Senador aciona o TCU para que Bolsonaro seja proibido de realizar eventos com potencial de aglomeração

Bolsonaro não ajuda, mas faz questão de atrapalhar

Gerson Camarotti
G1

O senador Fabiano Contarato (Rede-ES) fez representação ao Tribunal de Contas da União (TCU) na qual pede a proibição de eventos da Presidência da República com potencial de aglomeração, o que favorece a disseminação do vírus da Covid-19. A ação pede ainda para apurar eventuais ilegalidades no uso de recursos públicos nesses eventos, realizados em viagens do presidente Jair Bolsonaro pelo país.

Segundo a ação, os eventos contrariam as orientações de órgãos técnicos de Saúde e contribuem para a disseminação da Covid-19, em desacordo com regras sanitárias. Na sexta-feira, dia 26, em viagem ao Ceará, Bolsonaro causou aglomeração ao participar de dois eventos em Tianguá e em Caucaia, para assinatura da retomada e vistoria de obras viárias.

CRÍTICA – A visita foi criticada pelo governador Camilo Santana (PT-CE) que se recusou a participar das cerimônias em um momento no qual o estado adotou medidas restritivas.

Contarato ainda pede que sejam determinadas diretrizes, de acordo com critérios técnicos previstos por autoridades nacionais e internacionais de saúde, para a realização de novos eventos, em Brasília ou em outras cidades do Brasil, assim como a limitação do tamanho desses eventos de acordo com os indicadores sanitários da localidade onde se pretender realizá-los.

MAIS AGLOMERAÇÃO – Na semana passada, também houve aglomeração no Palácio do Planalto durante a posse do novo ministro da Cidadania, João Roma.Apesar do grave cenário de mais de 257 mil mortes e 10 milhões de infectados e com o sistema de saúde pública comprometido, o presidente da República tem mantido um calendário de eventos públicos que contribui para a ocorrência de aglomerações.

Somente nos dois primeiros meses de 2021, Bolsonaro já realizou ao menos nove atos públicos, cerimônias de diversas naturezas, em todas as regiões do país. “A situação do enfrentamento à pandemia tem se agravado nas últimas semanas. O total de casos e de mortes no país bateu novos recordes. Não é razoável a realização de eventos, quando não cercados dos devidos cuidados e de estrita obediência às recomendações de autoridade de saúde”, disse Contarato ao Blog, para em seguida complementar:

“Cada evento realizado pelo governo federal tem o potencial de levar à contaminação de dezenas, centenas de pessoas, as quais se tornam, elas próprias, também vetores de disseminação da Covid-19. O risco de grave lesão ao interesse público, portanto, está configurado. Essa conduta contraria qualquer esforço destinado a combater a calamidade pública vivida pelo Brasil, além de configurar uma série de ilícitos penais.”

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG –  Bolsonaro deveria ser proibido de governar, de pisar fora de um manicômio onde poderia estar após instaurar a sua necropolítica que condena milhares de pessoas diariamente. Além de ser o pior presidente do mundo em uma democracia, atualmente, insiste em promover ações contrárias à preservação da vida. Se isso não é um exemplo explícito de genocídio, apaguem as luzes e cancelem o País. (Marcelo Copelli)

10 thoughts on “Senador aciona o TCU para que Bolsonaro seja proibido de realizar eventos com potencial de aglomeração

  1. Agora o TCU passa a ter poder sobre o Presidente? Daqui a pouco delegado de polícia vai mandar no governador. Sargento da PM vai durar regras.
    Como pode um senador não saber um mínimo de leis?

  2. N.R.
    “Bolsonaro deveria ser proibido de governar, de pisar fora de um manicômio onde poderia estar após instaurar a sua necropolítica que condena milhares de pessoas diariamente”…

    O demônio precisa de mortos… muitos mortos!

    A desgraça, alimenta um coração de um zoobie que já não bate, que nunca bateu… uma alma perturbada.

    Assim como nunca bateu bem da cabeça, a sua insanidade e latente seu desajuste comportamental é de chocar o mais frio do ser humano…

    Estamos sendo conduzidos por um necrófilo ao maior abismo que o país já se aproximou, estamos à beira da implosão de uma nação onde somos sugados todos os dias, do nosso maior sonho, que é de ter o direito de viver e desejar que só Deus e capaz de nos fazer entender quando é a nossa hora de partir…

    Bolsonaro tirou o lugar de Deus e se colocou à disposição da morte, ele pode, ele decide!

    Acima, usei a palavra necrófilo porque tem um prazer sexual em saber que a cada dia há mais e mais cadáveres pro seu deleite…

    É uma fugura horrenda e as mortes alimenta o sua doença, EPILEPSIA GELÁSTICA, rir é preciso, até o cérebro não aguentar mais e enlouquecer, ele consegue encontrar o seu ritmo frenético em nossas mortes, e comemora, com o banquete diário que esta epidemia lhe proporciona…

    Jair Messias Bolsonaro está doente e é necessário afastá-lo do cargo da Presidência da República imediatamente, antes que imploda país!

    JL

  3. A exemplo da comunidade de Itaguaí, no romance, O Alienista, o povo brasileiro parece estar anestesiado e bloqueado: como se estivéssemos obrigado a cumprir uma maldição dentro de uma forrageira, acionada por Simão Bacamarte, sob a metamorfose de Bolsonaro.
    Que a deusa Ixtab dos suicidas, na Civilização Maia, possua corpo e alma dessa variante nefasta chamada Bolsonavírus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *