Suassuna exalta a mulher amada, revolta-se contra a razão e imortaliza o amor

Resultado de imagem para ariano suassunaPaulo Peres
Site Poemas & Canções

O escritor e poeta paraíbano Ariano Suassuna, no poema ‘A Mulher e o Reino”, exalta a mulher amada, revolta-se contra a razão e imortaliza o amor.

A MULHER E O REINO
Ariano Suassuna

Oh! Romã do pomar, relva esmeralda
Olhos de ouro e azul, minha alazã
Ária em forma de sol, fruto de prata
Meu chão, meu anel , cor do amanhã

Oh! Meu sangue, meu sono e dor, coragem
Meu candeeiro aceso da miragem
Meu mito e meu poder, minha mulher

Dizem que tudo passa e o tempo duro
tudo esfarela
O sangue há de morrer

Mas quando a luz me diz que esse ouro puro se acaba pôr finar e corromper
Meu sangue ferve contra a vã razão
E há de pulsar o amor na escuridão

5 thoughts on “Suassuna exalta a mulher amada, revolta-se contra a razão e imortaliza o amor

  1. Aqui morava um Rei

    Aqui morava um rei quando eu menino
    Vestia ouro e castanho no gibão,
    Pedra da Sorte sobre meu Destino,
    Pulsava junto ao meu, seu coração.

    Para mim, o seu cantar era Divino,
    Quando ao som da viola e do bordão,
    Cantava com voz rouca, o Desatino,
    O Sangue, o riso e as mortes do Sertão.

    Mas mataram meu pai. Desde esse dia
    Eu me vi, como cego sem meu guia
    Que se foi para o Sol, transfigurado.

    Sua efígie me queima. Eu sou a presa.
    Ele, a brasa que impele ao Fogo acesa
    Espada de Ouro em pasto ensanguentado.

    Ariano Suassuna

    • Tenho duas armas para lutar contra o desespero, a tristeza e até a morte: o riso a cavalo e o galope do sonho É com isso que enfrento essa dura e fascinante tarefa de viver.
      Terceira idade é para fruta: verde, madura e podre.

      Ariano Suassuna

  2. “Oh! Meu sangue, meu sono e dor, coragem
    Meu candeeiro aceso da miragem
    Meu mito e meu poder, minha mulher”

    Este é um poema de amor para sua Zélia – um amor para o resto da vida. E próprio de clara “”O encontro com Zélia parece que desatou o nó que havia dentro de mim e ela foi quem me abriu pra beleza e pra alegria do mundo”

    Amor para todo e sempre. Os poetas sabem amar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *