Rodrigo Maia atendeu evangélicos na proibição de aborto em caso de estupro

Resultado de imagem para erika kokay

Deputada Erika Kokay foi o único voto contra

Bernardo Mello Franco
Folha

É possível evocar a religião para causar mais sofrimento a uma mulher que foi vítima de estupro? A Câmara mostrou que sim na quarta-feira, ao fazer avançar um texto que proíbe a interrupção da gravidez em casos de violência sexual. O episódio é um exemplo clássico de contrabando legislativo. Deputados da bancada da Bíblia incluíram um jabuti numa proposta que estendia a licença-maternidade para mães de bebês prematuros.

O texto original tratava de direito trabalhista. O relator, Jorge Tadeu Mudalen (DEM-SP), aproveitou para fazer um enxerto em dois artigos da Constituição, estabelecendo que a vida começa na concepção.

RESTRIÇÕES AO ABORTO – Na prática, a mudança pode restringir ainda mais o direito ao aborto no Brasil. Em vigor há mais de seis décadas, o Código Penal autoriza a prática nos casos de estupro ou de risco à vida da gestante.

Em 2012, o Supremo Tribunal Federal abriu uma terceira exceção e permitiu a interrupção da gravidez de fetos anencéfalos, que não têm chances de sobreviver fora do útero.

O relatório de Mudalen, ligado ao pastor R.R. Soares, foi aprovado numa comissão dominada pelo populismo religioso. No ponto mais baixo da sessão, o deputado Pastor Eurico (PHS-PE) sacudiu um boneco de plástico, representando um feto.

MATANÇA DE CRIANÇAS – Ele se referiu às hipóteses de aborto previstas em lei como “matança de crianças” e acusou os contrários ao jabuti de defenderem ações “satânicas e diabólicas”. Minutos depois, a comissão aprovou a proposta por 18 a 1. O voto contrário foi de Erika Kokay (PT-DF), que era a única deputada presente.

Na sexta-feira, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que a proibição do aborto em caso de estupro não será aprovada no plenário. Melhor assim, mas faltou dizer que foi ele quem permitiu que o tema avançasse. O deputado criou a comissão do jabuti em dezembro passado, a pedido de seus aliados na bancada evangélica.

13 thoughts on “Rodrigo Maia atendeu evangélicos na proibição de aborto em caso de estupro

  1. Fora de pauta.
    Não acho que era uma simples endoscopia.

    ministro Guido Mantega em SP

    Psicanalista Eliane Berger, de 56 anos, lutava contra um câncer e estava internada no Hospital Albert Einstein.

  2. Temer arma o golpe do parlamentarismo com ajuda do ultra conservador Ives Gandra da Silva Martins.

    https://goo.gl/i8hFxT

    O golpe do impeachment vai se transmutando em parlamentarismo para evitar a volta de Lula.

    E assim, vamos retrocedendo no tempo no aborto, nas relações trabalhistas….

    • O Lulla não volta mesmo. Vai estar preso e atrás das grades. Lugar de bandido, ladrão e assassino é na cadeia e incomunicável. E, ele tem sorte que não existe pena de morte no Brasil.

  3. Esta é a bancada FDP que prefere ver as mulheres morrendo na mão dos açougueiros de plantão. Eles são absolutamente injustos com os pobres, pois estes não têm como pagar um aborto em um clínica confiável. Os ricos, vão continuar abortando em locais com todo o cuidado e assepsia. Esta, é a realidade do Brasil onde um bando de idiotas, corruptos e ladrões comandam o país. E, não venham com história de religião que isto é conversa de quem odeia as mulheres.

  4. Este país é um lixo , engodo institucionalizado . Leis são criadas e manipiladas , para servir delinquentes , que devido a ignorância e servidão de ovelhas , que ajoelham para serem tosquiadas , ascenderam ao poder . Infeliz da terra cujo ( deus ) é o senhor .

  5. O estrupo ja um trauma grande que vc convive para o resto da sua vida
    A vitima tem o direito de gerar ou nao gerar o fruto de uma agressao
    So ela tem o direito de dar continuidade ou nao
    Fora disto e uma imposicao tao agressiva como o estrupo

  6. É preciso também PROIBIR A DOAÇÃO DE ÓRGÃOS, pois, religiosamente falando, a pessoa com morte cerebral está viva e, assim como o feto de uma semana, tem todos os órgãos do corpo funcionando.

    • A doação de órgãos prescinde de prévia autorização, seja da família, seja da própria pessoa, enquanto em condições para assim proceder.
      Quanto à morte cerebral, o funcionamento de alguns órgãos, quando ocorre, é precário, podendo acontecer ou por estimulação artificial (ex. aparelhos) ou por atividade residual do sistema nervoso autônomo.
      Em tais condições, a Igreja Católica não aplica o conceito de eutanásia, mas de ortotanásia. Não sei quanto às várias vertentes evangélicas, mas de todo modo não se pode reduzir as diferentes posturas religiosas a um generalizado “religiosamente falando”.

  7. Quando começa a vida? 30 seg depois do.ato sexual, 2 horas , 1 mês.?
    Infelizmente, não há consenso científico. Quem paga o pato é a vitima que foi estuprada e o serzinho que teima em querer sobreviver. O estuprador tem os diteitos humanos…
    O apenamento do serzinho deveria ser o do réu…

    • No mínimo, é um assunto controverso, o que deveria suscitar prudência, ao contrário da sanha abortista (nem sempre imbuída de “nobres” motivos utilitários).

  8. O aborto agora é novamente proibido aliás sempre foi. Se for liberado, toda a população, não apenas quem aborta, pagará por isso tanto emocional como espiritual. As feministas falam do aborto como um “remédio” para o estupro, que chega a 500 mil mulheres ano. O remédio para o estupro é o estuprador ser preso de forma fácil e para sempre! Hoje em dia, para o maldito ser preso, precisa ter um longo processo, onde a mulher passa por todos os tipos de traumas e no final, o maldito, quando preso, pega 1 ano em regime semi-aberto. Uma piada diabólica. Um estímulo aos monstros. Os homens são os únicos que agridem desta forma as mulheres que os geram, que lhe dão a luz. As mulheres deveriam fazer greve e nunca ficar grávidas, e queria ver a humanidade acabar daí queria ver a arrogância dos MACHOCHOS fortes e poderosos com suas pistolas mortas!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *