Um poema neo-realista de Mauro Mota sobre o desamparo dos brasileiros que vivem na pobreza do sertão

Mota, um dos maiores poetas pernambucanos

Paulo Peres
Poemas & Canções

O advogado, jornalista, professor, memorialista, cronista, ensaísta e poeta pernambucano Mauro Ramos da Mota e Albuquerque(1911-1984), no poema “Construção”, fala da vida difícil dos moradores pobres do interior do país.


CONSTRUÇÃO
Mauro Mota

Vem vindo José Maria,
vem de São Bento do Una,
vestido de roupa cáqui
e de botinas reiúnas.

No conselho de família,
só encontra a hierarquia
do avô cabo de polícia.

O pai na barbearia
do povoado trabalha,
mal completa o pagamento
da prestação da navalha.

Vem vindo José Maria,
o amarelinho de São Bento
do Una, sem genealogia.

Vem montado no jumento.
Saiu da escola. (Não tinha
nem livros nem fardamento.
Aprendeu a ler sozinho.)

Oh, que infância sem infância,
essa do José Maria!

Entrava na terra o casco
do seu cavalo de pau,
que o cabo da enxada era
a escoiceante montaria.
Tirava leite das vagas,
mas o leite não bebia.
Os animais da fazenda,
com que doçura os tangia!
Carregava areia e lenha
com o gosto do engenheiro
que uma obra construía.

Foi bicheiro e negociante
de passarinhos na feira.
Vendeu frutas e roletas
nas festas da Padroeira.
Lavou frascos na botica,
lavou os pratos do hotel,
fez os serviços miúdos
da casa do coronel.

– Pega o carneirinho mocho
para Jorginho montar.
– Vê se a novilha cinzenta
já voltou para o curral.
– Leva o peru para a ceia
do Doutor pelo Natal.

Vem vindo José Maria
vem de São Bento do Una,
vestido de roupa cáqui
e de botinas reiúnas.

Puxa ainda o seu jumento,
remexe nos caçuás.
Carrega barro e madeira
para a construção que faz
com alicerces na poesia
dos desesperos rurais.

5 thoughts on “Um poema neo-realista de Mauro Mota sobre o desamparo dos brasileiros que vivem na pobreza do sertão

  1. 1) Grande Mota, ótimo poeta, bom escritor.

    2) Aproveito para saudar o Mequinha, time de futebol nas cores verde e branca do Recife:

    3) América Futebol Clube !

    4) O hino diz: “verde da Esperança e branco da Paz”.

  2. De que é feito um poema?

    Não é o tema que faz o poema
    Mas sim a inspiração do poeta,
    A qualidade da frase engenhosa,
    A rima que dá cadência á prosa,
    E a mente a que a poesia afeta,
    A do leitor, que sonha como o poeta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *