Reforma de Temer/Meirelles já direcionou R$ 40,5 bilhões à Previdência Privada

Resultado de imagem para previdencia privada charges

Charge do Bruno Galvão (Arquivo Google)

Pedro do Coutto

O temor de encontrar mais dificuldade para aposentadoria, em decorrência do projeto de reforma do governo Michel Temer na Previdência Pública, já levou grande número de famílias a ingressar no setor da Previdência Privada.  De janeiro a novembro deste ano o movimento foi de 40,5 bilhões de reais. Reportagem de Nathalia Larghi, Valor desta quarta-feira, acentua bem a procura por planos particulares e ressalta que as perspectivas da rede bancária para 2018 é ainda maior que o resultado de 2017. Os 40,5 bilhões representam o ingresso de pessoas no sistema no período janeiro a novembro. Faltam, portanto, os números de dezembro.

Considerando-se média mensal em torno de 3,5 bilhões, pode-se estimar que o ano vai fechar com uma captação total de aproximadamente 44 bilhões de reais.

GUIA DA PREVIDÊNCIA – Os planos preferidos foram os de PGBL e VGBL. A Fundação Getúlio Vargas elaborou um guia de previdência encomendado pelo Valor. Esse guia apresenta uma lista de bancos e empresas financeiras que mais captaram este ano.  Em toda sua existência, ao longo de várias décadas, os Fundos Privados totalizam uma captação no montante, valores de hoje, da ordem de 720 bilhões de reais.

Na relação das maiores captações de recursos figuram a Sulamerica Investimentos, seguida por diversos bancos como o BTG Pactual, SAFRA, Santander, Votorantim, Brasil Previ (Banco do Brasil) e o Itau Unibanco. O Bradesco não figura entre os primeiros. Surpresa? Nem tanto. A seleção elaborada pela Fundação Getúlio Vargas de São Paulo deixa evidente que as aplicações no setor da Previdência Privada são produzidas por pessoas de renda elevada, tanto assim que os dois maiores bancos brasileiros Itaú e Bradesco, não figuram na listagem entre os primeiros.

De fato as aplicações na Previdência Privada exigem uma disponibilidade de renda mensal muito acima da média brasileira, que é de 2,3 mil reais a cada 30 dias.  O mercado ,porém, tem possibilidade de crescer, principalmente se o presidente Michel Temer e o Ministro Henrique Meirelles conseguirem aprovar a reforma  que deve entrar na pauta da próxima semana da Câmara dos Deputados. Isso explica o otimismo dos bancos.

MENSAGEM FALSA – Em matéria de otimismo e pessimismo, cabe focalizar a mensagem falsa contida na propaganda comercial do governo em favor da reforma veiculada na noite de terça-feira por emissoras de televisão. Fez uma comparação entre o salário médio dos empregados celetistas com os vencimentos do funcionalismo público federal.  Que tem isso a ver, de imediato com a reforma da previdência? Nada. São 29 milhões de aposentados pelo INSS e o funcionalismo reúne 930 mil homens e mulheres.

Pode-se estimar que, no futuro, a unificação dos salários traga alguma economia, mas somente daqui a mais de 10 anos.  Portanto, não faz sentido a afirmativa injetada no mercado de informação. Dá a impressão de que o governo está contra o que ele chama de privilégios dos funcionários. Esquece que os funcionários não têm direito ao FGTS. O privilégio apontado não existe. É falso.

Verdadeiros são os 51 milhões de reais fotografados e filmados  num apartamento de Salvador.

8 thoughts on “Reforma de Temer/Meirelles já direcionou R$ 40,5 bilhões à Previdência Privada

  1. Esse genocídio contra os idosos brasileiros não pode e não vai ser aprovado !

    PMDB fechou questão ontem a favor da sentença de morte aos velhinhos, e se precipitou pois sequer será votada esse ano !

    Vai pagar muito caro por isso em 2018, podem esperar !!!

  2. O fato é que os grandes privilegiados são sempre eles ou gente deles. Terão que de se explicar se estes forem pegos na reforma, se forem escamoteados e saírem ilesos, serão pegos na mídia e a classe que melhor se representa, terá de se entender com todos sindicatos, os quais já futucaram bastante desobrigando o pagamento do imposto sindical na reforma trabalhista e seus eleitores que fatalmente serão prejudicados. Estamos falando de uma reforma cuja principal justificativa é um prejuízo que foi derrubado pela CPI da Previdência que emitiu relatório e uma nota técnica, coisa que fizeram também os técnicos da Receita Federal e nos dois casos contradizendo a necessidade de sair qualquer reforma, neste sentido, neste momento. Só Temer, Meirelles e seus a$$eclas estão certos. Essas reformas ou “caixinha de maldades” vieram logo após a saída do PT e após a comemoração popular dos políticos condenados pela Lava Jato e tem muito, sim, de vingança por parte desta corja de maus políticos que infestam o país. Mas o fator prioritário é a baixíssima qualidade da maioria dos políticos, aliada ao grande interesse de banqueiros e grandes empresários e arrancar do país o máximo que puderem.

  3. Além disso, quantos bilhões mais já foram “doados” por Temer tentando aprovar a reforma? Está claro que que alguém está ganhando muito, mas muito dinheiro com tudo isso, e não somos nós.

  4. Não há soberania, quem manda e desmanda nestes governos corruptos são os banqueiros, ajudam quando querem e quando não querem, se quiserem aumentar os juros e elevar a inflação, conseguem na maior tranquilidade, o sistema bancário dá as cartas, é o chamado mercado, país sem poderes.

  5. E as dívidas, bilhões e bilhões, que nunca são cobradas? Os grandes devedores devem rir à socapa porque nunca são incomodados. A reforma é necessária, mas os grandes devedores não podem cair no esquecimento.

  6. A choradeira dos funcionários públicos já justifica a reforma. O penúltimo parágrafo do texto mostra porque não faz sentido a choradeira, ja que só daqui a dez anos que os efeitos serão sentidos. O povo que vive defendendo a igualdade é o primeiro a defender seus privilégios, se recusando a ficar iguais aos outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *