Um anoitecer realmente apoteótico, na parnasiana visão poética de Raimundo Correia

Se se pudesse o espírito que chora Ver... Raimundo CorreiaPaulo Peres
Poemas & Canções

O magistrado, professor, diplomata e poeta maranhense Raimundo da Mota de Azevedo Correia (1859-1911) descreve o anoitecer, seguindo o estilo parnasiano a que pertencia, estilo  que tem como uma de suas características a descrição de algo que pode ser um objeto, um acontecimento, um fenômeno da natureza, uma paisagem etc.

ANOITECER
Raimundo Correia

Esbraseia o Ocidente na agonia
O sol… Aves em bandos destacados,
Por céus de oiro e de púrpura raiados
Fogem… Fecha-se a pálpebra do dia…

Delineiam-se, além, da serrania
Os vértices de chama aureolados,
E em tudo, em torno, esbatem derramados
Uns tons suaves de melancolia…

Um mundo de vapores no ar flutua…
Como uma informe nódoa, avulta e cresce
A sombra à proporção que a luz recua…

A natureza apática esmaece…
Pouco a pouco, entre as árvores, a lua
Surge trêmula, trêmula… Anoitece.

One thought on “Um anoitecer realmente apoteótico, na parnasiana visão poética de Raimundo Correia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *