Direita e esquerda concordam pelo menos num ponto – a culpa seria sempre da imprensa…

Ecos da ditadura militar: a censura nas redações – Blog do Brown

Charge do Zé Oliveira (Arquivo Google)

Eduardo Affonso
O Globo

Tenho o hábito de colecionar manchetes mal redigidas. Minhas favoritas são aquelas ambíguas e carregadas de humor involuntário, do tipo “Polícia indicia estudante picado por naja, mãe, padrasto e outras 9 pessoas”.

Quando posto essas pérolas no Facebook, é inevitável que os comentários deixem de lado a graça da coisa e apontem para a decadência da imprensa, as nefastas consequências do fim da exigência de diploma para jornalistas ou a “geração Paulo Freire” (seja isso lá o que for).

SALVAGUARDA – Não, a imprensa não está em declínio. A sintaxe e a ortografia andam levando surras diárias, mas a imprensa, como instituição, continua sendo uma salvaguarda da democracia: denuncia condutas antirrepublicanas, combate a desinformação, propaga a diversidade de opiniões. Daí incomodar tanto e ser alvo prioritário de qualquer projeto totalitário de poder.

O desapreço pela imprensa não é monopólio da direita ou da esquerda. Jornalistas foram agredidos tanto por militantes petistas, na era Lula, quanto por bolsonaristas, na gestão atual. Há 17 anos, um correspondente estrangeiro quase foi expulso do país por ousar escrever sobre os hábitos etílicos do então mandatário. Do “cachaceiro” ao “pequi roído” (passando por “ladrão” e “genocida”), a liberdade de expressão tem sido deliberadamente embaralhada com difamação e calúnia.

Para Lula, a “Veja” destilava “ódio e mentira” contra seu governo. “Nós somos a opinião pública”, gabava-se o ex-presidente. “Nós não vamos derrotar apenas os nossos adversários tucanos; nós vamos derrotar alguns jornais e revistas que se comportam como se fossem um partido político.”

TIRAR DE CIRCULAÇÃO… – Nada muito diferente do que andou dizendo Jair Bolsonaro ao declarar que “o certo é tirar de circulação” a “Folha de S.Paulo”, O Globo, “O Estado de S.Paulo” e o site O Antagonista — todos “fábricas de fake news”.

Bolsonaro vê na imprensa uma inimiga; Lula só a concebe como correligionária. Entre o PIG (Partido da Imprensa Golpista) de antes e a imprensa “patife” e “canalha” de agora, mudou apenas o remetente. O destinatário é a mídia que cumpre seu papel.

Semana passada, o iutuber Felipe Neto foi intimado a depor numa investigação de “crime contra a segurança nacional” por ter se referido ao presidente como “genocida”.

JORNALISTAS TUCANOS – Felipe Neto mobilizou, merecidamente, milhares de apoiadores. Poucos dias antes, ele havia tuitado um recado aos “prezados jornalistas tucanos”: não batam na esquerda até as eleições. Em outras palavras: não cobrem autocrítica, abram mão da independência de pensamento. Se não aderirem à servidão voluntária da imprensa chapa-branca, depois não reclamem. Uma espécie de “minha liberdade de expressão é sagrada; a dos outros, nem tanto”.

 É o autoritarismo dos “libertários”, diferente só na forma daquele dos liberticidas.

Ao contrário do que diga o governante de turno, a culpa (pelas maracutaias, pelo descaso com a vida) não é da imprensa. Ainda que estropie o português aqui e faça uma manchete hilária acolá, ela continua sendo a maior aliada do povo contra os abusos do poder.

5 thoughts on “Direita e esquerda concordam pelo menos num ponto – a culpa seria sempre da imprensa…

  1. A culpa é de quem propaga essa pretensa separação entre esquerda e direira, ou seja”
    “POR QUE NÃO TEMOS EMPRESÁRIOS DE ESQUERDA?

    Feita em tom de desabafo, foi produzida pela mente brilhante do renomado consultor e conferencista Stephen Kanitz uma das mais certeiras reprimendas já endereçadas aos líderes políticos que, por fanatismo, mero oportunismo ou pura imbecilidade, pregam e idolatram o socialismo.
    Com o provocativo título *Por que não temos empresários de esquerda?*, ele resume em um artigo primoroso, ferino e irônico, algumas verdades que estão engasgadas na garganta de quem realmente gera emprego e renda para sustentar o desenvolvimento social e econômico das nações livres e prósperas.

    Eis o texto na íntegra:

    “Por que uma ideologia que possui tantos intelectuais brilhantes, com capacidade de liderança, de aglutinar massas, que querem ética e mudar o mundo, não abrem empresas para servir seus correligionários?
    Empresas que não cobrariam lucro, que teriam uma imensa vantagem competitiva de preços bem mais baixos, e com 47% de clientes já ideologicamente alinhados.
    Destruíriam empresas que ‘maximizam lucro’ em menos de 10 anos, e venceriam essa luta ideológica folgadamente,
    Oferecendo produtos bem mais baratos, com qualidade, sem truques e propaganda enganosa.
    Artistas milionários, funcionários da elite pública que abocanham 40% da massa salarial do país forneceriam o capital necessário para a fundação dessas empresas de bom grado.
    No Capitalismo Democrático, que vivemos, qualquer um pode entrar no livre mercado, por isso ele é livre e democrático.
    E se empresários de Esquerda decidirem não cobrar os exorbitantes lucros que Marx diz que existem, não há nada que a Direita possa fazer. Simples assim…
    Por mais de 200 anos a Esquerda tentou implantar o Capitalismo de Estado, via golpes revolucionários como fizeram na Rússia, China, Cuba e no Brasil, manipulando as urnas, seduzindo os pobres e indefesos mas, sem sucesso.
    Mataram mais de 100 milhões de pessoas, quando poderiam ter conquistado o Capitalismo Democrático em menos de 30 anos, com preços mais baixos, sem matar ninguém.
    Organizados eles são, porque no crime são extremamente organizados, sabem negociar com empreiteiras como ninguém, teriam o apoio total dos trabalhadores e seus sindicatos de fachada.
    Mas nenhum marxista, petista, social democrata, comunista, jamais pensou em abrir uma empresa, produzindo bens e serviços para a sociedade.
    Os serviços que a Esquerda brasileira presta hoje nas faculdades, hospitais e em parte da imprensa não isenta que controlam é de péssima qualidade e custam caro.
    Se você é jovem e quer mudar o mundo com o conceito socialista, estude e trabalhe na administração e não história, filosofia, sociologia ou jornalismo e monte uma empresa sem fins lucrativos.
    O que para você será fácil porque você já não é egoísta como certamente seus pais, avós e outros ancestrais foram para você ser o que é hoje.
    Você que pensa nos outros, produza o que o povo quer consumir, com preços justos, pagando o dobro do salário mínimo, dando o 14º e 15º salários, semana de 4 dias.
    Em vez de encherem o nosso saco todo santo dia, nos chamando de exploradores, desejando morte aos burgueses, criticando todo dia sem produzir absolutamente nada.”

    *De aplaudir de pé.*

    • Que besteira essa do Kanitz.
      Qualquer empresário pode ser favorável ao capitalismo e consequentemente ao lucro. Porém, vários empresários são favoráveis a uma politica de proteção social.

      Aí está o engano. Ser de esquerda, pelo menos para o pessoal mais realista, não significa ser antagônico ao capitalismo, mas ser favorável a uma política que gere menos desigualdades sociais. E que tenha um mínimo de proteção social. Isso é ser socialista?

      Livre mercado? Onde existe isso?

      Esse texto é aquele tipo que não resiste a qualquer exame lúcido, mas serve para ludibriar os incautos.

  2. O problema é que a imprensa não é punida ao propagar mentiras. Basta alegar sigilo da “fonte”.
    Ou seja alguém inventa alguma calúnia contra uma pessoa qq consegue q ela seja publicada e a honra da pessoa difamada vai para o brejo. A depender da repercussão desejada outros meios de imprensa passam a amplificar a calúnia e tb não sofrerão nenhuma pena.
    Isso funciona para a difamação de artistas, jogadores de futebol e principalmente políticos!

  3. O problema é que a imprensa brasileira nem é brasileira.
    A imprensa daqui trabalha para os interesses externos, principalmente norteamericanos.
    O que para mim não é surpresa: A maioria esmagadora da mídia brasileira foi criada com dimdim do país do Norte.
    Os patrões dos grupos midiáticos brasileiros estão nos States.
    Eles não tem nenhum compromisso com o Brasil e os brasileiros…
    É só ver como nossa imprensa é norteamericanizada e tem ódio do Brasil, dos brasileiros, e da nossa história.
    E pra piorar, nossa direita-liberal ainda tem a cara de pau de dizer que a imprensa brasileira é de esquerda!!!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *