Voto feminino, que deve decidir a eleição, ainda tem maioria de indecisas

Resultado de imagem para voto feminino CHARGES

Ilustração reproduzida do Arquivo Google

Alessandra Azevedo e Marília Sena
Correio Braziliense

Mais da metade do eleitorado brasileiro, as mulheres têm nas mãos a capacidade de mudar os rumos das eleições de 2018 e, cada vez mais, assumem essa posição de destaque. Em um cenário em que 52,2% dos votos partem delas, a rejeição ou a união feminina em direção a uma candidatura pode fazer muita diferença nos resultados do pleito, avaliam especialistas consultadas pelo Correio. A opinião dos 77,3 milhões de mulheres aptas a votar terá um papel fundamental no desenrolar de uma situação totalmente indefinida nas urnas brasileiras.

Essa mobilização leva a outro fato inédito: nunca houve tanta diferença entre votos femininos e masculinos em um candidato. Pelos dados mais recentes do Datafolha, divulgados ontem, a intenção de votos do líder dos levantamentos, Jair Bolsonaro (PSL), chegou a 26%. No universo feminino, ele chega a 18% dos votos. Entre os homens, o percentual é de 35%.

AVERSÃO – “Ele (Bolsonaro) faz declarações preconceituosas em relação a mulheres, não em relação aos homens. Ofende esse eleitorado, que, portanto, não gosta tanto dele”, resume a cientista política Lara Mesquita, pesquisadora do Centro de Política e Economia do Setor Público da Fundação Getulio Vargas (Cepesp/FGV).

Maria Aparecida, 45 anos, que trabalha com serviços gerais no Distrito Federal, é um exemplo disso. Para ela, “um candidato com ideias extremistas e respostas simples é inviável”, porque não se propõe a resolver os problemas na base. Mãe de três filhas, Maria contou que gosta de acompanhar a propaganda eleitoral para discutir a escolha com a família, mas ainda está indecisa quanto ao voto.

 “O que a gente observa é que essas mulheres são contra a ideia de resolver os problemas na força, por meio da violência ou do armamento”, afirmou a cientista política Flávia Millena Biroli Tokarski, do Instituto de Ciência Política da Universidade de Brasília (Ipol-UnB).

ANTIBOLSONARO – Além do crescimento do debate público em torno de pautas feministas nos últimos anos, que fez com que grupos de mulheres se unissem contra uma candidatura de extrema direita, outros fatores levam à mobilização contra Bolsonaro.

A percepção das especialistas é de que o movimento não é apenas de feministas, esquerdistas ou com o objetivo de eleger mulheres — tanto que não se nota um número grande do voto feminino em Marina Silva (Rede), uma das duas candidatas na corrida eleitoral (a outra é Vera Lúcia, do PSTU).

Na verdade, entre a pesquisa Datafolha de 22 de agosto e a divulgada ontem, nos votos estimulados, a preferência da ex-ministra do Meio Ambiente caiu de 19% para 9% entre elas.

VOTO ÚTIL – Segundo a cientista política Hannah Maruci Aflalo, da Universidade de São Paulo (USP), a explicação para que grupos organizados femininos não escolham alguém do próprio sexo seria o voto útil.

A estudante Alyssa Volpini, 27 anos, apesar de defender mais votos femininos, considera o cenário para a Presidência inviável e mais delicado. “No caso do presidente, acho que o fundamental é analisar as alianças que o candidato ou candidata tem, por mais que eu ache muito importante a representatividade. Para os outros cargos, faço questão de votar em mulheres”, explicou. Ela não votará em Marina, apesar de ser mulher, por considerar o plano de governo menos atraente que os de outros candidatos.

Por isso, os votos dessas mulheres se dividem entre vários candidatos. O que, inclusive, explica por que Alckmin (10% x 9%) e João Amoêdo (4% x 3%) têm mais voto femininos, de acordo com a pesquisa Datafolha. Como não há nenhuma mulher declaradamente direitista no pleito e as políticas econômicas de Alckmin e Amoêdo atraem mais o público de centro, eles são a opção de muitas delas.

34 thoughts on “Voto feminino, que deve decidir a eleição, ainda tem maioria de indecisas

  1. Impulsividade ou razão? O que deve prevalecer para se eleger alguém? A campanha contra Bolsonaro é pesada e ultrapassa as raias do permitido ou ele não estaria no hospital. Se a intuição funcionar direito ou se a razão seguir seu destino, Bolsonaro vence. O Brasil não é só de um, mas de todos. O que fazemos de errado hoje, de uma forma ou outra, recairá em todos. O discurso que se ouve é que as minorias tenham força, mas o que se faz, não é igualar direitos e aparar arestas, mas “empoderar”, dar poder, tornar superior aos outros e estes sim se tornarão, as verdadeiras minorias, e pior, tudo justificado em lei. Sempre que alguém se coloca na condição de “justiçar” pela força e não pela educação, a fronteira entre o estado de direito e o autoritarismo velado é claramente rompida. A delimitação entre onde começa e termina o direito de cada um é gritantemente violentada.

  2. Peçanha,

    A esquerda quer impor um modo de pensar e de se comportar para o povo.

    Quer vê-lo repetindo seus mantras e agindo conforme quer, e assim levar adiante o projeto de poder.

    Liberdade, educação, consciência política, senso de responsabilidade, direitos e deveres, obrigações, compromissos … nada disso interessa.

    A questão se resume em ideologia, a comunista, claro.

    Na razão direta do nosso analfabetismo absoluto e funcional, comprovados pelo ensino medíocre e estagnado que temos, mediante dados recentes, o povo aceita que este regime de governo, que, em tese, aplainaria todos da mesma forma quanto às suas existências, é o indicado.

    O crescimento do comunismo no país se deve fundamentalmente à péssima educação, que nossos governantes nos têm deixado ao longo do tempo.

    Sem protestos, reclamações e exigências para que a escola pública melhore, os ensinos Fundamental e Médio são os que mais se ressentem dessa falta de atenção, refletindo no meio da população a brutal desinformação e falta de conhecimentos da maioria dos cidadãos brasileiros!

    Ora, mas é justamente este tipo de gente que a esquerda adora, pois manipula, mente, engana, ilude, e acusa os ricos ou quem estudou e galgou os degraus necessários para crescer na vida e na profissão, como os culpados pela miséria alheia!

    Logo, o comunismo, que iria deixar todos pobres, agrada aos ouvidos dessa gente desinformada, que, pelo menos, verá a devida compensação entre a sua carência com os opulentos, e estes sendo como eles!

    Jamais, em tempo algum, a esquerda prometeu modos de administrar um país que fizessem esse pobre progredir!
    Pelo contrário, empobrece quem não deveria para igualar a todos na miséria!
    Mas, seus comandantes, vivem na opulência, na riqueza.

    Maduro, ontem, em um espetacular jantar e fumando um charuto cubano, é o exemplo dessa esquerda ardilosa, pois enquanto o seu povo morre de fome, ele se empanturra com o dinheiro desse mesmo povo, porém acusa o “imperialismo” americano como culpado pelo que acontece em seu país!!

    Na extinta União Soviética, os dirigentes do partido tinham suas “dachas”, casas de campo ou fazendas, para onde se deslocavam aos fins de semanas, enquanto a população dividia um micro apartamento com duas ou três famílias, além de comprar alimentos cujas calorias eram limitadas e morria de frio no inverno!

    Nesse particular, existem vídeos às centenas, mostrando o povo em filas intermináveis para obter um pouco de manteiga e algumas gramas de carne, que deveriam durar para a semana!

    Cinismo, hipocrisia, falsidade … a esquerda é sinônimo do que não presta, haja vista os exemplos que deixou por onde andou neste mundo, além de causar a cizânia entre os povos e países separados!

    Abraço.

  3. Ao contrário do que a esquerda apregoa, as mulheres também estão com o Bolsonaro. O famoso mutirão do grelo duro, além de fracassado, não passa de um movimento de artistas/atrizes mais preocupadas com a perda do jabá do que com qualquer outra coisa. Tudo por dinheiro

  4. Augusto Heleno, encarregou-se de ser o porta-voz do “sossega leão” em Mourão:

    ‘Ele, que vinha evitando se envolver em temas eleitorais, será a ponte do grupo com o vice. Ressaltando ser amigo do militar, o criticou. “Qual é a experiência política do Mourão? Ele está engatinhando ainda. Ele fala e acha que não vai ter repercussão”, disse à Folha.

    Cumpre-se, assim, a regra militar de que oficial só é detido por outro, de patente igual ou maior.

    Está reduzido ao silêncio disciplinar, não pode mais abrir a boca.

    Não se sabe como Mourão, reagirá a porem-lhe freio e bridão.

    Obedecerá?

    • É o desespero!!!!! Argumentos vazios, repetitivos e sem qualquer fundamentação! Sabem que ano que vem vão ter que vender picolé na praia…

  5. E dê-lhe ofensas, insultos, mentiras, calúnias, contra Bolsonaro!

    Nazista, fascista, são os mais comuns.

    A falta de originalidade nesses ataques e agressões, indiscutivelmente estão aumentando a preferência do eleitorado, onde o próprio Ibope, ontem, mostrou que Bolsonaro empata com todos no segundo turno, enquanto que antes perdia.

    E, conforme venho afirmando, a sua rejeição diminui e aumentam seus índices de aprovação.

    Bolsonaro vence em primeiro turno, e assim deve ser.

    PT, NUNCA MAIS!

  6. “Voto feminino, que deve decidir a eleição, ainda tem maioria de indecisas.”

    -Por que é que os votos indeciso é quem decidirá as eleições?
    -Por acaso também não existiriam homens entre os indecisos?
    -Ou teve uma pesquisa entre os indecisos visando saber o sexo deles?
    -Será que todos os que decidiram até hoje votar no Bolsonaro são apenas do sexo masculino?

    Pelo vício de querer dividir e classificar os brasileiros e de serem donas da verdade e da razão, têm-se logo que as duas senhoras acima são adoradores do DEUS LULA. Portanto, quem não dobrar os joelhos para os ensinamentos dele, será condenado ao fogo do inferno.

  7. Ano que vem tem muitos aqui que vão ter que trocar o bônus pelo ônus!! melhorirsepreparando… Vender picolé na praia no verão não é fácil…

    • As zebras não vão te ouvir, mas, o teu silêncio é maravilhoso para os comentaristas!

      Ah, e não existe príncipe que vai te beijar para te tirar desse sono.

  8. É incrível, num país destes, existir o ‘voto feminino’. No país só existe dois candidatos: o Bolsonaro e o comunista – que são os demais. Esse caô de que ele, o Bolsa, faz declarações preconceituosas contra as mulheres é de uma idiotice sem tamanho. È coisa de mulheres comunas. Se querem um candidato que só faz declarações votem no Analfa – mais exatamente no seu novo poste. Ele disse coisas muito adoráveis sobre mulheres: sobre as que têm o grelo duro, exempli gratia; pegar viuvinhas de companheiros desencarnados; etc,.
    Se há muitas mulheres em dúvida quanto em quem votar é sinal que as brasileiras são muito mais idiotas do que os homens. É coisa de quem dá prioridade zero à política. São a taradas por novelas, bbb, fofocas de famosos e outras artimanhas usadas pela globo para idiotizar as pessoas de pouca instrução e capacidade cognitiva. Quem tem alguns interesse pela política, ideologia sabe que todo pais ‘administrado’ por comunista está ou no fundo do abismo, ou chegando lá.
    A Venezuela era o país sulamericano com as maiores reservas de petróleo. Importando até pro Uncle San. Quanto tempo precisou pro comuna acabar com a alegria do país? Se alguém não sabe é só ver o desespero dos cucarachos para entrar em banânia de qualquer jeito. Parece um ataque zumbí.

  9. “PS3- Eles são capazes de tudo. 2 milhões e 200 mil mulheres, fizeram manifestação contra o voto em Bolsonaro e Mourão.

    PS4- Eles modificaram criminosamente a frase, que passou a ser”favorável” a Bolsonaro e Mourão.

    PS5- Isso é crime, ninguém foi punido.”

    Helio Fernandes – terça-feira, 18 de setembro de 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *