Polêmica do aumento do diesel revela que há desconexão no governo Bolsonaro

Resultado de imagem para aumento do diesel charges

Charge do Newton SIlva (newtonsilva.com)

Pedro do Coutto

O presidente Jair Bolsonaro, que se encontrava no Amapá, telefonou para o presidente da Petrobrás, Roberto Castello Branco, e determinou que o aumento de 5,7% no preço do óleo diesel fosse imediatamente suspenso. Os reflexos tanto da majoração quanto da suspensão do ato do presidente da estatal revelaram mais uma vez a falta de conexão política do governo. Afinal de contas, aumentar o preço foi um ato que atingiria o consumo diário de 1 milhão de barris, significando que o novo preço incidiria sobre caminhões e ônibus principalmente. O consumo do óleo diesel atinge metade do transporte rodoviário do país.

A questão, entretanto, não pode ser vista apenas sob o ângulo econômico e cujo reflexo atingiu fortemente o preço das ações da Petrobrás na Bolsa de Valores de São Paulo.

PARENTE TENTOU – A decisão do Palácio do Planalto, de outro lado, atingiu frontalmente o Presidente da estatal e a aparente independência da Petrobrás em fixar seus preços de acordo com as oscilações do mercado internacional do petróleo.

Tal política, de outro lado, fora tentada por Pedro Parente, quando presidiu a empresa, e culminou com sua saída do cargo no governo Michel Temer. O panorama do petróleo é dos mais complexos. No caso da Petrobrás afeta o valor de suas ações na Bovespa. Mas não é apenas isso.

Atinge também frontalmente a política liberal projetada pelo Ministro Paulo Guedes, a qual sofreu forte golpe na tarde de sexta-feira. Por isso, na minha opinião, o desafio de administrar preços torna-se um dos mais complexos colocados na estrada do governo.

VÁRIAS FACES – O problema não se esgota com o recuo da ideia liberal do Ministro Paulo Guedes, no caso seguida à risca por Roberto Castello Branco. Trata-se de um lance de dados de várias faces. Uma delas o reflexo no custo de vida, reflexo imediato decorrente da elevação inesperada do diesel. Por isso é que faltou articulação por parte da equipe econômica, ao surpreender com a decisão tanto os caminhoneiros quanto o presidente da República.

Esse aspecto ficou evidente na declaração do ministro Paulo Guedes que se encontrava em Washington: “Criou-se um silêncio ensurdecedor”. A contradição não se esgota na frase. Ela abrange todo o quadro político do país.

4 thoughts on “Polêmica do aumento do diesel revela que há desconexão no governo Bolsonaro

  1. Trocar o presidente da Petrobras em nada vai mudar o grave freio ao Brasil que esta anômala empresa representa.

    A Petrobras obtém lucro máximo com baixíssima produtividade, pois detém o monopólio de produção e preços.

    Lucro máximo para alimentar o mercado de ações pelo mundo afora.

    Baixíssima produtividade porque é administrada por políticos e sindicatos.

    Quem está pagando é o Brasil e seu povo trabalhador em tudo que produz e compra influenciados pelos preços absurdos dos derivados de petróleo.

    Sem abrir totalmente o mercado e o governo não vender o controle acionário deste Mamute manco o Brasil vai patinar eternamente.

    Não existe outra opção e Bolsonaro com apoio dos militares já entendeu assim.

  2. A Petrobrás tem várias regalias por ser um monopólio e por isso, além do mercado a empresa tem suas funções nas políticas de governo. Quem investe na empresa sabe disto e depois sai reclamando do governo. São os ispertos. Mas, o governo é o acionista maioritário e até saudável a interferência dependendo do momento. O que não pode é fazer como a petralhada e lotear a empresa que chegou a dever 500 bilhões. Apesar de não gostar de Pedro Parente, foi o principal responsável pela recuperação da empresa que está pré falimentar.

  3. Outro aspecto absurdo na questão energética e demais produtos e serviços, fica por conta do indecente ICMS cobrado pelos Estados.

    Não existe condição do Brasil sair do buraco quando um sujeito ao tomar um banho pagar 30% de imposto somente para o Estado em que vive ou seja muito mais do que a empresa de energia elétrica lucra.

    Voltamos ao mesmo ponto ===> Redução do Estado

    Tudo ao contrário do que os comunistas pregam e que nos levou à ruína.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *