Um poema de amor que busca a liberdade, na visão de Eda Carneiro

Imagem relacionada

Eda, poeta carioca

Paulo Peres
Site Poemas & Canções

A professora e poeta carioca Eda Carneiro da Rocha utiliza a prosopopeia (figura de linguagem) para escrever o poema “Roupas na Corda”.

ROUPAS NA CORDA
Eda Carneiro

Cantantes, alegres, lá estão elas…
Voando, querendo se desprender,
como se fosse possível!..

Presas, por um pregador
que cerceiam sua liberdade,
esvoaçam, como seres, dizendo:
“Quero sair por este céu afora,
levar meu canto e meu pranto,
dizer tudo o que fiz .
os lugares em que fui,
dos mais simples aos mais deslumbrantes!…

Frequentei museus, salas de música,
palácios, casebres, gente rica e pobre.
A todos levava uma palavra:
a do Amor”!
Da minha roupa mais luxuosa,
à calça jeans,
companheira de todos os dias,
em que me deliciava
em dar a volta, ao mundo…

Agora, estou presa neste varal!
Não mais corro, não mais sonho.
Soltem-me! Deixem-me ir!…

Só quero a liberdade de ir, novamente,
acompanhada com meu amor,
por este mundo sem fim!”…

6 thoughts on “Um poema de amor que busca a liberdade, na visão de Eda Carneiro

  1. Paulo Peres, peço-lhe licença, para em sua página homenagear uma aniversariante centenária, no dia de hoje – Senhora Mãe do nosso Editor – Carlos Newton. Junto com meu abraço, uma poesia da atemporal Cora Coralina

    “Este nome não inventei, existe mesmo, é de uma mulher que vive em Goiás: Cora Coralina.” Carlos Drummond de Andrade

    “Saiu o Semeador a semear
    Semeou o dia todo
    e a noite o apanhou ainda
    com as mãos cheias de sementes.
    Ele semeava tranqüilo
    sem pensar na colheita
    porque muito tinha colhido
    do que outros semearam.
    Jovem, seja você esse semeador
    Semeia com otimismo
    Semeia com idealismo
    as sementes vivas
    da Paz e da Justiça.

    Cora Coralina

    • Muito querida Carmen Lins
      Cora Coralina atemporal, mulher pequenina de estatura e gigante na sua Arte e simples.
      Amiga inseparável de minha querida Poeta Zeliza Camargo.
      Muito semeou no mundo das Artes e sua palavra permanecerá para o Eterno.
      Obrigada por suas considerações.
      De sua amiga Eda

  2. 1) Licença…

    2) Estrofes Modinha Popular

    Antonio Rocha

    1 voto socialista
    Incomoda os dirigentes
    2 votos socialistas
    Incomodam, incomodam
    Incomodam muito mais
    3…

    Os dirigentes sugam
    Muito a gente
    Sugam tanto
    E isso ta demais.
    Anormais
    Vendavais.

  3. Eta Brasil bom. Um dia chegamos lá – na idade média!
    Querem ver algo digno de admiração? Vejam o vídeo de Joao Bosco no Youtube cantando O Bêbado e o Equilibrista. É de uma beleza estonteante a sua arte.
    Quanto ás roupas da poetisa penduradas no varal e falando a si mesmas como se fossem ghosts, não dá para engulir. Sorry.

    • Tosen Sacs

      Quem dera minhas Roupas na Corda não fossem ” ghosts”.
      São ghosts do Amor, prosopopeia de um Simples Poema que levam as mesmas às asas de nossa Imaginação.
      É preciso sonhar Sr Tosen Sacs e eu sonho e agradeço ter feito este Poema, postado pelo meu grande amigo de longos anos: Paulo Peres.
      Agradeço o seu Virtuosismo. Também admiro e vi Bethânia no palco, dando sempre aquele show, declamando ” O Bêbado e o Equilibrista”.
      Obrigada pelas suas palavras de incentivo e não precisa me engolir…Rs.
      ” Sorry”; Pardon Monsieur.
      Eda Carneiro da Rocha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *