistência social. Pior ainda é a desfaçatez de não ver que são lados opostos da mesmíssima moeda. Cadê a auditoria, Paulo Goebbles!!!

    • Ninguém é obrigado a pedir dinheiro a banco. Se o governo se endividou, a culpa é dos governantes que favoreceram os bancos.

      Quem? Todos. Mas vamos ficar só nos mais recentes: o consórcio tucano-petralha.

      • Para o funcionamento do Capitalismo, hoje, TODO MUNDO precisa pedir dinheiro aos bancos.
        Não nos tuermos brasileiros, logicamente.
        Todos os paises mais bem de vida no bloco capitalista são países com nivel de individamento altíssimo.
        É assim que funciona.

  3. A culpa não é da Previdência, mas sim de quem foi imprevidente, na gestão dela.
    Conheço lares com até cinco sanguessugas, “vampirando” o INSS.
    Acompanhei um vexame que só acontece em dois países, Suíça e Brasil: um abactor (ladrão de gado), enquanto perseguia um animal a cavalo, caiu e luxou o braço. Punição: inscrito como pescador, foi compensado com quatro meses de auxílio-doenca.
    Por que estou tão seguro do que estou narrando? Resposta: o bacana diz ser meu parente! PT que pariu!

  4. -Os canalhas da Elite dos Três Poderes, geralmente vermes e parasitas, não estão nem aí para o país. Onde chegarem, com os bolsos cheios do dinheiro dos nossos impostos e o “green card”, serão bem recebidos e bem servidos, assim como a sua prole!

    -Por isso, enquanto o barco Brasil adorna, eles continuam distribuindo gratificações, ajudas e aumentos salariais para quem já tem o salário imoral como se nada demais estivesse acontecendo.
    -E o Barnabé que trabalha na portaria?
    -Este corre o risco de ser demitido para “equilibrar” as contas públicas:

    https://istoe.com.br/fmi-so-reforma-nao-e-suficiente-para-resolver-questao-fiscal-do-brasil/

  5. Vai piorar a situação do Brasil daqui pra frente.
    A crise econômica e política vai aumentar.
    Os banqueiros estão no poder.
    Tudo que é arrecadado com impostos vai direto para bancar os privilégios e mordomias dos servidores públicos.
    O Brasil está perdido afundando cada vez mais no caos.

  6. Acho que o problema da previdência vai além de seu aspecto econômico-contábil (segundo dizem, falimentar), acho que é uma questão de justiça porque uma minoria privilegiada recebe muito mais (e bote mais nisso) do que a maioria dos trabalhadores.

    Minha reforma da previdência seria a seguinte: cortar o benefício em 30% de quem recebe acima de 5 salários mínimos, aumentando esse percentual a cada dez ano até atingir 60%.

    Portugal cortou 30% de todo mundo, após décadas de sabotagem da esquerda à reforma. No fim foram obrigados a isso por imposição da Alemanha (CE), que estava pagando a conta.

    • “No fim foram obrigados a isso por imposição da Alemanha (CE), que estava pagando a conta.” Vê-se, pois, a importância do sistema confederativo, de olhos abertos, que não admite irresponsabilidades financeiras dos seus entes confederativos.

  7. A BOMBA-RELÓGIO, armada há 129 anos vai acabar explodindo por conta própria, caso não seja desarmada com sabedoria. Lembra até o discurso do regime militar, antes e ao fim de cada mandato presidencial com o presidente dizendo.” não prometo a ninguém finais de anos sem aperturas”. Não foi à toa que os banqueiros, rentistas, agiotas e afins, além dos tradicionais comensais, apostaram tudo no milicianismo, como tábua de salvação do establishment.

  8. O Cartoon têm a solução, achar uma dona gorda de uns 390 quilos, vestir uma calcinha semelhante a essa do desenho nela, deixando-a sentada na cara do Goebbels até ele pedir arrego, pedir pra sair….

  9. “A equipe econômica deveria parar de iludir os contribuintes e colocar em discussão a dívida pública, mas isso é tabu, porque os interesses dos banqueiros vêm em primeiro lugar.”

    E todos esse generais encostados no governo? Pra que servem?
    O melancia em vez de contestar o Olavo ficou fazendo gracejo!
    É pra pra isso que o contribuinte está pagando altos salários pra esses que já estavam de pijamas e agora pegaram essa bocarras, que antes eram destinadas a políticos?
    Por que enfiaram os rabos entre as pernas com a decisão dos sinistros do supremo?
    E o Bolsonário? Quando é pra postar um pederasta com o fiofó arregaçado, no carnaval, ele considera importante manifestar-se, mas para essa decisão do supremo de livrar a cara dos ladrões, seus colegas políticos, ele fecha o seu bico? E os filhotes bobões, também não têm nada a dizer sobre a rasteira na lava-jato?

  10. Assino NR, Essa questão de divida, com 400% anuais, e o trabalhador compulsoriamente entregar 6 meses e 5 dias de seus salários, em impostos para serem roubados, infelizmente 12 milhões desempregados, o Brasil está caindo no precipício, com essa politica econômica criminosa hedionda, dos banqueiros e seus comparsas no Congresso, e Executivo, em que o dinheiro vale mais que os Direitos Humanos básicos da Cidadania,que estão no caos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *