Queiroga se adapta a Bolsonaro e mostra não ter condições de enfrenta a Covid-19

Falta a Queiroga o dinamismo que caracteriza os líderes

Falta a Queiroga o dinamismo que deve caracterizar os líderes

Pedro do Coutto
 
O ministro Marcelo Queiroga está realmente demonstrando não ser um homem de combate frontal, faltando-lhe dinamismo e disposição para enfrentar a forte onda da Covid-19, cuja velocidade tem aumentado a cada 24 horas, atingindo na noite de terça-feira a tragédia de 4200 mortes, uma parte das quais representou a absurda questão da falta de leitos de UTI.

Vejam os leitores a situação que nós brasileiros estamos enfrentando, com um temor que se amplia a cada momento e em que o número de contaminações e desfechos fatais avançam velozmente. Há duas semanas, os índices de contaminação haviam descido para 70 mil casos diários. De repente começou a se configurar a disparada e a média de infectados passou para uma escala diária de 89 mil, entre homens e mulheres.

MANCHETE – Inclusive, mantida uma contaminação dessa ordem, o número de mortes também subirá, uma vez que o percentual de falecimentos, como é lógico, encontra-se na percentagem de crescimento da infecção. A vertiginosa subida de contaminações foi ontem manchete principal das edições da Folha de São Paulo, do O Globo e do Estado de São Paulo.

O panorama é de alarme irrefutável. O medo está tomando conta da população, exceto os irresponsáveis que se reúnem em aglomerações. Já foi dito claramente que os instrumentos de combate ao coronavírus são a vacina, o distanciamento social e a permanência de cada um em sua residência.

O vírus ataca violentamente, basta ver que o total de mortes está a caminho de 350 mil casos fatais. O presidente Jair Bolsonaro não parece preocupado. Na edição de O Globo, Julia Lindner, Daniel Gullino e Rayanderson Guerra, focalizam a visita de Bolsonaro à cidade catarinense de Chapecó, quando ao lado do prefeito voltou a defender a ideia de tratamento precoce já rejeitada pelos cientistas e médicos de modo geral. O presidente da República não usou máscara, como demonstra a foto publicada.

SEM DISPOSIÇÃO – Eu disse no início deste artigo que o ministro Marcelo Queiroga não tem disposição de combate, não é um homem que se empenha a fundo na defesa do seu trabalho de ministro. Como cardiologista todas as pessoas falam muito bem dele. Mas como ministro da Saúde, para mim, francamente, é um desastre.

O ministro da Saúde tem que ser alguém que tenha a emoção do combate, a disposição de evitar o número cada vez maior de mortes e infecções como está ocorrendo. Alguém que utilize os jornais, as emissoras de TV e as redes sociais para dirigir apelos vigorosos a todos, chamando a atenção para o risco que corremos.  

CONSEQUÊNCIAS – Uma contaminação diária de milhares de seres humanos representa em si um perigo enorme. Os hospitais não têm equipamentos para atender a todas as emergências e os médicos, enfermeiros e auxiliares de enfermagem encontram-se em exaustão. Vejam todos as consequências de o governo Bolsonaro não ter agido imediatamente ao surgirem os primeiros casos.

Um número enorme de contaminações teria sido barrado. Os índices de mortes estariam pelo menos diminuídos à metade. Desastre completo do governo e agora também pela inaptidão completa do médico Marcelo Queiroga.

5 thoughts on “Queiroga se adapta a Bolsonaro e mostra não ter condições de enfrenta a Covid-19

  1. Bom dia , leitores (as):

    Senhores Pedro do Coutto , J.Béja , Carlos Newton e Marcelo Copelli pelo andar da carruagem , a tendência dessa crise ” MÉDICO-SANITÁRIA ” , é se agravar , devido tanta a ” negligência ” do Presidente Jair Bolsonaro , quanto a ” omissão e conivência ” dos membros do congresso nacional (parlamentares),pois tem como único objetivo saquear o ” orçamento geral da união e criar atalhos nas leis p/benefícios próprio e de seus comparsas ” , aproveitando-se da fraqueza , dubieza e covardia do Presidente Jair Bolsonaro , que esta se deixando manipular e usar , contra os interesses do Brasil e seu povo .

  2. Não acredito que esse Marcelo Quedroga seja um bom médico. Ele é burro! Tão burro quanto o ignorante ministro Kassio do STF, que quer propagar a covid com ainda mais rapidez com os aglomerados em templos.

  3. Política a parte, admiro o grande médico que é.
    Agora, creditar o aumento da tragédia que nos aflige ao atual ministro, chega a ser injusto.

    O cara entrou agora, vamos dar um tempo mais.
    Não temos alternativa outra, pelo menos no momento ..

  4. Concordo David. Mas, ele será condenado por ter aceito participar do morticínio que ainda vem pela frente até atingirmos a tal “Imunidade de Rebanho” que no fundo do fundo é o sonho do “tosco”.
    Na cabeça do “tosco” não precisamos nem de vacina.
    Haja vista a perda por prazo dos Milhões de testes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *