Depois de muitos momentos adversos, ainda é possível dizer adeus à dor, na visão de Tunai e Sérgio Natureza

Um Pouco De Mim - Sergio Natureza | Mercado Livre

Sérgio Natureza, um grande compositor carioca

Paulo Peres
Poemas & Canções

O compositor, poeta e letrista carioca Sergio Roberto Ferreira Varela, conhecido como Sérgio Natureza, mostra que jamais se pode perder a esperança e depois de muitos momentos adversos ainda  é possível dizer “Adeus à Dor”, música gravada por Tunai, em 1981, pela Polygram.
ADEUS À DOR
Tunai e Sérgio Natureza

Pelo que se passou
Pelo que se sofreu
Pelo que se chorou
Pelo que se perdeu
Por tudo que doeu
Pelo que machucou
É que a gente ficou
Meio fora do ar
Apesar dos pesares
Porém se lutou
E do luto da noite
A manhã rebentou
As formigas unidas
Vencendo o trator
O pior já passou, dá até pra cantar
Diz adeus a dor
Não dá mais pra voltar
Adeus a dor
É muito amor pra dar
Adeus a dor
É forte como o mar
Diz adeus a dor
Ninguém vai segurar
Adeus a dor
O que já é já está
Adeus a dor
Brotando como flor

4 thoughts on “Depois de muitos momentos adversos, ainda é possível dizer adeus à dor, na visão de Tunai e Sérgio Natureza

  1. Creio que a maior frustração de todo ser humano é o contraste entre: o mundo como ele gostaria que fosse X o mundo, como o mundo se impõe.
    Para quem se sentir um peixe fora d’água, partir pro confronto, não parece uma escolha muito sensata: ele pode tornar-se um colecionador de marasmos e recalques. A saída menos traumática é: ligar o GPS e localizar Pasárgada. Lá, na tertúlia do senhor Rei, ainda falta um amigo. Corra rápido para preencher a vaga; ela está a sua espera!

    PS1: Tertúlia, substantivo coletivo de amigos ou parentes!

    PS2: Recentemente, foi publicado o resultado dum trabalho científico sobre os males, que atraem para si, pessoas que vivem a fingir. “Oi, eu estou óooooootimo! Ah, esse concurso que vai haver, já passei, na maior! Olá, galera do xengo, esse último confronto que teve contra o Vasco, a gente ganharemos mole!
    Os caras invertem até o tempo verbal, para expressarem os seus otimismos inexequíveis.

  2. Gostei dos versos sobre o atual adverso.
    Mas, me digam: que formigas unidas
    Venceram o mal, o diabo, o virus – o trator?
    Quem disse que o amanhã amanheceu,
    A dor já passsou, e o vento de novo soprou?
    Não mesmo, vivemos a mesma sina:
    Rezando pra Deus para ter a vacina!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *