Um debate morno e entediante, que ajudou os espectadores a caírem no sono

Expectativa foi frustrada no debate de oito candidatos

Marco Grillo, Fernanda Krakovics e Miguel Caballero
O Globo

No primeiro debate entre os presidenciáveis nesta campanha eleitoral, nesta quinta-feira, na TV Bandeirantes, que levou oito candidatos ao embate, a discussão sobre alianças e economia teve mais destaque. O encontro ficou marcado pelos ataques mútuos e pela apresentação de propostas pouco aprofundadas. Como estratégia eleitoral, os adversários optaram pela busca de fragilidades, em vez de detalhar as ações. Supostos desvios éticos foram apontados, assim como alianças partidárias e as relações com o governo Temer.

O candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, quarto colocado nas pesquisas, que tem o maior leque de alianças, foi o mais questionado, até a conclusão desta edição. Foi confrontado a respeito da coligação com o centrão, sobre medidas econômicas do atual governo (de quem o PSDB foi aliado) e sobre o Bolsa Família. O candidato do MDB, Henrique Meirelles, lembrou que os tucanos já chamaram o programa de Bolsa Esmola. Cabo Daciolo (Patriota) e Jair Bolsonaro (PSL), em uma dobradinha clara, também fizeram críticas duras ao tucano. Já Ciro Gomes (PDT), em terceiro lugar nas pesquisas, quase não foi alvo de perguntas.

CIRO E ALCKMIN – Quando participou dos embates, Ciro tentou ligar o presidenciável tucano, Geraldo Alckmin, ao governo de Michel Temer. O pedetista lembrou que o PSDB apoiou a reforma trabalhista, que, segundo ele, teria agravado “terrivelmente” a situação do povo brasileiro e também perguntou se o tucano pretende mantê-la. Alckmin respondeu ser a favor da reforma. Ressalvou que a permissão para que mulheres grávidas trabalhem em locais insalubres precisa ser revista.

— A reforma trabalhista foi um avanço. Tínhamos era um grande cartório, com 17 mil sindicatos no Brasil, mantidos com imposto sindical. A maioria não fez nem convenção coletiva — disse o candidato do PSDB, que chegou a usar o termo “Bolsa Banqueiro”, utilizado por Guilherme Boulos (PSOL), ao responder a um questionamento de Meirelles sobre o Bolsa Família.

— Vamos ampliar o Bolsa Família, vamos usar o dinheiro do Bolsa Banqueiro.

MARINA E O PV – Marina também buscou a polarização com Alckmin ao associá-lo ao centrão, grupo de partidos que se aliou ao PSDB. Segundo ela, alguns representantes dessas legendas têm “assaltado o povo”. Alckmin creditou o acordo à necessidade de ter uma ampla coalizão para aprovar as reformas previdenciária, política e tributária logo no início de um eventual governo. O ex-governador de São Paulo aproveitou para alfinetar Marina, ao recordar que ela saiu do PV, após a eleição de 2010. Disse que a situação com o partido era “incompatível”, embora para esta eleição tenha feito uma aliança com a mesma legenda.

Sobre a reforma da Previdência, Alckmin defendeu a equalização dos sistemas público e privado, para acabar com “sistema injusto”. Já Ciro propôs um novo modelo de capitalização e criticou a proposta que prevê a idade mínima de aposentadoria de 65 anos para todos os trabalhadores, com o argumento de que seria uma idade elevada para quem exerce atividades no meio rural.

BOULOS E BOLSONARO – O principal ataque entre os candidatos ocorreu no primeiro bloco. Boulos questionou Bolsonaro sobre o fato de ele ter recebido auxílio-moradia, mesmo sendo proprietário de imóvel em Brasília, e acusou o adversário de empregar uma funcionária fantasma no gabinete da Câmara, que seria responsável por “cuidar dos cachorros” que o presidenciável teria em uma casa em Angra dos Reis (RJ).

— O Bolsonaro é a velha política corrupta. Recebeu auxílio-moradia, aprovou dois projetos e conseguiu comprar cinco imóveis. Não tem vergonha? — perguntou Boulos.

O deputado retrucou e lembrou que o candidato do PSOL é líder do Movimento Sem Teto (MTST).

— A Val é uma funcionária minha que mora em Angra. Ela não é fantasma, estava de férias (quando uma reportagem da “Folha de S. Paulo” tratou do assunto). Eu teria vergonha se tivesse invadindo casa dos outros. Não vim aqui para bater boca com um cidadão desqualificado como esse aí.

VENEZUELA – A crise venezuelana também foi tema. Meirelles e Alvaro Dias criticaram o governo do país vizinho, mas garantiram apoio humanitário.

— Temos que agir para que a situação mude. Mas, até lá, o Brasil tem que continuar com a postura humanitária — disse Meirelles.

Dias seguiu o mesmo tom: — Seria perverso expulsar seres humanos vítimas de uma ditadura perversa, incapaz de respeitar liberdades democráticas.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Só assisti as duas primeiras partes. Após as perguntas dos jornalistas da Band, fui vencido pelo entorpecimento mental. Deixo registrado que não entendia quase nada do que Bolsonaro dizia (sua dicção é péssima) e fiquei bem impressionado com as colocações de Alvaro Dias e Marina Silva. E o cabo Daciolo me surpreendeu pela desenvoltura. Para mim, esse tipo de debate é chatíssimo e entediante. (C.N.)

57 thoughts on “Um debate morno e entediante, que ajudou os espectadores a caírem no sono

  1. Também só assisti aos dois primeiros blocos. Programa chatíssimo. Mas entendi claramente o que Bolsonaro dizia embora saibamos que sua dicção não seja perfeita o que não deixa de ser mais um trunfo a favor da verdade pois, ele não tem oratória para ser enganador. Já Henrique Meirelles com sua oratória também ruim é de mais dificil compreensão. Alvaro Dias e Alckmin são os enroladores natos. Falam, se arrastam e quando concluem a enrolação já não lembramos qual era o tema em pauta de tanta lenga-lenga.
    Daciolo veio pra se fazer ser conhecido. Não tem nada a perder mas se fez notado, para o bem ou para o mal. Ciro conseguiu não partir para as “vias de fato” com ninguém. Marina como sempre parecia uma flor murcha e Boulos só estava ali para continuar seu trabalho contra a ordem nacional, desde, é claro, que os bens seus e de família sejam preservados pois, como todo vermelhista, a riqueza e bens alheios devem ser repartidos com os demais exceto seus próprios bens e riquezas. A dinâmica do programa estava chata. Talvez a formula de debate com presidenciáveis esteja exaurida.

  2. A canalhada repetiu aquilo que faz a cada eleição : PROMESSAS, PROMESSAS E MAIS PROMESSAS.

    Bando de corruptos e incompetentes que estão na política em benefício próprio. A cada dois é a mesma ladainha, e a o população abandonada trabalhando para sustentar essa corja.

  3. “Debate desnuda candidatos (O ANTAGONISTA)

    Brasil 10.08.18 01:32

    O debate na Band desnudou os candidatos à Presidência, expôs o baixíssimo nível de nossos políticos e traduziu o alto índice de eleitores indecisos ou que não querem votar, simplesmente.

    O Brasil vai piorar muito ainda antes de começar a melhorar.”

  4. O grande derrotado, sem dúvida, foi Jair Bolsonaro.

    Capitão, tem um Cabo no meio do caminho…

    O tal Daciolo vai tirar milhares de votos do Bolsonaro.
    Saudações,
    Carlos Cazé.

    Ps: Ciro 2018 , nenhuma dúvida.

  5. Pensei que fosse assistir a um debate diferente daqueles que houvera nas eleições anteriores, onde prevalecesse a sugestão de idéias pensadas para a solução da maioria das mazelas que afligem a grande massa populacional brasileira, mormente a mais desassistida. Triste ilusão, debate recheado dos mesmos chavões a que nos acostumamos a escutar ao longo desses anos.
    Perdi meu tempo, o programa terminou às 01h12 e não trouxe nada que justificasse nossa audiência, tão-somente perda de tempo e descrença naqueles que se propuseram a nos representar no período de 2019/2022.
    Isso não quer dizer, embora septuagenário, que não tenho candidato. Preconizo que escolhamos aquele despojado de ladainhas, de propostas que pela situação pela qual o País passa não possam ser implementadas, que tenha ética, não seja ficha suja, que brigue por um Brasil mais justo.
    Um bom dia a todos.

  6. VTI,
    Em grande parte vc tá coberto de razão, eu concordo,
    Acredito sim que depois do desempenho pífio dos candidatos o ciro vai dar uma alavancada nos números.
    Os candidatos estavam num jogo de comadre e quase todos nao forçaram muito o embate.

  7. Uma lástima. Quando você pensa que poderia defrontar com idéias para posicionamento maduro, jogam em sua fuça um monte de bobagens, mentiras e sonhos de ações impraticáveis. De cara, logo na primeira pergunta, o candidato, até razoável, foge ao tema e começa a descrever o currículo. Não deu para passar da metade do segundo bloco. Tá ruim a coisa. E pensar que um deles será presidente (desta joça)! Qual o futuro que reserva aos nossos filhos esta classe medíocre de políticos… e magnânimos “esplendores” do judiciário encastelado?

  8. Também assisti só uma parte do debate, que coisa chata, dantesca até.

    Alguns candidatos prometendo ferrar o povo e concluindo que suas propostas são boas.

    O candidato do PSDB elogiando o bolsa família, que coisa não é, até bem pouco tempo este partido dividiu o povo chamando essa bolsa de assistencialismo. E se não me engano disse também que ajudou na transposição do rio São Francisco.

    Alguém que tem a mente sadia e é empregado, ouvir do Bolsonaro que precisa acabar com os direitos trabalhistas, ainda querer votar nele, é coisa de aloprado.
    É a célebre frase: “a lei trabalhista precisa beirar a informalidade”
    Ainda disse que tem 46 anos de vida pública, 30 na política e 16 no exército, concluímos que se reformou/aposentou-se com 16 anos de serviços prestados ao exército, qual profissão aposenta um cidadão com 33 anos de idade e 16 de contribuição? Coisa similar aconteceu com FHC fingiu ser exilado voltou e se aposentou como professor aos 37 anos (fonte qualquer mídia na internet)

    Alguns jornalistas boicotaram o Ciro Gomes até a parte que eu assisti. Forçando uma tabelinha Alvaro Dias e Alckmin.

    Mas li que o Ciro Gomes foi mais testado depois e se saiu muito bem.

    Concluíndo: bolsa família é bom, transposição do Rio São Francisco também. E o Meirelles citou o LULA para se auto elogiar.

    Só foram citadas coisas boas do LULA, então ………

    Como o LULA está condenado.

    Ciro GOMES 2018

    Ps. CN, me corrija se eu estiver errado que foi o Alckmin que disse ter ajudado na transposição do Rio São Francisco.

  9. Infelizmente o meu preferido para ir para o segundo turno, é péssimo de oratória, e apanhou muito.
    Meireles seria o melhor candidato a se bater no segundo turno

  10. Infelizmente nenhuma surpresa.
    Os comentarios acima, refletem em grande parte as características e fragilidades dos candidatos.
    Para mim todos perderam e principalmente perdemos nós, que olhamos para todos e pensamos:

    Meus Deus, este será o nosso futuro?

    Poderíamos analisar muitas falas, posicionamentos e argumentos mas, de uma maneira geral, todos sabem e confiam no baixo nivel de compreensão do eleitorado e por isso deitam falação, bobagens e remédios miraculosos, restando apenas a nós escolher o menos trágico, o mais bem vestido, o melhor enrolador etc.

    Alguns são patéticos:

    Cabo Daciolo, parece um segurança de periferia, na mão esquerda o porrete chamado amor e na direita o choque eletrifico , palavra de Deus;

    Marina, uma pastora evangélica decadente, que vê sua igreja diminuir, pleo cansaço de seus fieis mas que insiste em mostrar-se uma versão brasileira da Madre Teresa;

    Alvaro Dias, um senador com uma trajetória defensável, mas com pensamento confuso, com dificuldade em posicionar-se de forma rapida sobre assuntos e tempos, consolidando a fama de inseguro;

    Alckmin, com um histórico administrativo a ser defendido, mostra seus compromissos com o centrão e assume o papel de Rolando Lero, quando poderia ser uma opção de equilíbrio e possibilidade de alguma administração. è a comprovação do diga-me- com quem anda e te direi quem és ….

    Ciro, que posa de administrador e experiente, economista, ministro e governador, insiste na proposta de zerar o cadastro do devedores do Serasa? Como? Com meu dinheiro? Apesar de ridicularizado por Bolsonaro manteve o tema….
    Então esta é principal proposta para seduzir o povão?……

    Ainda falta Bolsonaro, uma esperança mas….
    Poderia ao menos ter feito aulas com fonoaudióloga, mas parece que nem isso é necessário, já esta pronto, basta ser honesto…
    Pelo menos não prometeu limpar o Serasa, nem distribuir amor, nem aumentar gastos e diminuir receitas, nem transformar o Brasil numa grande floresta( desde que não atrapalhe os interesses da Samarco claro…)

    Conclusão

    Todos falaram em Deus, mas acho que nem Ele, nos salvará

  11. Se este debate da Band teve alguma audiência significativa, coisa que nunca teve, foi graças a Bolsonaro.
    É um debate inútil e Bolsonaro não devia ter participado , o que causaria uma audiência próxima de zero como de costume.

    Puro barraquismo, quando vagabundinhos e criminosos como um Boulos, que num país sério estaria preso, participa.

    • Nao haveria audiencia sem o protetor da moral das criancinhas contra o kit gay?
      Que absurdo! Desprezo maior ao cidadao brasileiro como este só na Ostraulia….
      Fake news barata.

    • Independente de questões ideológicas e religiosa, o desrespeito não colabora em nada.
      O cabo foi ruim, sim foi péssimo, mas ao olhos de outro ele pode sim ter ganhado pontos, ademais ele não quer ser presidente ele só está se mostrando para o grande publico para ter o que barganhar no futuro com seus eleitores debaixo do braço, tal qual o boboulus, que a mando de lula o psol abriu as pernas em detrimento de seus partidários contrários, para barganhas futuras e mantendo o psol debaixo do pé do lula.

  12. O debate na Band mostrou, com clareza total, a imagem do inferno que já vivemos e que pode piorar.

    O país, e o povo junto com ele estão a caminho do nada! Alguém poderá dizer ou, pelo menos pensar, que estou desanimado, descrente. Longe disso – estou sendo apenas realista.

    Os candidatos são a imagem da sociedade atual. Todos despreparados, desconhecedores dos problemas e, por consequência, das soluções. Falta coragem de falar a verdade e sobram mentiras; falta projeto e sobram brincadeiras. Todos fracos, medíocres sob todos os aspectos. No debate da Band, teve de tudo, para todos os gostos e desgostos.

    Boulos e Cabo Daciolo, deram o tom da loucura das extremas. recomendaria uma análise no divã. Alckmin e Meirelles saltando sobre ovos. Envolvidos e cumplices da situação atual.
    Álvaro Dias lento, didático e sofisticado demais. Vai morrer na praia. Morno, insonso.

    Ciro, contido e brincalhão. Sua solução/ideia do “bolsa limpeza SPC/Serasa”, a mim pareceu a busca da “compra de votos dos que estão ferrados!”

    Marina Silva, cada vez com suas contradições e falta de energia. Deveria começar como prefeita em uma cidade pequena. É um desânimo constrangedor.

    Bolsonaro, com “tiros ao ar”, brinca demais e não leva jeito para criar ou aproveitar piadas. Suas propostas, que até podem ser boas, são mal explicadas. É muito enrolado.

    Assisti tudo, sem dormir e sem ir ao banheiro. Como comentar ou tentar entender se não for assistindo aquilo tudo!

    Acompanho eleições desde a década de 60. Nem nos “anos de ferro” teria sido possível juntar tanta coisa ruim.

    Sinto que nossos problemas se juntaram todos, todos no mesmo lugar e no mesmo momento.

    Um sistema politico e eleitoral corrompido; grande parcela da sociedade omissa, idiotizada, descrente e despreparada; redes sociais vomitando besteiras e mentiras; o receptáculo (urnas eletrônicas) dos votos em descrédito e, finalmente, candidatos fraquíssimos e projeto nenhum de país.

    E ao redor de tudo isto, os interessados e os interesses de sempre a espera do melhor resultado. Para eles, é claro! E farão tudo para continuar como está.

    Solução? Existe, mas nem a sociedade que dela precisa tanto, a aceitará de bom grado.
    Como dizia um bom amigo, “ainda existe espaço para piorar”

    Ao final, só vi aumentadas minhas preocupações. Infelizmente, não é possível fazer omelete sem quebrar os ovos!

    Fallavena

    • Bom Dia Fallavena,

      O seu comentário reflete tudo aquilo que penso. Ninguém tem solução prá nada pois o país está falido.

      Qualquer governo dará apenas continuidade às medidas neoliberais do Governo Temer.

      É assim que o mercado quer e assim será.

    • O debate foi realmente como você analisou. Pareciam candidatos a uma prefeitura de cidadezinha média. Triste. Os pontos mais patéticos foram o Ciro ilusionista com seu bolsa-serasa e o teatrinho do Boulos-Psol e Daciolo-ex-Psol. Incrível como o Psol é fértil em Frankensteins.

  13. O debate da Band clareou algumas coisas:

    Alckmin: repetiu o disco riscado do teleprompter do PSDB que toca a cada 4 anos. Picareta de Auditório. Loroteiro. Maquiador.

    Boulos: temos um Robin Gude! gestação em estágio Girinula! O candidato da esculhambação.

    Alvaro Fiats: Político de boteco. Politico Clovis Bornay. A Dercy ressuscitada no corpo do coringa da Marvel. Drogado? …

    meirelles: “Pensando em voce! Pensando na sua renda!”
    Porque sem voce o meu banco vai á falencia…

    Teje Bolsonaldio: Tentou falar direito mas:
    ‘Teje’ bem claro que ‘ele se chama-se- Bolsonaro e, se falhar aqui vai tentar flertar na boca de dinheiro publico á beira do Tejo. Convicto que engana bem todo português!

    Nem faltou Lula para expressar a realidade, na palavra que o ‘Girinula’ fez questão de repetir para deixar bem claro o que temos neste circo montado: Esculhambação.

    Pra quem acredita nas eleicoes 2018:
    A melhor frase do debate foi proferida pelo mediador: Dançou Playboy…

  14. É verdade Sr. tamberlini,

    também notei isto quando o Ciro ficou vermelho quando questionado sobre o Foro de São Paulo. Sua expressão corporal foi incontroladamente mais forte que suas palavras.

  15. Voltando à realidade,Bolsonaro é o único bate em pontos que podem melhorar um pouco esse shit-hole como acabar com ongs, tvs estatais, criminalizar severamente invasões de propriedades, abrir a economia para o mundo como o resto dos países capitalistas sérios através de Paulo Guedes, etc,etc,etc.
    Não se precisa expressar bem vocalmente para fazer o certo. O óbvio. Isso é o que interessa.

    Ps. Quem sabe ele até perceba que tenha que privatizar as universidades e direcionar a fortuna desperdiçada nelas para o ensino médio e fundamental?
    Isto é necessário.

  16. O Brasil nao precisa de debate presidenciável em auditório.
    O Brasil precisa por o Temer, a Dilma, o Lularapio, o FHC, o Collor e o Sarney, pendurados, só de cueca (dilmanta inclusive) em arvores qualquer praça publica na Esplanada, e filmar o acontecimento!

    Documentado, o evento e transmitido no lugar do programa eleitoral obrigatorio, em cadeia nacional, terminando com a legenda:

    A Republica federativa do Brasil informa:
    O cargo de Presidente da Republica não é exercido por pilantra, ladrão, bandido de colarinho branco, oportunista, vigarista, gringo, cascateiro, ditador, sob pena de ter que passar pelo julgo popular.

    No Brasil atual, nao teremos mais ‘plebiscito dos pelados’.
    O povo, o eleitor tem a arvore e um porrete á mão, caso faça-se necessário.

    Dos candidatos que debateram na Band, sobravam um ou dois 2 para concorrer…
    e não seriam nem o cabo nem o capetão…

  17. ANÁLISE: Só Bolsonaro teve estratégia durante primeiro debate nas eleições 2018 – Por Marcelo de Moraes (Estadão)

    Com os candidatos disputando migalhas de tempo para falar, é quase um devaneio achar ser possível aprofundar discussões nesse tipo de debate a ponto de mudar o voto de algum eleitor. Mesmo veteranos em eleições presidenciais como Marina Silva, Ciro Gomes e Geraldo Alckmin não conseguiram superar a superficialidade nos temas tratados.

    Apenas um candidato mostrou ter uma tática definida para usar no debate da Band. Jair Bolsonaro aproveitou a ocasião para exibir um figurino diferente. Sem gritar (muito), fugindo de provocações e fazendo observações ponderadas, Bolsonaro foi para o programa claramente tentando transmitir o recado que não é um desequilibrado, sem condições de governar o País.

    O candidato do PSL foi até mais longe, fazendo surpreendente tabelinhas com o senador Alvaro Dias, elogiando sua preocupação em abrir “a caixa preta” do BNDES, e com Cabo Daciolo, do Patriota. Bolsonaro parece, inclusive, já estar mirando numa potencial aliança para o segundo turno. Chegou ainda a trocar ideias de forma civilizada e bem humorada com Ciro Gomes, outro candidato famoso pelo pavio curto.

    Em vantagem nas pesquisas nos cenários em que Lula não é incluído, Bolsonaro saiu do debate sem desgastar esse patrimônio. Uma recompensa para o único candidato que parece ter entendido que tipo de vantagem poderia tirar desse modelo de discussão.

    Não é pouca coisa, considerando o elevado número de eleitores indecisos que não sabem sequer se votarão em alguém. Mas Bolsonaro sabe que ainda precisa melhorar muito sua imagem. Ele é constantemente acusado de ser racista, machista e homofóbico, como Guilherme Boulos, do PSOL, lhe jogou na cara logo na abertura do debate.

    Para os outros candidatos, sobrou a lição de que precisam chegar aos debates com algum tipo de plano. Falar por falar se torna mero ruído para quem está do outro lado da tela acompanhando o programa. Sempre é bom lembrar que a corrida presidencial é curta. Faltam menos de dois meses para a eleição. Chances desperdiçadas não reaparecerão.

    • O seu texto merece correção:

      Gritando contra provocações, Bolsonaro foi o único no o programa que ficou falando sem ter seu microfone ligado. ouvíamos seu miado choroso enquanto o mediador lhe explicava que nao teria direito a resposta.

      Bolsonaro transmitiu o recado que é um desequilibrado, sem condições de governar o País ao ser incapaz de responder a pergunta do Ciro Gome.
      Não foi tabelinha, foi pura confissão de incapacidade.

      Ele é constantemente acusado de ser racista, machista e homofóbico, como Guilherme Boulos lhe jogou na cara logo na abertura do debate.

      • O texto não é meu, é do Estadão.

        E pouco importa quem conseguiu ficar acordado procurando pelo em ovo, ouvindo falas de candidatos sem microfone.

        O que vale é o que a grande Mídia publicou, hoje, para a grande maioria que ontem dormiu. Aliás, não foi só o Estadão que analisou as coisas por aí.

        Então, meu filho…o que Boulos (1%) falou ou deixou de falar… só interessa a você. rs

  18. Tudo muito engessado. Ninguém consegue dizer, em detalhes, qual a solução para os problemas do país em menos de dois minutos de resposta. É ridículo exigir isso de qualquer candidato.

  19. O debate de ontem foi interessante e espero que ajude a esclarecer o quanto o Bolsonaro é um fantoche, pois está claro que falta competência para governar, tendo em vista a falta de clareza nas propostas dele e a utilização de um discurso de honestidade que não tem fundamento concreto, além de sua própria lábia.

    É interessante também perceber como que cada candidato se manifesta a partir do lugar de onde veio, da sua cultura, do grupo do qual faz parte e o quanto a suas limitações culturais podem prejudicar sua visão de governo.

    Eu acho que a Marina e o Ciro foram os que se saíram melhores, mostrando mais clareza ao apresentar suas propostas.

    O Boulos também mandou bem, propondo maior valorização do trabalhador em detrimento dos privilégios empresariais dos amigos do rei. Infelizmente, essa questão está muito ligada a uma espécie de socialismo, o que acaba enfraquecendo a candidatura dele. No entanto, a questão de acabar com privilégios deveria ser uma bandeira geral.

    No mais, a honestidade deveria ser uma condição intrínseca para o candidato concorrer às eleições e não convergir a definição de honestidade no Bolsonaro, que se autodeclara honesto e isso basta. Parece um pouco imodesta e perigosa a aceitação ingênua da afirmação dele.

  20. as analises do Fallavena e a reproduzida por Jose Ambrozio, para mim , se complementam e resumem o que foi o debate.

    Apenas faltou algo:

    E O PT E O LULA?

    Continuamos reféns de suas estratégias?

    Tinha a esperança que TODOS atacassem as desgraças do PT e seus aliados, para terminar de vez com a influencia e condução na agenda nacional.

    Como não o fizeram, apenas muito levemente e rasamente, parece que o PT não governou o pais e não tem responsabilidade de nada.
    Então a estrategia de não participar dos debates, usando a desculpa que “impedem” Lula de participar é na realidade uma ação PLANEJADA.

    “Deixem estes imbecis se digladiarem, apontando os seus defeitos e esquecendo que sou um dos grandes responsáveis. Assim quando Lula for legalmente considerado mártir e impedido, o Haddad assume na finaleira e capitaliza os votos dos fanáticos e dos que, cansados com a sujeira e propostas rasas dos candidatos durante a campanha, deduzem que afinal o PT não era tão ruim”

    E assim aumentam exponencialmente as chances do PT.

    Como diria aquele velho comentarista:

    Bestial!!!

    Perto dos profissionais do PT esta turma de “raposas politicas” são meros estagiarios.

  21. O que me espanta é Ciro Gomes. O cara realmente já foi administrador, mas usa de mentiras para tentar levar o voto do bobo. Falar em tirar o nome do SERASA da população, depois me vem com as tais de operações compromissadas culpando os bancos quando sabemos que a dívida é rolada no overnight por culpa única e exclusiva de um governo gastador. É o pior candidato disparado, que usará de toda a baixaria possível para enganar o povo. Ainda bem que os petralhas o colocaram no lugar dele, pelo menos, para isso o PT serviu. Primeiro, a Dilma destruiu os petralhas, agora os petralhas estão destruindo o Coroné. Sorte do país.

  22. Não assisti todo o debate da Band.

    Monótono, pois muitos candidatos, e respostas que jamais esclareceriam a plataforma de cada postulante ao Planalto, e não por culpa da emissora, mas o modelo empregado de muitos anos que se esgotou em si mesmo.

    Bons foram os da TV Cultua e Globo News, com tempo para o candidato se apresentar aos eleitores.

    Agora, a resposta da Marina sobre quais seriam as suas providências para a Educação, simplesmente foi um primor de demagogia e falácia!

    O ridículo do Boulos só queria acusar os demais candidatos, menos mostrar os seus planos de governo.

    O cabo Daciolo que me perdoe, mas nós não temos condições de aspirar uma presidência da República, convenhamos!

    O único neste posto, que foi até eleito democraticamente como presidente alemão, foi o cabo Hitler, que sequer era germânico, mas austríaco, vai entender … e deu no que deu, o maior conflito da História da Humanidade!!!

    Enfim, temos candidatos e candidatos, que devem atender a maioria dos gostos existentes, desde aqueles que querem o retorno de um salvador da pátria até um super homem, que resolveria nossos problemas facilmente.

    Na verdade, os postulantes de fato e de direito se resumem em quatro:
    Bolsonaro, Ciro, Álvaro Dias e Alckmin.

    O resto é o resto, respeitosamente.

      • Meu caro Werneck,

        Bah, mas fiquei muito alegre com o que disseste dos meus rabiscos, chê!

        Na verdade, meu amigo, tenho dito e repetidas vezes, que as minhas análises até agora estão sendo feitas com a possível isenção e imparcialidade que posso produzir!

        Que estamos necessitando de mentes novas, ideias e pensamentos originais é o óbvio ululante, como dizia o saudoso Nelson Rodrigues.

        Mas, como não há magia para que surja um candidato que reúna as aspirações e carências do povo para resolvê-las, temos de escolher mais uma vez – e esta condição já está se tornando insuportável -, o menos ruim!

        Um forte abraço, Werneck.
        Saúde e paz.

  23. o senhor meirelles parecia que tinha que tinha engolido uma caixa de ovos de pato,era sofrivel entender o que dizia.o capitão espoleta ensaiou um faniquito,mais foi colocado no devido lugar pelo ricardo boechat.e o esquerdopata boulos se comportando como um adolescente do ensino médio.acho que para o segundo turno passam cangaciro gomes e o geraldinho merendão.

  24. Destaques positivos: Bolsonaro e Ciro
    Destaques negativos: Boulos
    Ficou patente que os jornalistas priorizaram uns em detrimento de outros. FaceBook, Twitter e Instagran já iniciaram a interferência na eleição do Brasil, censurando páginas de “direita”, restringindo o alcance das publicações e mensagens e ontem e ontem Bolsonaro foi “esquecido” pelo Twitter, como bem lembrado já aqui, pq do contrário a hash tag #Bolsonaro estaria nos top trendings.
    E o agravante é que as urnas eletrônicas capitaneadas pelo TSE de Toffoli e cia limitada estão sendo programadas para conduzir Alckmin e Meirelles ao segundo turno. Assim fica garantido que tudo muda para nada mudar. Esse é Mecanismo do Padilha.
    S.O.S Brasil

  25. Caríssimo CN, mesmo reconhecendo que o Bolsonaro não tem aptidão para ser professor de fonoaudiologia – ele tem, de fato, a língua ligeiramente presa -, não entender nada do que ele falou tem cura: uma consulta ao otorrino, creio eu, resolverá o seu problema.

    O que não tem cura é achar que o tal Cabo Daciolo impressionou bem. Putz!

    Não sei o que é mais pavoroso no elemento: o conteúdo do discurso vazio, a forma como o apresenta, a própria cara de extraterrestre, o gestual… enfim, um caso de estudo, “para honra e glória do Senhor Jesus”.

    Eu só sei do seguinte: logo na primeira vez que ele apareceu, eu tirei as crianças da sala, para não terem pesadelo. Aaaargh!

  26. JAIR BOLSONARO É O ÚNICO PRESIDENCIÁVEL QUE DETONA O JOGO DE CARTAS MARCADAS MONTADO PELO ‘ESTABLISHMENT’
    1 – Se votar no CIRO GOMES – VEM JUNTO LULA, José Dirceu, a Odebrecht, o PT e o PC do B E TODOS OS COMUNISTAS ESQUERDOPATAS et caverna;
    2 – No GERALDO ALCKMIN – Vc estará com o PSDB/Aécio Neves, Temer/MDB et caverna e DEM, PP, PDT e PTB;
    3 – Na #MARINASILVA – PSB, PDT, PP, PTB, PT, PMDB, PSDB -TUDO DO MESMO
    4 – No ALVARO DIAS – Empreiteiras; PMDB, PP, PSDB, PTB e PDT.

  27. Para não me alongar muito, diria que – influenciado pela Curva de Gauss – eliminaria os dois extremos, Daciolo e Boulos, da avaliação. Sofríveis! Sobram, então, seis candidatos. Desses, quatro demonstraram uma mais significativa experiência, conhecimento mais profundo de áreas importantes do governo e ponderação. Cito Meirelles, Alkmim, Álvaro Dias e Ciro (que mais parece o prof. Pardal, com as suas soluções mágicas). Marina apresenta um discurso eivado na sua origem petista, aparentemente coerente, sensível e com preocupações sociais mas que, se espremermos, não tem conteúdo. Por fim, Bolsonaro, neófito na turma, político e com um discurso em que se baseia na sua idoneidade e honestidade. Porém, precisará de uma experiente e responsável equipe, se for eleito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *