Uma lição de vida às novas gerações, por Vital Farias

Resultado de imagem para vital farias

Vital Farias, uma voz que defende a natureza

Paulo Peres
Site Poemas & Canções

O músico, cantor e compositor paraibano Vital Farias, na letra de “Não Jogue Lixo No Chão”, conclama as pessoas a repensarem suas atitudes, sob pena de inviabilizarem a vida no planeta para as gerações vindouras. Suas composições mesclam canções nordestinas, sambas de breque, modinhas, xaxados e outros ritmos. Em 2002, produziu o CD independente Uyraplural, que marcou a estreia de sua filha, a cantora Giovanna Farias.

NÃO JOGUE LIXO NO CHÃO
Vital Farias

Não jogue lixo no chão
Chão é pra plantar semente
Pra dar o bendito fruto
Pra alimentação da gente

O peixe que sai do rio
O amor que sai do peito
A água limpa da fonte
O sentimento perfeito

Não jogue lixo no chão

A natureza é quem cria
O amor imediatamente
Milagre que faz da vida
Bendito fruto do ventre

Não jogue lixo no chão

Não jogue lixo no chão
Nem rios, lagos e mares
A terra é nossa morada
Onde habita nossos pares

A terra que tudo cria
Não pede nada demais
Se tratada com carinho
Para vigorar a paz

Se queres sabedoria
Aprenda isto de cor
A terra é a mãe da vida
Útero ventre maior

Não jogue lixo no chão

3 thoughts on “Uma lição de vida às novas gerações, por Vital Farias

  1. CONSERVE-SE ALERTA!

    Ao comprar uma conserva
    Tenha bastante cuidado
    Com a data de fabricação
    Antes de abri-la observe
    Se aquele dito enlatado
    Tem selo de inspeção
    E depois de ele aberto
    Veja dentro o esmalte
    Se está sem arranhão

    Esta é uma medida
    Para a sua segurança
    Do contrário você pode
    Contrair um botulismo
    E onde houver conservante
    Cabe a você dar o corte
    Nessa onda consumista
    Pra não virar múmia ambulante
    Conservado antes da morte!

  2. O Planeta TERRA agradece ao compositor Vital Farias tão oportuna advertência:
    “Não jogue lixo no chão
    Chão é pra plantar semente
    Pra dar o bendito fruto
    Pra alimentação da gente”

    Cabra da peste – ou seja, valente, com muito talento, arretado, é o Vital Farias, A Terra seria outra se aplicasse o que ensina a canção “Não jogue lixo no chão”; Gosto da gravação do mineirissimo Rubinho do Vale.

  3. Vejam que letra linda, aliás, letra e música. Gravaram-na Elba Ramalho, Alceu Valença e o próprio compositor Vital Farias. Que um beija-flor penetre nos propósitos de inovação da Tribuna da Internet.
    Paulo, parabéns por trazer-nos hoje, esta postagem. Você está de parabéns, todos os dias, pelo seu gosto poético (v que também é poeta) e musical.

    Ai Que Saudade D’ocê
    Vital Farias

    Não se admire se um dia
    Um beija-flor invadir
    A porta da tua casa
    Te der um beijo e partir
    Fui eu que mandei o beijo
    Que é pra matar meu desejo
    Faz tempo que eu não te vejo
    Ai que saudade de ocê

    Se um dia você lembrar
    Escreva uma carta pra mim
    Bote logo no correio
    Com frases dizendo assim:
    -“Faz tempo que eu não te vejo,
    quero matar meu desejo.
    Te mando um monte de beijos
    Ai que saudade sem fim.”

    E se quiser recordar
    Aquele nosso namoro
    Quando eu ia viajar
    Você caía no choro
    Eu chorando pela estrada
    Mas o que eu posso fazer
    Trabalhar é minha sina
    Eu gosto mesmo é de ocê

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *