Planalto diz que o ministro Ricardo Salles pediu para ser demitido, mas ninguém acredita

MPTCU pede afastamento de Salles por suposta "ingerência indevida" no Ibama - 21/06/2021 - UOL Notícias

Ministro contava con o foro privilegiado no Supremo

Filipe Matoso e Pedro Henrique Gomes
G1 — Brasília

O presidente Jair Bolsonaro exonerou o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. A exoneração foi publicada nesta quarta-feira (23) em edição extra do “Diário Oficial da União” e informa que a exoneração foi a pedido de Salles.

No mesmo decreto, Bolsonaro nomeou Joaquim Alvaro Pereira Leite como novo ministro do Meio Ambiente. Até então, Leite ocupava o cargo de secretário da Amazônia e Serviços Ambientais do ministério.

CONSELHEIRO RURALISTA – Antes de integrar o governo, o novo ministro do Meio Ambiente foi conselheiro da Sociedade Rural Brasileira (SRB), uma das organizações que representam o setor agropecuário no país.

A gestão de Ricardo Salles no Ministério do Meio Ambiente foi marcada por uma série de polêmicas. Uma dela, por exemplo, envolve a reunião ministerial de 22 de abril de 2020, no Palácio do Planalto.

Na reunião, Ricardo Salles sugeriu a Bolsonaro que o governo aproveitasse que a atenção da imprensa estava voltada para a pandemia da Covid-19 e “ir passando a boiada” na área ambiental, alterando regras.

MADEIREIRAS – Além disso, Ricardo Salles é alvo de inquérito, autorizado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a pedido da Procuradoria Geral da República (PGR), por supostamente ter atrapalhado investigações sobre apreensão de madeira.

A suspeita foi apresentada pela Polícia Federal. Salles nega ter cometido irregularidades. Em manifestação no Palácio do Planalto após o pedido de demissão, Salles relacionou medidas que adotou à frente da pasta e reclamou das críticas.

“Experimentei ao longo destes dois anos e meio muitas contestações, tentativas de dar a essas medidas caráter de desrespeito à legislação, o que não é verdade”, declarou.

RESPEITO AO PRODUTOR – Segundo ele, a sociedade espera “respeito” ao setor produtivo e à iniciativa privada. Salles destacou a necessidade de o Brasil ampliar as obras de infraestrutura e “continuar sendo o grande líder do agronegócio”.

O ex-ministro defendeu uma transição “serena”. “Para que se faça da maneira mais serena possível, apresentei meu pedido de exoneração”, disse.

Desde que Bolsonaro assumiu o governo e nomeou Salles no cargo de ministro do STF, o Brasil tem sido cobrado internacionalmente a adotar medidas de proteção do meio ambiente.

VÁRIOS PAÍSES – A cobrança já partiu de países como Estados Unidos, Alemanha e Noruega (clique no nome do país para relembrar a cobrança).

Ainda no período eleitoral, Bolsonaro dizia que não nomearia no cargo de ministro do Meio Ambiente algum “xiita ambiental”.

Também na campanha, Bolsonaro disse que se eleito iria tirar o Brasil do Acordo de Paris, mas, depois, afirmou que não iria retirar.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Ninguém acredita que Salles pediu demissão. Pelo contrário, ele estava atracado ao fóro privilegiado, não queria sair nem a pau (perco o amigo, mas não perco a piada…). E Salles já tinha até substituído escolhido. (C.N.)

13 thoughts on “Planalto diz que o ministro Ricardo Salles pediu para ser demitido, mas ninguém acredita

  1. Essa incitação que sai da cloaca cancerosa de Bolsonaro, dando aval para policiais matarem, indiscriminamente, já incorporou no espírito das corporações malignas.
    Lembrem que esse imundo nem bem falou no Excludente de Ilicitude, um polícia bandido executou um jovem pelas costas, em Goiás; na delegacia, o covarde invocou essa autorização para matar, antes mesmo de ela estar em discussão, no Congresso Nacional.
    Em seguida, dentre outras com menos lágrimas, houve aquele mortícinio na favela Jacarezinho, perpetrada pela polícia civil carioca.
    Anteotem, a polícia civil do Maranhão executou um jovem, com problemas mentais, porque ele lançou um vídeo, fazendo apologia de Lázaro Barbosa. O secretário de segurança, Jeferson Portela, montou uma farsa com os seus auxiliares, e concluíram que o caso se enquadra em legitima defesa.
    “A Secretaria de Estado da Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA) decidiu não afastar os policiais que participaram da morte do jovem Hamilton Cesar Lima Bandeira, de 23 anos, ocorrido na última sexta-feira (18/06) em Presidente Dutra, município a 347 km de São Luís” do Portal: oitomeia/com.
    Ontem a justiça militar paulista absolveu dois policiais que estupraram uma jovem dentro duma viatura. O tal juiz entendeu que não ficou caracterizado crime de estupro: porque a vítima não resistiu ao sexo. Ou seja: foi consensual.
    Como pode uma mulher reagir, em um veículo sob cárcere privado, cercada de jagunçoss cruéis e armados?
    -Se você que paga pedágio para milicianos, ainda acha pouco. Doravante, a cota vai dobrar, as polícias também vão cobrar pagamentos mensais dos cidadãos, para não os roubar e/ou deixá-los vivos! Maldito, Adélio Bispo, quanta imperícia!

    https://istoe.com.br/justica-militar-absolve-pms-por-estupro-em-viatura-e-diz-que-vitima-nao-resistiu-ao-sexo/

      • Armando, não é a justiça que está podre: é o país! Se juntarmos os seguidores das seitas Lula/Minto, já temos mais de metade dos eleitores brasileiros!
        Ou somos redescobertos ou teremos de cortar o país entre honestos e desonestos!
        Fallavena

  2. “Armando” a cama, pra quem?

    Suponhamos, só suponhamos, que o ex-sinistro ricardo salles, tenha sido tão somente um testa-de-ferro como o generaleco e ex-sinistro pazuello, vulgo “gordinho” (segundo o GENOCIDA que o trazia atado a uma guia curta);

    Suponhamos, só suponhamos, que o GENOCIDA não tenha, pelo menos por duas vezes, publicamente, agradecido ao generaleco villas bôas ter chegado onde chegou à troco de nada;

    Suponhamos, só suponhamos, que o generaleco braga neto durante sua “missão pacificadora” no Rio de Janeiro – não só não tenha agido contra criminosos milicianos e sim, no mínimo, por omissão, tenha-os fortalecido;

    Suponhamos, só suponhamos, agora voltando ao ex-sinistro ricardo salles: quando da reunião com madeireiros para liberação de madeira ilegal apreendida pela PF que o sinistro tenha agido realmente aos interesses do generaleco ramos;

    Suponhamos, só suponhamos, que a Petrobrás e a Eletrobrás, empresas – “subordinadas” ao sinistro almirante bento albuquerque -, estão indo pro ralo da privatização contra os interesses do país…

    Depois dessas suposições quem está “Armando” a cama, pra quem?

    • Segundo apregoam os crendeiros, haverá tempo em que, de tão horrendo o sofrimento, as pessoas pedirão para morrer e a morte recusá-los-á. É o caso do vice Mourão: não pode ser demitido por Bolsonaro, talvez afastados. Livres mesmo estão: os de cujus Gustavo e major Olimpo Bebiano, Moro, Mandetta, Janaína, Joyce, Olavo de Carvalho, +∞ (até + infinito)….

  3. Muda-se o ministro do meio ambiente, mas a política ambiental continuará a mesma. Ano que vem teremos muitos candidatos qualificados para o senado.

    • O Sinistro do Pau-Brasil teve aulas de corrupção com os melhores Mestres da Corrupção.
      Será que o Bolsoneves não sabia disso??

      ENRIQUECIMENTO

      Ricardo Salles movimentou R$ 4,57 milhões em apenas três anos
      RBA teve acesso a relatório de auditoria que aponta para supostos ganhos com advocacia extrajudicial e tráfico de influência. Salles teria aproveitado de proximidade com governo de São Paulo para fazer fortuna

    • Por falar em cortina de fumaça…

      CORTINA DE FUMAÇA (FILME COMPLETO)
      https://www.youtube.com/watch?v=hPTlsV2lmBw&t=500s

      Cortina de Fumaça é um filme que aborda a questão das queimadas na Amazônia, infanticídio indígena, atuação de ONG’s ambientalistas e o potencial agrícola brasileiro no cenário mundial.
      O desmatamento e as queimadas na floresta amazônica são pautas noticiadas constantemente, não só no Brasil, como internacionalmente.

      Greta Thunberg, Madonna, Cristiano Ronaldo, Maradona e Leonardo diCaprio já manifestaram-se muito preocupados com as queimadas.

      Nos últimos anos, o movimento ambientalista no Brasil ganhou força, juntamente com a questão indígena brasileira, a demarcação de terras e a preservação cultural desses povos.

      No filme, entrevistados falam sobre seu relacionamento com a Funai e os próprios índios falam sobre a cultura indígena prejudicada por ONG’s ambientalistas. Contudo, nem todas são ruins, destacando-se a que mais luta contra o infanticídio indígena.

      Assista ao filme Cortina de Fumaça para saber mais sobre:

      – A verdadeira extensão da Amazônia e o risco real dela acabar;
      – Desmatamento e queimadas;
      – A Amazônia como o Pulmão do mundo ou não;
      – O uso do Fundo Amazônia;
      – O Brasil como celeiro do mundo;
      – Brasil no cenário agrícola internacional;
      – Destaques do Código Florestal brasileiro;
      – A história do Greenpeace e seu impacto nos países;
      – Interesses dos movimentos ambientalistas;
      – A questão indígena e a cultura;
      – Infanticídio e rituais indígenas;
      – Desenvolvimento das tribos.

  4. Os mintorianos devem estar tristes. Mais um aliado que trai o líder deles! Não se pode confirmar mais em “estelionatário eleitoral”.
    Do desencarnado Bebiano ao ministro do meio ambiente (ou seria “do ambiente do meio”), quantas “traições”.
    A gadalhada deve estar chorando pelo lider e amaldiçoando mais um dos seus!
    Fallavena

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *