Saída do general Ferreira sinaliza crise no gabinete de transição de Bolsonaro

Resultado de imagem para general oswaldo ferreira

General Ferreira, um dos principais assessores, já vai sair

Carlos Newton

Uma das piores notícias sobre a formação do governo Bolsonaro foi dada pelo repórter Vinicius Sassine, de O Globo, ao anunciar que, depois de transição, está praticamente acertado que o general Oswaldo Ferreira não estará à frente de nenhum Ministério. O nome do general Oswaldo Ferreira era dado como certo à frente do Ministério da Infraestrutura, estrutura a ser criada, ou à frente de um ministério ou uma secretaria dentro do Palácio do Planalto com influência direta sobre os Ministérios da Infraestrutura e de Minas e Energia

O excelente repórter de O Globo assinou que, a interlocutores, o general Ferreira, ex-comandante do Departamento de Engenharia do Exército, tem dito que não cultivar projeto de vida de ser ministro, negou a ideia de comandar a Infraestrutura e não ouviu de Bolsonaro qualquer proposta de ser colocado dentro do Palácio do Planalto para conduzir os Ministérios da Infraestrutura e ou Minas e Energia.
OUTRA VERSÃO – Vinicius Sassine acrescenta que, em um de seus últimos compromissos na segunda viagem a Brasília após ser eleito presidente da República, Bolsonaro manifestou a autoridades com quem esteve reunido que havia ouvido um “não” de Ferreira. Segundo o presidente disse a esses interlocutores, o general teria recusado convite para comandar o Ministério da Infraestrutura. Agora, Bolsonaro estaria procurando outro general para o posto, acrescenta o repórter.
Tudo isso é muito estranho. O general Oswaldo Ferreira era o principal conselheiro administrativo de Bolsonaro. Começou a trabalhar para Bolsonaro quando ainda nem havia perspectiva de vitória. Após meses e meses de dedicação, de repente, joga a toalha e diz que vai voltar para casa… Não faz sentido.

TUDO ERRADO – Segundo o repórter Vinicius Sassine, as circunstâncias sobre essa reviravolta ainda são desconhecidas.O fato concreto é que as coisas não vão bem no gabinete de transição, onde predominam o deslumbramento e a infantilidade dos filhos de Bolsonaro, que se metem em tudo, querem controlar tudo.

Militares de verdade não fogem à luta nem abandonam o barco, a não ser que tenham constatado que o comandante da embarcação é totalmente irresponsável e nem sabe para onde está indo.

Ferreira tem dito que vai permanecer na transição até quando houver interesse por parte da equipe do presidente eleito, mas já está com pé do lado de fora.

Bolsonaro não tem quadros para preencher os Ministérios, este fato é cada vez mais notório. Por isso, deveria se preocupar em não perder o apoio dos assessores de alto nível que ainda estão em sua entourage, como se dizia antigamente.

###
P.S. –
É fundamental torcer para que o governo de Bolsonaro dê certo e recupere o país. Mas não se pode achar que é infalível e não comete erros, porque do jeito que está, la nave va, cada vez mais fellinianamente. (C.N.)

15 thoughts on “Saída do general Ferreira sinaliza crise no gabinete de transição de Bolsonaro

  1. Por enquanto, vejo essas inclusões e desistências, de forma super normal, pois é melhor sair agora (sem ter começado o governo), do que pedir o boné após a posse.
    Com certeza absoluta Bolsonaro terá diversas pessoas capacitadas para assumir as pastas.
    A busca do novo governo, em nomear pessoas técnicas, com certeza irá nos oferecer um enorme crescimento.

  2. Essas mães Dinás são terríveis….
    Tem um facilidade incrível de ” prever” o caos.
    Para elas Bolsonaro é criminoso reincidente de crime que não cometeu. Nem assumiu o mandato… Misericórdia.
    Chato ver que, se o político bandido de estimação não ganhou , alguns torcem para o navio afundar. Maus brasileiros!.

  3. O clã Bolsonariano irá durar menos que se espera . Aguardem . Segundo várias fontes , já existe um profundo descontentamento do comando militar e de outras entidades que apoiaram sua candidatura . Novo Jânio Quadros .

  4. O que deve ter havido foi uma disputa entre qual visão de como financiar as Obras importantíssimas do Ministério da Infra-Estrutura, especialmente muitas já iniciadas e paralisadas.

    O Gen. Engº OSWALDO FERREIRA, futuro Ministro da Infra-Estrutura, tocador de Obras, queria um financiamento como faz a China, via Letras de Crédito do Tesouro, e o Economista e Banqueiro PAULO GUEDES, futuro Ministro da Fazenda vetou, querendo financiamento que é mínimo conforme o ortodoxo Orçamento Federal, que é a mixaria de +- 0,25% do PIB.

    Nessa disputa ganhou a Ortodoxia do futuro Ministério da Fazenda.

    O Sistema de Financiamento de sua Infra-Estrutura e Re-Armamento Nacional que a China usa, Letras de Crédito do Tesouro Chinês, é uma forma Heterodoxa geradora de uma Dívida em Moeda Nacional, na qual o Devedor é o Tesouro Chinês, e o Credor é o mesmo Tesouro Chinês,
    Ora, uma Dívida na qual o Governo deve para ele mesmo, só existe na Contabilidade porque na prática é NULA.
    Desde que essa emissão de Letras de Crédito do Tesouro sejam todas usadas em Obras que não exijam Importações ( no qual seriam necessários US$ Dollares), que também é o caso Brasileiro, e desde que a quantidade de Letras de Crédito do Tesouro não desequilibrem demais a balança da Oferta e Demanda de Bens em geral, o que geraria Inflação quando não existisse mais capacidade ociosa na Economia, o que não é o caso da China e muito menos do Brasil onde temos 30% a 40% de Capacidade Ociosa e Desemprego sub-Emprego.

    A nosso ver, o Presidente BOLSONARO escolheu o caminho pior, especialmente nesta época de alto desemprego, em seguir a Ortodoxia Financeira do Ministério da Fazenda, em vez da boa ideia do Gen. Engº OSWALDO FERREIRA, que seria muito mais produtiva para a Economia Nacional.

    • Grande Bortolotto … Grande!!! !!! !!!

      A senhor está insistindo pelo bem do Brasil … porém, Paulo Guedes preferiria continuar a pagar juros aos da Nomenklatura financeira???

      Vai ser difícil acabar com a Nomemklatura!!!

      Abraços.

    • Bolsonaro e Paulo Guedes precisam entender que venceram porque estamos cansados de sustentar a Nomenklatura!!!

      Lula, com sua Carta, deu recado que a Nomenklatura continuaria … deu recado antes de ser eleito e ninguém pode acusar o Lula por ter feito o que prometera, né???

      Dona Dilma também nem aceitou fazer estudo das dívidas … e nem Senadora será!!!

      Temer tomou medidas muito pequenas em relação à Nomenklatura … e o MDB foi terrivelmente castigado!!!

      Se Bolsonaro continuar com a Nomenklatura e só pensar em tirar Direitos dos menos favorecidos … será uma DESGRAÇA de GOVERNO!!! !!! !!!

  5. Parabéns, Bortolotto..

    Texto simples, objetivo,sem lero -lero,(cartesiano). Mas, extremamente contudente e esclarecedor.

    Ontem,na matéria do Bruno Boghassia, reproduzido aqui.
    Manifestei minha preocupação,pois,a diarréia é diária.

    Paulo Guedes,serviçal dos banqueiros,e a infantilidade dos filhos do Bolso.
    Levaram,os militares recuarem ao ponto do Gen. Vila Boas,se manisfestar.

  6. Vai piorar a situacao do Brasil daqui pra frente.
    Bolsonaro traiu a nacao e manteve o establisment no poder.
    O caos e a desordem
    estao instalados em Brasilia

  7. Por enquanto, os aliados descartados estão sendo empurrados pela SAÍDA da Bolsa Colostômica. Se agora eles estão achando ruim, imaginem após a cirurgia corretiva? É mão única sem outra via alternativa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *