Fraude na política de preços da Petrobras faz Inflação disparar e ameaça a economia

Charge do Duke (O Tempo)

Carlos Newton

Como diz Gonzaguinha, não dá mais para segurar.A manipulação dos preços dos combustíveis chegou a uma situação-limite, que ameaça a economia como um todo. No IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), a inflação foi a maior para maio em 25 anos, ao atingir a taxa de 0,83%, e chegando a 8,06% em 12 meses, bem acima do teto da meta do governo para o ano, que é de 5,25%.

A explicação da equipe econômica é de que a energia elétrica saltou 5,37% e foi o item que mais pesou no índice mensal. Propositalmente, os técnicos do governo tentam ocultar a influência do maior difusor de inflação – o preço dos combustíveis, que incidem sobre os fretes, os transportes e os preços dos produtos em geral.

PREÇO DE IMPORTADO – O fato concreto é que, para tornar atraente a privatização das refinarias, desde 2016 (governo Michel Temer/Pedro Parente) a Petrobras adotou a inédita política de Preços Paritários aos de Importação (PPI), ou seja, os combustíveis vendidos nas refinarias têm preços arbitrados como se tivessem sido importados.

Assim, estima-se o preço do combustível numa refinaria estrangeira e se somam os custos logísticos de importação, taxas e seguros, além das margens de risco e de lucro dos importadores.

É um absurdo total, porque a Petrobras é superavitária na produção de óleo cru e capacidade de refino. E apesar de ter custos muito inferiores aos Preços Paritários de Importação (PPI) e capacidade de abastecer nosso mercado com menores preços, garantindo a lucratividade das ações, são fixados preços como se os combustíveis precisassem ser importados, e não é Piada do Ano.

GOVERNO MILITAR? – Essa política criminosa de lesa-Pátria é adotada num governo militar, alimentando a corrupção interna na Petrobras, nas operações de compra e venda de óleo cru e derivados, forçando uma massiva importação de diesel, como se o país não fosse superavitários, e desestimulando o programa do biocombustível.

Tudo isso para facilitar a privatização das refinarias, inclusive a Abreu e Lima, em Pernambuco, que produz o melhor óleo combustível do mundo, exportado pelo Brasil para os Estados Unidos e muitos outros países.

Diante dessa crise, com o país mergulhando em nova inflação, é preciso responder a duas perguntas: O que esses generais estão fazendo no Planalto, a não ser contando o vil metal, como dizia Belchior? E que país é esse?, como indagavam Francelino Pereira e Renato Russo.

###
P.S.
Se a Polícia Federal investigar a Área Internacional da Petrobras, vai encontrar um covil de corruptos de fazer inveja à Lava Jato. E isso nada tem a ver com o fato de ser uma estatal. Das cinco maiores petrolíferas, quatro são estatais. Enquanto das 25 maiores, as estatais são 19. Controlam mais de 90% das reservas e cerca de 75% da produção de petróleo. (C.N.)

7 thoughts on “Fraude na política de preços da Petrobras faz Inflação disparar e ameaça a economia

  1. Hahahaha… aí a imprensa. O governo despachou bilhões na economia (a pedido da imprensa) devido a pandemia, enquanto linhas de produção fitam paradas. E agora fingem que não sabem de onde veio a inflação. Quem diria que emitir moeda geraria inflação né? Surpresa!

  2. E aí, aumentam a SELIC para combater a inflação, só esquecem(?), de que embora eu não seja economista e sim ‘povo’, que esta inflação não é de demanda.
    Quanto aos generais no planalto; outra certeza: o “tosco” não quer sombra e desta forma só se cerca de subservientes sem caráter e competência.

  3. E vendem as refinarias e outras estatais a um preço muito aquém daquele que se gastaria num projeto novo.
    Os investimentos feitos no Brasil são compras de coisas prontas.
    Por que os investidores não constroem coisas novas? Essa política de desinvestimentos a qualquer custo é uma coisa ruim em longo prazo, já que quem compra geralmente são empresas internacionais.

  4. Essa gestão de incompetência foi “plantada”, para forçar o clamor de vários setores, inclusive, dos consumidores pela privatização ou esbulho de mais uma Estatal brasileira.
    Eletrobras e subsidiárias pagavam um dos maiores salários do serviço Público Federal e Estadual (nas concessionárias de energia elétricas, nos estados). Ingressei numa dessas, mediante provas; lá trabalhei e conheci muitos filhos de bacanas “enxertados”, atraídos pelo ganho robusto e outras regalias. Durante meu exercício, na dita concessionária, prestei concurso para a Eletronorte, aprovado, eu mais 30, nunca fomos chamados. O curso de qualificação seria numa hidroelétrica de Ilha Solteira.

  5. Quando elegeram Bolsonaro, junto vieram os postos Ipiranga…
    Deviam ter pensado nas consequências.
    Um Governo acéfalo.
    Um posto Ipiranga da Economia só interessado em fazer o Estado se desfazer dos seus bens e recursos humanos, em que empregadas domésticas não viajem de avião para o exterior etc.
    No Ambiente, é passar a boiada.
    Na Justiça, é que proteja os seus familiares e amigos.
    Na Educação, é que no converter mentes.
    Etc.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *