CPI da Covid: Senadores apontam mudança de estratégia do governo Bolsonaro e movimento de intimidação

Charge do Zé Dassilva (Arquivo do Google)

Gerson Camarotti
G1

Integrantes da CPI da pandemia observaram no fim de semana uma mudança na estratégia do governo Bolsonaro para tentar frear as investigações. Segundo senadores, sem conseguir evitar a instalação da comissão, o Palácio do Planalto iniciou um movimento de intimidação para conter os desdobramentos das apurações.

A reação do chamado G6 – grupo de seis senadores independentes ou de oposição – foi verbalizada neste domingo, dia 18, pelo senador Renan Calheiros (MDB-AL). Em entrevista à GloboNews, Calheiros disse que não será intimidado com a notícia de que a Polícia Federal fará uma agenda paralela de investigações.

OPERAÇÕES DA PF – A informação, publicada pelo colunista Lauro Jardim, do jornal “O Globo”, de que quanto mais avançar a CPI, mais explodirão operações estridentes da PF contra governadores e prefeitos, acabou unindo ainda mais o G6.

Os senadores Renan Calheiros, que tem o apoio do grupo para ser o relator, e Jader Barbalho (MDB-PA), suplente da CPI, tem filhos governadores. E os demais senadores são próximos de governadores ou prefeitos em seus respectivos estados. Antes, o governo tentou, sem sucesso, mudar integrantes do PSD na CPI para ter o controle da comissão.

Nos últimos dias, o Planalto vem tentando, sem sucesso até o momento, oferecer cargos no governo e até mesmo apoiar a indicação para a próxima vaga no Tribunal de Contas da União (TCU), em troca de blindagem na comissão.

2 thoughts on “CPI da Covid: Senadores apontam mudança de estratégia do governo Bolsonaro e movimento de intimidação

  1. Sabem quando a Polícia Federal vai conquistar autonomia, em relação ao Poder Executivo vigente? Nuuuuunca!
    As incontáveis tentativas frustradas, pela tão buscada independência, indicam que a Instituição vai sempre desempenhar o subserviente papel de jagunço, para o Sr. presidente perseguir seus desafetos e proteger a sua camarilha.
    Bolsonaro vai usar de todos os instrumentos de repressão do Estado, bem como a sua máquina de Fake News, para triturar essa CPI, ou até mesmo transformar investigadores em culpados. Pois nenhum dos senadores que compõem a Comissão têm vidas pregressas ou agregados que não lhes deixem vulneráveis.

  2. Numa CPI com personagens pregressas:
    Renan Canalheiros, atleta na odebrecht
    Jader Barbalho, jacaré na odebrecht
    Randolfe Dpvat, múmia na odebrecht
    Humberto Costa, drácula na odebrecht
    Ciro Nogueira, cerrado na odebrecht
    já desclassifica qq decisão desta gangue.

Deixe uma resposta para Jose Roberto Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *