Por favor, não mintam sobre a minha geração, que nada tinha de alienada

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn
Resultado de imagem para ALIENAÇÃO DIGITAL charges

Charge do Newton Silva (newtonsilva.com)

Percival Puggina

Há poucos dias fiz aniversário. Embora costume brincar sobre o tema da minha idade dizendo que tenho 73 anos, mas “de banho tomado fico como novo”, o fato é que algumas coisas mudaram na percepção que tenho da minha realidade existencial. Assim: quando eu era jovem, contemplava o futuro como um horizonte móvel. Ele se ampliava e se distanciava a cada passo dado. Agora, eu o percebo fixo. A distância entre mim e ele encurta a cada velinha soprada.

Um dos fascínios da vida, aqui de onde eu a vejo, é a possibilidade de ouvir o que os jovens falam e o que alguns dizem aos jovens. Nessa tarefa instigante de ouvir, comparar e meditar, volta e meia me deparo com a afirmação de que os anos 60 e 70 produziram uma geração de jovens alienados. Milhões de brasileiros teriam sido ideologicamente castrados em virtude das restrições impostas pelos governos militares que regeram o Brasil naquele período.

BEM AO CONTRÁRIO – Opa, senhores! Estão falando da minha geração. Esse período eu vivi e as coisas não se passaram deste modo. Bem ao contrário. Nós, os jovens daquelas duas décadas, éramos politizados dos sapatos às abundantes melenas. Ou se lutava pelo comunismo ou se era contra o comunismo. Os muitos centros de representação de alunos eram disputados palmo a palmo.

Alienados, nós? A alienação sequer era tolerada na minha geração! Havia passeata por qualquer coisa, em protesto por tudo e por nada. Surgiu, inclusive, uma figura estapafúrdia – a greve de apoio, a greve a favor. É sim senhor. Os estudantes brasileiros dos anos 70 entravam em greve por motivos que iam da Guerra do Vietnã à solidariedade às reivindicações de trabalhadores. Havia movimentos políticos organizados e eles polarizavam as disputas pelo comando da representação estudantil.

O PASQUIM – O Colégio Júlio de Castilhos foi uma usina onde se forjaram importantes lideranças do Rio Grande do Sul. As assembléias estudantis e os concursos de declamação e de retórica preparavam a moçada para as artes e manhas do debate político. Na universidade, posteriormente, ampliava-se o vigor das atuações. O que hoje seria impensável – uma corrida de jovens às bancas para comprar jornal -, era o que acontecia a cada edição semanal de O Pasquim, jornal de oposição ao regime, que passava de mão em mão até ficar imprestável.

Agora, leitor, compare o que descrevi acima com o que observa na atenção dos jovens de hoje às muitas pautas da política. Hum? E olhe que não estou falando de participação. Estou falando apenas de atenção, tentativa de compreensão. Nada! As disputas pelo comando dos diretórios e centros acadêmicos, numa demonstração de absoluto desinteresse, mobilizam parcela ínfima dos alunos.

HÁ EXCEÇÕES – Claro que há exceções nesse cenário de robotização. Mas o contraste que proporcionam permite ver o quanto é extensa a alienação política da nossa juventude num período em que as franquias democráticas estão disponíveis à vitalidade da dimensão cívica dos indivíduos.

Em meio às intoleráveis dificuldades impostas à liberdade de expressão nos anos 60 e 70, a juventude daquela época viveu um engajamento que hoje não se observa em quaisquer faixas etárias. Nada representa melhor a apatia política da juventude brasileira na Era Lula do que os fones de ouvido.

10 thoughts on “Por favor, não mintam sobre a minha geração, que nada tinha de alienada

  1. O sr. descreve uma verdade cristalina…
    Hoje temos poucos pensadores e , também,bem poucos bons formadores de opinião …
    Há uma enorme multidão de abaixadores de cabeça, verdadeiros papagaios ,repetidores de informação que sequer ousam querer saber das motivações contrárias…
    Loucos que pensam num mundo perfeito em condições normais de temperatura e pressão…
    Basta questionar suas verdades para que os castelos de areia ,onde foram forjadas suas formações ou deformações ,comecem a desabar. Daí o beicinho de ler e escutar aquilo que não gosta e não ter a ombridade e delicadeza de discutir de forma educada e polida como o sr. e a maioria dos articulistas e comentaristas assuntos tão caros ao nosso querido Brasil. Penso que, dada a alienação que tão bem o sr. descreve, juntamente com o poder das midias, temos uma pessima eficiência. É como se fosse uma locomotiva puxando um fusca.
    Meu saudoso pai dizia: gostaria de ter a sua jovialidade junto com minha experiência….
    Abraço.

  2. Costumo falar que os jovens de hoje tem tudo, mas não tem vontade. A diferença brutal é aplicação educacional, um jovem que chegava terminar o primário hoje é melhor pensante aos que estão saindo da faculdade hoje. Os jovens de hoje não conseguem pensar, mas abrem a boca para criticarem. Macaco fala, repete.

  3. É grave mesmo Sr. Percival.
    Mas a alienação faz parte de um processo elaborado com muita paciência pelos nossos governantes e políticos desde as Diretas!
    Um plano diabólico!
    Dinamitaram o ensino público e o povo vem se acomodando de lá pra cá na burrice!
    O brasileiro tem preguiça de aprender, tem nojo!
    Ficar nesta condição é melhor, ninguém esquenta a cabeça!
    Oh, coisa boa… deixa a vida me levar…
    Absolutamente tudo que ronda o povinho é alienante a “galera” ficou louca, e está em êxtase! Num estupendo torpor! Pode perceber que tudo que é errado virou o certo!
    Os políticos são muito mais competentes que os burros que os elegem.
    A raiz disso, temos um país habitado por verdadeiros patriotas de proveta, esses alienados são o fruto do Dr. Jekill.
    O poveco tá se achando porque tem um ensurdecedor headfhone PENDURADOS NAS ORELHAS, ouvindo a mulher e personalidade do ano, Anita.
    Queremos o que? Que essa gente faça uma revolução? rsrs
    Até meu cachorro que é um doce de mansinho tem seus momentos de revolta quando percebe que quero praticar alguma “injustiça” com ele.
    E com seu jeitinho me mostra um outro caminho a seguir.
    Caro Sr.Percival, não espere isso dos nossos símios!
    Estão em outra, encantados com o radinho de pilha.
    Atenciosamente.

  4. na verdade, estamos convivendo com a terceira geração de idiotas!
    Já venho debatendo isto nos últimos 10 anos. O conhecimento está a disposição, como nunca esteve. No entanto, a utilização da eletrônica/informática da forma como vem sendo feito, EMBURRECE as pessoas.
    Claro que não estou generalizando. estou apenas dizendo que, no máximo entre 10-15% destas últimas gerações, está sabendo como utilizar equipamentos para desenvolver-se, profissionalmente. A outra parte é apenas usuário em dependentes .
    Infelizmente, alguns educadores, alguns opinadores, alguns palpitadores, analisando por vezes em seus pequenos mundos, dizem que as novas gerações são melhores e estão promovendo avanços e mudanças que os “velhos” não entendem.
    As últimas gerações não são apenas alienadas. São dependentes de favores, de encaminhamentos e de tudo que é de ruim que vem sendo utilizado nos últimos 50-60 anos. Agora em quantidade muito maior!
    E é isto que está criando a nova sociedade.
    É preciso conhecimento e coragem para debater a decadência moral e ética de parcelas enormes de nossa sociedade.
    Muitos calaram, por medo e para não se exporem. E ainda argumentam que estes são assuntos pesados.
    pesado é o fardo que estamos carregando.
    Parabéns, mais uma vez ao meu amigo Puggina.

    Fallavena

  5. Considero a juventude estudantil antes do golpe de 64, a mais politizada, embora a maioria do eleitores fosse alienada, e elegeram o Jânio Quadros,, com uma campanha riquíssima financiada pelo poder econômico, mas a maioria dos estudantes, assim como eu, votamos no Gal. Henrique Texeira Lott para presidente e João Goulart para Vice presidente.
    não nos deixamos levar pela propaganda enganosa da UDN
    A ditadura, incutiu nos mais jovens e nos alienados que, quem era a favor do governo João Goulart, Brizola, a Reforma de Base, a reforma Agrária, encampação de algumas multinacionais eram comunista e quem não apoiava as medidas do governo deposto era contra o comunismo, embora existissem uma minoria, que se diziam comunista, que na verdade acabaram colaborando com a intenção de alguns militares com poder de comando para dar o golpe, que já vinha sendo desenhado desde o governo do JK.
    É evidente que durante a ditadura a grande maioria do povo, não teve acesso a maiores informações, o que os transformou em alienados, a prova disso é o Lula estar em primeiro lugar nas pesquisas, com o voto de quem só conheceu a ditadura e a seguir os governos incompetentes, corruptos, enganadores e vendilhões da pátria.
    Comunismo era o bicho papão, o chavão usado por todos os golpes nos países da América Latina. Quantas vezes fui chamado de comunista, sem sê-lo.

  6. Chegamos onde chegamos, não foi por falta de participação da sociedade em geral, mas por falta de visão nossa.
    Falam muito mas pouco dizem. Deveríamos estar discutindo um projeto de desenvolvimento que incluisse os principais assuntos, e entre todos que todo mundo sabe, eu incluo o de tecnologia.
    Porém, não somente tecnologia que se fala muito hoje, ou seja, a tecnologia da informática. Essa, parece que sabemos o necessário para um país atrasado como o nosso.
    Falo da tecnologia de construirmos parques industriais que produzam equipamentos pesados para o nosso efetivo desenvolvimento, como fez a China recentemente que em 10 anos está produzindo 8 vezes mais aço. Isso sim é desenvolvimento.
    Para isso temos que acabar com esses carrapatos das universidades públicas, e privatizar cobrando o justo para que lá, quem quiser, vá buscar estudar sério e se adiantar para centro de pesquisas que produzam tecnologias favoráveis às nossas necessidades, pondo fim ao professorado que nada quer com a hora do Brasil.
    Evidente que isso tudo teria início com a educação de base sendo reformada, e não deixando um só petista pegar no leme para coinduzir esse projeto. Se quiserem ajudar que peguem no pesado, caso contrário, e se deixarmos, vão querer editar novamente o “kit gay” para as nossa crianças.
    O Brasil precisa conhecer sua história a fundo, temos motivos de sobra para nos orgulharmos do nosso passado, mas que esses governos esquerdistas de fhc, lula e dilma fizeram de tudo para deturpar a nossa história contando estórias que nada têm a ver com a nossa realidade.
    Vamos resgatar os diálogos entre jovens e pessoas experientes que sintam amor pelo Brasil e afastar de vez esses parasitas que encheram o nosso país de dívidas e de semvergonhice.
    Com aprisão de lula no próximo dia 24, a coisa começará a mudar, veremos preso um dos malandros frouxos que mais danos causou a pátria.
    Viva a Nossa Pátria Amada!
    Ou ficar a Pátria livre ou morrer pelo Brasil!

  7. Parabéns ao Puggina pelo artigo e aos demais comentaristas por externar a verdade dos fatos.
    Entendo que desta geração que aí está não sai nada em termos de desenvolvimento econômico e sócio-político do Brasil.
    Fui incutida na sociedade a necessidade de ser “feliz” em decorrência no ensino não se pode frustrar os “coitadinhos”!
    Desenvolvemos a cultura da felicidade e do enriquecimento a qualquer custo.
    Esta geração que esta saindo das escolas vai cultivar a mesmice que o articulista e o debatedores comentaram. É triste,…mas não é para esta geração firmar a respeitabilidade no Brasil no concerto das Nações. (expressão velha mas representativa e desconhecida na atualidade.)
    SDS a todos.

  8. Sr. Puggina,

    Por falar em mentir, o que os Tucanalhas Corruptos Ladrões bandidos assassinos é o que mais fazem, mentir , mentir e depois mentir de novo..
    Mas, a Grande Organização Criminosa criada no ninho Tucanesco , inclusive um Tucanalha que quer a Presidência, disse que “Acabou”, Não existe mais a Organização”,Acabou.
    continua com sua expansão em todos os Estados brasileiros.

    Veja que interessante esta noticia…
    https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2018/01/05/pcc-e-a-faccao-predominante-em-goias-aponta-relatorio-de-inteligencia.htm

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *