Piada do Ano! Relatório final na CPI não encontrou irregularidades no BNDES

Resultado de imagem para luciano coutinho

Coutinho mentiu sobre garantias ao Porto em Cuba

Deu no Estadão

Assim como ocorreu na Câmara dos Deputados, há dois anos, a CPI do BNDES no Senado deve terminar sem nenhum indiciamento. Em parecer final apresentado nesta terça-feira (13), o senador Roberto Rocha (PSDB-MA) não identificou irregularidades concretas durante os cerca de sete meses de trabalho do colegiado. Na conclusão, Rocha apresentou propostas para aperfeiçoar a legislação com a justificativa de garantir mais transparência na concessão de empréstimos, mas admite que alguns aspectos não foram investigados.

“No que se refere ao tema objeto do Requerimento nº 969, de 2017, que ampliou o escopo da CPI para abranger a investigação de eventuais irregularidades nas operações voltadas ao apoio à administração pública, em especial a linha denominada BNDES Finem – Desenvolvimento Integrado dos Estados, pouco foi efetivamente apurado pela CPI. A superveniência do recesso parlamentar prejudicou os trabalhos, razão pela qual entendemos que deve o BNDES encaminhar informações a respeito do tema ao Parlamento”, escreveu.

NÃO INVESTIGOU – “Alguns dos expositores manifestaram a preocupação com a questão da prioridade na concessão de financiamentos para determinados grupos (por exemplo, os “campeões nacionais”) em detrimento de outros. Lamentavelmente, a CPI não conseguiu investigar a fundo a questão, em razão do tempo e dos recursos humanos escassos. De qualquer forma essa questão e várias outras apontadas pelos representantes do TCU estão sendo objeto de apuração por parte do TCU e de outros órgãos públicos”, disse em outro trecho.

Ele também destacou que “não é possível afirmar se os projetos para melhoria da infraestrutura nacional que foram apresentados e não foram financiados realmente eram ruins”. “Isso não se enquadrou como objeto desta CPI e não foi investigado”, alegou.

CASO JBS – Ele considerou também que a situação “ainda não é a ideal” e avaliou que, entre os empréstimos concedidos, o grupo J&F foi fortalecido. “Nesse caso, que é apenas um exemplo, um grupo econômico brasileiro foi fortalecido – o que a princípio não é ruim para o País – mas as externalidades ou benefícios dele decorrentes para a economia brasileira não foram devidamente aferidos.”

Ele ponderou, no entanto, que “não se trata de imputar culpa ao BNDES” e que ficou “patente que havia uma orientação estabelecida por órgãos superiores, tais como o então existente Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior”.

NOVA REUNIÃO – O colegiado foi aberto, no ano passado, para investigar empréstimos do banco para internacionalização de empresas, desde 1997. Um dos focos de apuração eram as operações de financiamento do grupo J&F, controlador do frigorífico JBS, cuja delação levou à investigação do presidente Michel Temer e fragilizou o governo.

O presidente da CPI, Davi Alcolumbre (DEM-AP), não estava presente da sessão. Em seu lugar, Sergio Petecão (PSD-AC) conduziu os trabalhos e conduziu prazo de vista coletiva (mais tempo para análise) de uma semana. Uma nova sessão para votação do parecer foi convocada para a próxima terça, 20.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
É este tipo de comportamento que desmoraliza as CPIs. O ex-presidente do BNDES compareceu ao Congresso várias vezes e mentiu descaradamente, ao dizer que o empréstimo a Cuba era garantido pela Odebrecht. A empresa desmentiu e então se soube que foi o próprio governo brasileiro que ofereceu a garantia. O mesmo esquema acobertou outros financiamentos a países amigos do PT, mas a CPI nem percebeu. (C.N.)

13 thoughts on “Piada do Ano! Relatório final na CPI não encontrou irregularidades no BNDES

  1. Estas CPIs sempre foram desmoralizadas na sua essência e nas origens, câmara ou senado , e pelos componentes.
    Neste caso, o Mantega e este Luciano Coutinho já deveriam estar presos há muito tempo. Irão, provavelmente, logo após o bandido, chefe deles, na próxima semana.
    Bolsonaro, 2018, no primeiro turno.

  2. A da previdência gerou um relatório que em nada influenciou as ações de Temer em tentar rifar a previdência entre os banqueiros. A das ONGs que em seu início previa vários partidos envolvidos e muitíssimo dinheiro desviado, nada apurou, mas o dinheiro gasto com ela e o desvio de finalidade dos parlamentares, foi bem sentido. No mensalão o brasileiro teve a exata noção da importância e do que se trata para o país, uma Comissão Parlamentar de Inquérito. O envolvido antes de ser inquirido, por vossas excrecências, passava no STF e munia-se do HC preventivo que facultava o direito de ficar calado e obrar solenemente a cada pergunta desferida contra ele. Berrou-se a todo país, o imenso e caríssimo circo de que se tratava esta obra de ficção, inventada por gente que inventa inquéritos, por ter pavor de ser inquirido por quem faz isso por ofício. Infelizmente, mesmo com o STF desenhando, a capacidade do brasileiro para certos assuntos e um deles é se precaver das mallandragens de seus pollíticos, parece ser extremamente LIMITADA. Estamos falando aí dos mais variados extratos sociais do país, o que nos a dimensão da burrice social.

  3. DE um congresso podre, esperar o que?? só podridão. e os cretinos enriquecem com a mão no cofre público. Não reeleger e repudiar os partidões e penduricalhos, é uma necessidade para salvar o Brasil, que está numa merda que faz gosto.

    • Não reeleger qualquer político nem eleger alguém que seja parente dos atuais, é um bom começo, no sentido da moralização do país!

      • Ruy,

        Exatamente esta deve ser a nossa missão neste blog:

        Pedir a todos que não reelejam ninguém!

        Que devemos fazer uma faxina absoluta no congresso, antro de venais, vagabundos, ladrões e corruptos.

        Não custa nada eleger gente nova que, se não der no couro, na próxima eleição é posto para fora também.

        Mas devemos fincar pé nesta ideia, nesta intenção de reformular o parlamento por completo.

        Um abraço.
        Saúde e paz.

  4. .
    NÃO HÁ QUALQUER DÚVIDA !!!
    .
    os dedos da mão esquerda do
    TRI-MAIOR LADRÃO DA HISTÓRIA DA HUMANIDADE
    são demasiados e excessivamente muitos demais
    para contar os en.Cenadorres tupiniquins
    QUE NÃO SÃO
    PICARETAS PATIFES PULHAS e, sobretudo,
    P.R.O.S.T.I.T.U.T.O.S.
    (vejam Dicionário Houaiss, acepção 4!) !!!

  5. O dinheiro correu grosso para comprar os votos desta horda de corruptos.
    São os vendilhões da pátria.
    O povo não deve votar nestes canalhas.

  6. Esse cavalheiro causou mais males á nossa economia do que o Cabral. Pelo BNDES foram gastos bilhões de dolares com países estrangeiros cujos líderes comungavam da nojenta posição política do Ladrão Mor e desse sujeito. Os recursos perdidos eram críticos para o Brasil, mas canalha não tem pátria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *