Radicalismo liberal de Paulo Guedes ameaça destruir a candidatura de Bolsonaro

O economista Paulo Guedes durante entrevista (Foto: Letícia Moreira/ÉPOCA)

Guedes quer reforma total na CLT e na Previdência

Carlos Newton

O banqueiro Paulo Guedes, cotado para conduzir a economia do país caso o candidato Jair Bolsonaro vença as eleições, é um dos ideólogos do Instituto Millenium, criado em 2005 para implantar no Brasil um sistema político-econômico ultraliberal, com privatização de todas as estatais, redução radical dos direitos trabalhistas e previdenciário, com submissão do país ao sistema globalizado imposto pelas forças econômicas transnacionais. Sua intransigência é bastante conhecida, através dos artigos que escreve e das entrevistas que concede representando o pensamento da extrema-direita do Millenium.

“NOVA SOCIEDADE” – Guedes defende o conceito de uma “nova sociedade aberta”, quer vender todas as estatais e critica enfaticamente o ex- presidente Fernando Henrique Cardoso, dizendo que ele é “o homem que se envergonha das próprias privatizações”.

Em artigo publicado nesta segunda-feira por O Globo, o porta-voz do Millenium, ao analisar a campanha eleitoral da sucessão, classifica a assustadora dívida pública do governo de “moderado endividamento” e defende uma redução radical dos direitos sociais, através de “verdadeiras reformas trabalhista e previdenciária, e não puxadinhos de fim de governo”.

###
“NÃO HÁ TEMPO A PERDER”
Paulo Guedes
(O Globo)

O programa de uma campanha presidencial para as eleições de 2018 terá de enfrentar os temas que descredenciaram candidatos e partidos da Velha Política. Corrupção e impunidade na política. Estagnação econômica e desemprego em massa. Falta de segurança das vidas e propriedades nas ruas e no campo. Falta de saneamento básico, moradia, acesso aos serviços de saúde e de educação para as classes mais pobres.

O enigma que devorou a classe política e degenerou a democracia emergente é que o governo gasta muito e gasta mal.

Gasta muito se compararmos suas necessidades de financiamento com as fontes disponíveis: impostos, emissão não inflacionária de moeda e moderado endividamento.

Gasta mal se compararmos os usos alternativos dos recursos públicos: de um lado, juros astronômicos tornaram o país o paraíso dos rentistas e o inferno dos empreendedores, enquanto faltam de outro lado recursos para saúde, educação, segurança e moradia nas comunidades em que efetivamente vive a população.

As digitais de programas de estabilização mutilados pela falta de apoio fiscal são os excessivos gastos em juros da dívida interna.

Mas gasta-se demasiado também em salários e benefícios previdenciários abusivos no setor público, se comparados aos existentes no setor privado, ou mesmo aos níveis mais baixos do próprio funcionalismo público.

São excessivos e socialmente perversos também os subsídios e isenções a empresas e setores favorecidos discricionariamente pelo governo.

A perversidade dessa estrutura de gastos públicos resulta no agravamento das desigualdades sociais.

O caminho para a recuperação da dinâmica de crescimento econômico e a regeneração da classe política passa pelo aperfeiçoamento das instituições republicanas e pelo aprofundamento das reformas.

O pacto federativo como eixo de governabilidade. A reforma política, o fim do foro privilegiado e as medidas anticorrupção para garantir efetividade e decência na vida pública. É uma bela agenda.

Os gastos públicos são centralizados em demasia (reforma fiscal), financiados por impostos excessivos (reforma tributária), as relações de trabalho são obsoletas e os encargos sociais proibitivos (verdadeiras reformas trabalhista e previdenciária, e não puxadinhos de fim de governo).

Não há tempo a perder.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
– Na expectativa de chegar ao poder e colocar em prática suas teses inovadoras, que até hoje não foram adotadas em nenhum outro país, Paulo Guedes se conteve e não avançou muito o sinal neste texto para o Globo. Mas a internet está repleta de artigos e entrevistas em que o ideólogo do Millenium se expõe “au grand complet”, com dizem os franceses, que são espertos e jamais aceitariam a aventura de um liberalismo total. Na realidade, Paulo Guedes é um radical intransigente, seu furor uterino liberalizante mostra-se incontrolável, quer sepultar John Maynard Keynes e ressuscitar Adam Smith, desprezando tudo o que prática político-econômica tem comprovado desde a Grande Depressão de 1929. Diante desta realidade, fica no ar a grande dúvida: será que Jair Bolsonaro defende as mesmas teses inflexíveis do Instituto Millenium ou entrou nessa história de gaiato, sem saber como quem está lidando? Logo saberemos. (C.N.)

48 thoughts on “Radicalismo liberal de Paulo Guedes ameaça destruir a candidatura de Bolsonaro

  1. Espero que não seja, deveriam haver uma lei para responsabilizar estes cientistas de economia, fazem suas experiências, deixam o país com dívidas, planos mirabolantes, no final quem paga a conta é o povo, vejam, plano Sarney, Plano Bresser, Plano Collor I e II, Plano FHC, saem ricos e o povo amarga o prejuízo, são uns lunáticos, se a lei de lesa pátria funcionasse, Sarney, Bresser Pereira, Collor, FHC, estariam presos, mas este país carece de poderes como Legislativo e Judiciário.

  2. Entrou de gaiato Newton, devido ao desconhecimento da economia. Paulo Guedes é um ultra monetarista da Escola de Chicago de Friedman, que fez do Chile de Pinochet seu laboratório experimental, sendo o Chile um país que não tem nem Previdência nem Universidade públicas, nem indústria, sendo um mono exportador de cobre. Esse ideário vai de encontro às ideias nacionalistas que o candidato propaga, e que parte expressiva dos militares também defende, não nos esqueçamos de que há uma direita militar nacionalista no Brasil. E é o que eu escrevo sempre: um candidato branco, elitista, racista, defensor do extermínio dos pobres, nunca ganhará a eleição em que o eleitorado é, na sua maioria esmagadora, pobre e afrodescendente, por isso não temo sua candidatura.

  3. Em que momento vocês repórteres ouviram do Bolsonaro , que esse economista seria seu Ministro da Fazenda. Em momento nenhum o candidato tocou nesse assunto. Ele disse que teve dois encontros com o dito cujo, nada mais. Vocês jornalistas de modo geral não são favoráveis ao candidato Bolsonaro. Essa aversão por parte da impressa é toda de viés ideológico. Isso não é jornalismo.

  4. Ótimo texto do economista. Bolsonaro vai ganhar mais pontos com este economista na sua equipe e a direita brasileira vai se consolidar, fazendo sua mensagem chegar a população: liberdade econômica e conservadora nos costumes. É melhor Jair se acostumando!

  5. É bom que essas idéias sejam discutidas. Tenho impressão que o próprio Bolsonaro não ousaria tanto numa agenda ultra-liberalizante. São extremos, o capitalismo de compadres, ou oficialmente nova matriz econômica da DILMANTA também foi desastroso para o país. Se o país optar por uma agenda mais liberalizante tem que optar por uma diminuição do peso estatal sobre os agentes econômicos.Isso, obrigatoriamente teria que ser programa de governo, algo a ser feito em anos,talvez mais de uma década, é praticamente impossível de ser feito em meses.
    Movimentos sociais como o MBL e outros começam a dar um respaldo social para isso, programas liberalizantes. Mas, repetindo, isso é coisa para anos e anos, não há bala de prata para isso.

  6. O Estado é mau empresário, mau patrão, mau gestor. O Estado não tem que ser dono de empresas. Isso é da iniciativa privada. O Estado tem que ser indutor do desenvolvimento, normatizador, fiscalizador e promover o bem-estar social. Ja estou quase votando do Bolsonaro. O Brasil tem que privatizar tudo. O Estado não pode ser dono de nada, não é sua função.

  7. Com uma das maiores crises econômicas do Estado do Rio Grande do Norte, que há 22 meses não paga em dia o salário dos servidores, somente no mês de novembro o Tribunal de Justiça do Estado pagou R$ 40 milhões a 22 desembargadores e 195 juízes. O valor equivale a mais do que o dobro dos custos da folha bruta de pessoal da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte

  8. Entre os “generalismos” que escutamos sempre que começam as tais campanhas. “Mas gasta-se demasiado também em salários e benefícios previdenciários abusivos no setor público, se comparados aos existentes no setor privado, ou mesmo aos níveis mais baixos do próprio funcionalismo público”. http://congressoemfoco.uol.com.br/opiniao/colunistas/a-mentira-dos-privilegios-previdenciarios/
    Como ele explicaria isso? Se consegue se posicionar como dono da verdade, não pode se dar ao luxo de mentir, muito menos, omitir fatos que pesariam na discussão. A CPI no Senado emitiu uma nota técnica que se ele não puder contestar demonstra que suas idéias, não necessariamente, batem com a realidade dos fatos. Não que esteja aqui para defender alguém além da verdade. Não há como se defender os marajás do serviço público, a maioria, um resultado da NÃO ISONOMIA que os políticos teimam em continuar mantendo e neste assunto, nenhum “dono da verdade” ousa tocar. Bolsonaro escolheu mal.

  9. Contraditoriamente aos discursos absolutamente preconceituosos, que tentam identificar um público para enaltecê-lo e obter dividendos eleitoreiros, trata-se de um erro imperdoável, para dizer o mínimo, classificar a maioria do povo brasileiro como afrodescendente.

    Ofende, indiscutivelmente, tanto quem é legitimamente dessa etnia quanto os que não pertencem à mesma, haja vista o Brasil ser um apanhado de povos distintos.

    O último recenseamento sobre a composição étnica no Brasil, em 2010, assim estipula:

    Brancos – 47,51%
    Pardos – 43,42%
    Pretos – 7,52%
    Amarelos – 1,1%
    Indígenas – 0,42%

    Portanto, evidencia-se que existe um propósito escuso nesses comentários, cuja intenção maldosa pretende alimentar as diferenças étnicas e sociais, dando a entender que tal tendência política mais se preocupa com os pobres e negros, enquanto qualquer outra candidatura apenas atenderá brancos e ricos!

    Repudio veementemente este tipo de pregação ideológica, pois malévola, prejudicial e danosa ao povo, e que mais ainda distancia os cidadãos brasileiros entre eles mesmos, ocasionando oportunidades para a implantação de regimes que não se coadunam com a população, pelo contrário, o objetivo é levá-la para o confronto, à tão decantada em prosa e verso luta de classes e, neste país, combinada com o combate interracial!

    A lamentar que o autor é uma pessoa culta, dotada de vastos conhecimentos, e possui cursos universitários, logo, muito acima da média do povo brasileiro, que depreenderia ser obrigado a agir com mais cautela nos seus textos quando propositadamente informa a respeito de dados que não correspondem à verdade!

      • Não se se tu sabes, mas não posso alterar qualquer dado oficial utilizado.

        Nesta estatística que apresentei, a palavra que consta é “preto”, portanto não é de minha autoria.

        Se quiseres reclamar, por favor, dirija-te ao Ministério correspondente.

  10. Bolsonaro é um homen para ser guiado , não possui intelecto para guiar . Como no exército ,sempre vai ser um subalterno . fantoche nas mãos de espertos , que sempre assaltaram e dilapidaram a nação . Um candidato que com uma galinha pondo um ovo por dia , vai transformar esta nação na maior potência mundial .

  11. Hora de pegar em armas!
    Vale pedra, estilingue, prego, pó de mico… que mais?
    Tá Tudo Dominado!!!

    Acho irritante esses que sonham com tudo privatizado… Acham que vai ter emprego para todos, serão felizes vivendo de pagar juros a bancos e ver o fruto do seu trabalho transformado em velhas folhas de holerite, que não servem nem para fumar….

    Onde vivo é parlamentarismo, é primeiro mundo, tudo foi privatizado..
    As pessoas (se é que pode-se chama-las disso) vivem completamente anuladas, reclamando que há imposto até para respirar o ar que respiramos…

    Quanta ilusão! Bolson’agua, um zé ninguém despreparado cuspindo uma conversa fiada e tem monte de trouxa comprando!, Doriana, Huck, qualquer merda que venha a atender a meia dúzia de donos do mercado, que apostam forte em deter no laço 250 Milhões de brasileiros, incluindo os produtivos, pagadores de impostos, burros e ignorantes….
    Burro por acreditar
    Ignorante por ignorar o que esta na cara!
    Brasil Mambembe….
    Banânia…

    ===

    “Isenção de responsabilidade: Minhas opiniões escritas, sao ficção ou sátira, não são baseadas em fatos, a menos que esteja expressamente escrito que a declaração é um fato pelo uso da palavra “fato”. Ninguém estava de fato destinado a ser prejudicado na elaboração deste comentário. Fato.”

  12. Mas você mesmo se desmente com os seus próprios números. Se somarmos os percentuais por Vossa Excelência apresentados, 43,12% de pardos (suponho que por auto declaração) + 7,52% de negros, o que totaliza 50,6% da população, temos mais da metade da população, sendo que em algumas localidades esse percentual é bem maior, como na Bahia, no Maranhão e no Norte do país, onde mais de 70% da população pobre é afrodescendente. Os nºs por você informados corroboram minha argumentação. E não quero dividir brasileiros nada; o que constato é a realidade de que não somos nem nunca fomos uma democracia racial, e sim uma sociedade racista e extremamente injusta e desigual, consequência de uma história de 355 anos de escravidão e apenas 129 anos de abolição formal, mas não real. Segue sugestão de leitura.

    https://jus.com.br/artigos/19504/as-cotas-e-a-cor-da-pobreza-no-brasil

  13. E mais:
    Como é sabido, mas faz de conta que não, o Mercado Financeiro DERRETEU!
    Faliu!
    A ‘ciranda’ atual é uma FARSA!!! Faz tempo!

    O Mercado gira porque as pessoas têm que se vestir, comer, e os Chineses dando o sangue…

    As empresas mudam de nome na fachada para liquidar o estoque, e somem…

    Quando sobra somente UMA casa vendendo eletrodomésticos há como permanecer no mercado…
    Assim é o primeiro mundo, Uma so loja de eletrodomésticos, UMA só rede de supermercados, embora tenha 3 nomes e fachadas diferentes, os preços e os produtos são idênticos… E por ai vai…
    E os ‘tios Sams’ já venderam tudo para os TROUXAS, os Chineses, os Brasileiros, etc e tal…

    Quando der o nó no Mercado, o prejuízo será dos Chinas, dos brazucas Budweiser Burguer Kings e o escambau….

    Depois da festa da cerveja e da lambança gourmet, do sonho proletário de uma franchising e outras mazelas mais, chegara a hora de tirar a mascara, o Mercado não se sustenta, o que vem por ai é Guerra!

    E dá-lhe vender toda nossa reserva e segurança, nossa terra, nossa agua, nossa energia, para o outro lado…..

    Vão ver o que é lama…

    ===

    “Isenção de responsabilidade: Minhas opiniões escritas, são ficção ou sátira, não são baseadas em fatos, a menos que esteja expressamente escrito que a declaração é um fato pelo uso da palavra “fato”. Ninguém estava de fato destinado a ser prejudicado na elaboração deste comentário. Fato.”

  14. As idéias estão corretas e em geral os países desenvolvidos as aplicam. Mas, elas são muito ruins para quem não produz nada e quer ganhar muito. O Pedro do Couto vai virar o diabo.

  15. André Parabéns pelo seu comentário . Todo sistema está nas mãos de banqueiros e toda política finânceira e social , seguem seus interesses. Tendo a mente colonizadas e totalmente ipnotizadas pela mídia vendida , a sociedade se devide em classes e raças e como gado , seguem todos para o abatedouro .

    • Sim, se eu me basear neste teu raciocínio, morreu neves.

      Nada pode ser feito, Quinané, pois o sistema está nas mãos de banqueiros, conforme escreveste.

      Acho que houve um exagero, a meu ver.

      Os banqueiros se tornaram donos do sistema, conforme declaras, porque houve consumidor, houve quem precisasse de dinheiro e o tomou emprestado, houve quem girasse a roda da compra e venda, do mercado, em si.

      Se o banqueiro terminar com o consumo, sem incentivá-lo, sem enaltecê-lo, morre também, desaparece, o seu banco vai à falência como centenas de outras entidades financeiras desapareceram com as várias crises que tivemos nos últimos 30 anos!

      Mais a mais, te apresento um dado que contraria a tua afirmação, que, em parte, concordo, indiscutivelmente:
      Não foram os banqueiros que ocasionaram este caos no Brasil, mas os políticos aliados a empresários tão corruptos e ladrões quanto estes!

      Não me lembro de ter lido ou ouvido que o Itaú, Bradesco, Santander, estivessem envolvidos no assalto à Petrobrás ou nos superfaturamentos das obras na Copa e Olimpíada.

      Os bancos são a elite deste país altamente perniciosa pelos juros cobrados, porém quem tem cadastro ou pode pedir empréstimo consignado (desconto em folha, um método inconstitucional), dinheiro existe, assim como financiamentos.

      Não há interesse dos banqueiros participar da corrupção ou alimentá-la, pois perderão seus negócios ou, por acaso, alguém trabalharia com um banco que fosse desonesto?!

        • São os Banqueiros, donos dos Bancos e das Casas das Moedas, que imprimem mais do que podem, emprestam a juros aos governos, e dai inicia-se toda libidinagem e vulgaridade que os humanos fazem com esse papel moeda….
          A maior desgraça já criada pela humanidade…

          1% dominando 99%

        • AndréBR,

          Meu caro, quem imprime a moeda é a Casa da Moeda através de determinações do governo, ao que me consta!

          Lembra quando estávamos na época da inflação galopante, que se dizia que o governo apenas apertava um botão para fazer dinheiro, e sem lastro?

          Agora, o que escrevi acima foi com relação aos banqueiros e seus negócios, que não podem ser perdido pela corrupção.

          Quanto à valorização da moeda, AndréBR, pelo que meus parcos conhecimentos me dizem, ela está diretamente atrelada às nossas exportações e importações, pois quando o real estava forte, os exportadores reclamavam que o valor da nossa moeda era fator de entrave para vendermos mais para fora do Brasil e, claro, à inflação, pois sem o devido valor das notas no mercado em depósitos em ouro ou moeda estrangeira, o valor cai, pelo fato de que esse dinheiro não poderá ser resgatado pela falta de dinheiro para comprá-lo!

          Portanto, tais valores são dominados pelo governo, conforme sua política econômica e financeira, não pelos bancos.

          A questão dos juros é diferente, que aumentam ou diminuem, de acordo com o nível de pagamentos em dia ou em atraso, afora os bancos serem obrigados a comprar as Letras do Tesouro Nacional, e cujos valores oscilam, pois também incidem no custo desse dinheiro para o consumidor.

          Reitero que essas questões que formulaste, dependem exclusivamente do governo, a ponto de que os juros extorsivos dos cartões de crédito quando atingiram 20%, o governo entendeu por intervir nessa orgia.

          Um abraço.

  16. Em se tratando de um tema tão sério, jamais eu seria irresponsável com dados estatísticos.

    De acordo com o IBGE de 2010, verificou-se que 7,6% da população brasileira se declara negra, enquanto 44,2% se declaram como “pardos (como os mulatos, caboclos e cafuzos – pessoas com ancestralidade mesclada entre africanos, europeus e indígenas, exceto os caboclos, cuja identidade não está ligada a ancestralidade africana).

    Devido ao alto grau de miscigenação da população brasileira, há pouca precisão em identificar quem realmente pode ser chamado de “negro”, prevalecendo o critério da autodeclaração.

    Para fins políticos do Movimento Negro, entretanto, consideram-se “negros” todos aqueles que têm alguma ancestralidade africana, mesmo que sejam, também, descendentes de europeus ou de índios.

    Portanto, até mesmo a estatística oficial do IBGE contesta a “maioria esmagadora” de afrodescendentes conforme publicado.

    Na verdade, a minha afirmação é que se mostra legítima, pois tais declarações superlativas não encontram dados correspondentes, pois mesmo que a soma de pardos e negros ultrapasse a metade, o percentual é ínfimo, 0,6%, muitíssimo diferente da “maioria esmagadora” como postado, haja vista que o objetivo é a cooptação de votos de uma suposta maioria de brasileiros, enquanto implicitamente acusa o branco como responsável pela pobreza dessa “maioria esmagadora”.

    Se, Lula se candidatar, faz-se mister que apresente as suas origens, pois negro não é, logo, continuará como fez durante suas administrações, roubando e explorando essa gente que hoje compõe o país etnicamente, e que continuam na mesma situação de décadas atrás!

    Ou, a esquerda que escolha um candidato negro ou pardo, pois será a chance que esses brasileiros terão de melhorar de vida, na ótica desta tendência política, tendenciosa e preconceituosa!

  17. Não disse de forma alguma que você foi irresponsável ou falsificou informações. Pelo contrário, suas informações são absolutamente fidedignas. Mas veja que é considerado negro quem tem qualquer ancestral negro, daí os pardos serem considerados negros. Na verdade, a maioria esmagadora da população a que me referi, esclarecendo melhor, é a maioria esmagadora da população pobre brasileira, que está nessa situação há quase 130 anos devido à herança perversa da escravidão. Se você for verificar, cerca de 70% da população pobre brasileira é afrodescendente, percentagem essa que atinge 77% no Norte e 75% no Nordeste, segundo dados do antigo Ministério do Desenvolvimento Social. Agora Lula elevou a reparação às populações afrodescendentes ao status de política de Estado, por meio da criação da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial. Uma prova do êxito desta iniciativa foi a brutal elevação de negros no ensino superior, para jovens entre 18 e 24 anos, o % de negros no ensino superior no Brasil mais que dobrou entre 2002 e 2015, passando de creca de 19% para mais de 40%, conforme estudo cujo link segue abaixo.

    https://www.cartacapital.com.br/revista/980/os-governos-do-pt-reduziram-ou-nao-a-desigualdade?utm_campaign=newsletter_rd_-_27112017&utm_medium=email&utm_source=RD+Station

    • Alverga,

      Aprecio em demasia essas nossas discussões sobre política, pois aprendo muito contigo, em face do desnível cultural entre mim e ti, pois pertenço à plebe ignara e, tu, à elite cultural brasileira!

      Portanto, preciso me esmerar para apresentar dados que sejam verdadeiros.

      Quanto à tua afirmação da política de Lula nesse particular, mais uma vez eu a contesto.

      Os negros ingressaram na Universidade – questão que trouxe exaustivos debates na sociedade – através de cotas raciais, e não porque tiveram melhorias nos Ensinos Fundamental e Médio.

      Observa que, o nosso problema maior não se fixa no Ensino Superior mas, no básico, que nos fornece mais de 13% de analfabetos absolutos e mais de 30% de analfabetos funcionais, logo, a colocação do Brasil lá na rabeira dos países mais atrasados neste sentido, a alfabetização, onde negros, brancos, pardos, amarelos e índios, sofrem a falta de uma educação condizente.

      Um abraço.
      Podemos ser antagonistas politicamente, mas jamais deixaremos de nos respeitar.

    • Quinané,

      Anota, por favor:
      Quando decido responder a algum comentário é porque considero o comentarista.

      Logo, tu és também respeitado por mim e muto aprecio os teus textos, mesmo lacônicos.

      Um abraço.

  18. “Vivemos em um paradigma agora onde temos uma sociedade que opera na idéia de que podemos crescer infinitamente, portanto, nos mantemos comprando e consumindo independentemente dos recursos que temos, isso cria um curso de colisão com a Natureza.

    A Terra é essencialmente um sistema fechado que levou bilhões de anos para criar minerais, milhões de anos para criar o fóssil, os combustíveis que regem tudo o que temos.

    Estamos usando todos os nossos recursos para criar o crescimento econômico necessário para manter os empregos, e tudo mais, e simultaneamente foram diminuindo nossos recursos em taxa exponencial.

    Á medida em que a população cresce vai haver, o que ninguém quer entender, um choque absoluto, falta de recursos fundamentais, e consequentemente a diminuição da população humana

    Para que essa Guerra não venha, para acabar com desemprego e pobreza, são os bancos que precisam morrer.
    Todos os recursos da Terra devem ser declarados herança comum, de todo mundo”

    J.F.

  19. Este seu comentário inicial: “…ao analisar a campanha eleitoral da sucessão, classifica a assustadora dívida pública do governo de “moderado individamento”…” além do erro gramatical, evidencia uma interpretação claramente equivocada.
    O economista nesta frase – “Gasta muito se compararmos suas necessidades de financiamento com as fontes disponíveis: impostos, emissão não inflacionária de moeda e moderado endividamento.” – procura, tão somente, destacar que, considerando as fontes disponíveis de recurso financeiro, o gasto do governo é excessivo.

  20. Hoje o homen não é educado para agir , mas sim , ensinado a produzir , consumir e possuir . . Tal fato é sem duvida um dos motivos da sociedade deteriorada em que vivemos .

    • Quinané,

      Hoje se vive o pragmatismo, que tu tão bem postaste acima.

      Crianças e velhos por não produzirem não recebem a atenção do governo, inclusive da própria sociedade, pois não protesta contra essa forma atual.

      Em consequência, a velocidade que devemos imprimir à existência é tamanha, além da preocupação de mantermos o emprego ou na economia informal buscarmos nosso sustento, que a vida escorre pelos dedos, pois quando nos damos conta a respeito do que fizemos, concluímos que faltou exatamente viver.

      Colocaste o dedo na ferida.

      Outro abraço.

  21. Bendl.

    Admiro sua garra em defender o que você pensa ser correto. Há muito , tenho comigo, um posicionamento sobre o que me é dito: 50% eu acredito e o restante fico em dúvida e vou verificar se é verdade. Assim estou sempre preparado para minhas desilusões.

    Na decada de 80, foi publicada com estardalhaço, que os bancos roubavam à Previdencia, da maneira mais louca que ja vi em contabilidade. Criaram no plano de contas previdenciário duas contas para Bancos: uma era Conta Movimento a outra era Conta Arrecadaçao ou seja uma arrecadava e a outra pagava. A que pagava estava sempre no vermelho. Por estarem no vermelho os Bancos cobravam juros. Não levavam em consideraçao a arrecadaçao da Previdência. Os jornais da época publicaram com detalhes.

    Vai aqui 3 sujestoes.
    1 -O Banco Central Americano. O Templo e seus segredos sujos
    2 -A maior Fraude da Historia
    3 -Reserva Fracionaria

    Vai aí uma estorinha

    Deus expulsou Adão e Eva do paraíso dizendo: terás que ganhar o pão com o suor do teu rosto. Satanás para complicar criou o dinheiro, Não ficou satisfeito. Convocou, em Pandemônio, uma assembléia de capetas. Depois de muitas discussões eles decidiram criar OS BANCOS.

  22. Difícil falar de empreendedorismo num país de Joesleys, Eikes, Odebrechts, OAS, etc., que até bem pouco tempo passavam por glórias da nação, e cujos negócios eram movidos a favorecimento estatal.
    De qualquer forma, todo esse ideário não passa de quimera. o super-homem empreendedor ayn-randiano só existe nos ilegíveis livros dessa escritora russa exportada para os Estados Unidos pela revolução bolchevique. Na prática, as grandes empresas dependem em algum grau maior ou menor de subsídios estatais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *